Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 11/05/2020
Somos especialistas em criação de projeto gráficos, diagramação de grandes materiais, tratamento de imagens e tradução e revisão de laudas.
Voltada ao segmento de bibliotecas, atende Bibliotecas de Instituições Públicas e Privadas, Colégios, e Empresas, buscando a satisfação das necessidades de seus clientes.
A FMZ está há 17 anos no mercado livreiro/editorial desenvolvendo o HORUS, sistema de gestão específico do segmento
PublishNews, Redação, 11/05/2020

Juergen Boos é diretor da Feira do Livro de Frankfurt | © Jonas Ratermann / Frankfurter Buchmesse“Nosso mundo mudou e não voltará a ser ao que era antes”. Essas foram as palavras usadas por Juergen Boos para explicar que a Feira do Livro de Frankfurt – dirigida por ele – será “uma experiência completamente diferente”. Ele disse isso na semana passada, em entrevista a Ed Nawotka, jornalista do Publishers Weekly, transmitida pela página do grupo Publishers without Borders no Facebook. Boos observou que a equipe da Feira está buscando maneiras de combinar experiências reais e virtuais. Essas mudanças serão reveladas no mês que vem, mas o diretor já adiantou que partes como a cerimônia de abertura e a conferência de imprensa deverão ser realizadas a distância. O diretor da maior feira de negócios do livro no mundo – que no ano passado reuniu mais de 302 mil visitantes – reafirmou que mantém a data de realização do evento para os dias entre 14 e 18 de outubro. Na semana passada, a Feira Internacional do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha fez a sua edição 2020 pelos meios virtuais. Mais de 60 mil pessoas “passaram” pelo evento que, no ano passado, reuniu cerca de 30 mil visitantes. O agent center de Bolonha aconteceu a distância, reunindo cerca de 500 editores que tiveram a chance de conhecer mais de 20 mil títulos. As reuniões, um a um, aconteceram via plataformas virtuais. Clique no Leia Mais e confira outros destaques da entrevista de Juergen.

PublishNews, Leonardo Neto, 11/05/2020

Milton Hatoum é o entrevistado do Podcast do PublishNews dessa semana | Fábio UeharaDesde o início, o Podcast do PublishNews buscou dar voz a editores, livreiros e analistas do mercado editorial. Os autores, o primeiro dos diversos elos que compõem essa cadeia, tiveram pouco espaço nos mais de 100 programas que já foram ao ar. Nessa semana, resolvemos fazer algo diferente e recebemos o escritor, tradutor, professor, colunista e arquiteto de formação Milton Hatoum. Autor de seis romances e mais um livro de crônicas, Hatoum já foi traduzido para 12 idiomas e publicado em 14 países. Tem em casa troféus dos prêmios Jabuti, APCA, Impac-Dublin, Portugal Telecom, entre outros. Na conversa que teve com a nossa equipe, Hatoum falou da sua relação com o mercado, do seu apoio às livrarias independentes de rua – ele é padrinho da Mandarina, localizada no bairro de Pinheiros, em São Paulo – e ainda falou sobre a pandemia do novo coronavírus, o seu possível impacto na literatura, na vida e na sociedade. Na entrevista, Hatoum revelou um fato pouco conhecido da sua trajetória como escritor. Acostumado a escrever seus livros à mão, ele perdeu um manuscrito inédito e sem cópias de um romance. A perda foi durante uma de suas mudanças: ele, que nasceu em Manaus, já morou em Barcelona, Madri, Paris e Brasília antes de se fixar em São Paulo. O Podcast do PublishNews é um oferecimento da Metabooks, a mais completa e moderna plataforma de metadados para o mercado editorial brasileiro, da UmLivro, novo modelo de negócios para o mercado editorial: mais livros e mais vendas, e da Auti Books, dê ouvidos a sua imaginação, escute Audiobooks. Você também pode ouvir o programa pelo Spotify, iTunes, Google Podcasts, Overcast e YouTube ou clicando no Leia Mais.

PublishNews, Redação, 11/05/2020

No último domingo (10), o escritor Sérgio Sant’Anna faleceu vítima do novo coronavírus. Ele estava internado desde o dia 3, com sintomas da doença. Um dos principais autores do país, Sérgio Sant’Anna publicou seu primeiro livro de contos, O sobrevivente, por conta própria, com dinheiro emprestado do pai. Passou um tempo nos EUA em um programa de formação de autores e publicou em 1975, Confissões de Ralfo, visto como um de seus melhores livros. Venceu três vezes o Prêmio Jabuti e três vezes o APCA e o prêmio da Biblioteca Nacional. A Folha relembrou a última entrevista que o autor deu ao jornal, onde declarou que sua vida foi "bem vivida". No Painel das Letras o destaque foi para mais uma iniciativa para ajudar editoras e livrarias independentes criada pela Planeta em parceria com a Dedalog. Trata-se de um programa de associados, um site no qual a editora vai vender seus livros. Já as livrarias que se associarem receberão um link para divulgar nas suas redes. A cada venda através dos links, a livraria recebe 20%. Para saber mais sobre as soluções da Dedalog para ajudar a enfrentar a crise, é só clicar aqui e conferir a participação de Tiago Pavan no ColabPublishNews. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desta nota.

PublishNews, Gustavo Martins de Almeida, 11/05/2020

Uma poesia, quando incluída numa composição musical, passa a ter roupagem jurídica diferente no âmbito do direito autoral, agregando ao fato de ser apenas uma obra literária e ganhando nova qualificação, a de obra musical. As implicações jurídicas dessa nova categoria serão brevemente apreciadas neste artigo. Vinicius de Moraes (1913 - 1980) é conhecido pelas geniais e sensíveis composições musicais com Tom Jobim, Toquinho e vários outros, além de interpretações magistrais dessas canções. Sua vasta obra literária, no entanto, não tem o mesmo alcance popular de suas criações no campo da música. Além de artista, integrou a carreira diplomática, tendo passado no concurso para o Itamaraty em 1943 e sido cassado pelo AI-5 em 1968, sempre se dedicando a música e literatura. Em 1946, quando servia ao Itamaraty em Los Angeles, Vinicius escreve a poesia “Rosa de Hiroxima” (uso a grafia do site de Vinicius de Moraes, que é confirmada pelo site InfoEscola, embora seja aceita a grafia do nome da cidade com sh), em protesto contra os bombardeios atômicos dos EUA sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki, ocorridos em agosto 1945. A obra é publicada na Antologia Poética de Vinicius, editada em 1954, e há uma interessante análise do texto feita por Rebeca Fucks, no site Cultura Genial, na qual compara o cogumelo atômico da bomba à figura de uma rosa.

PublishNews, Talita Facchini, 11/05/2020

Maylis Besserie | © GallimardA Academia Goncourt anunciou nesta segunda-feira (11) os vencedores do Prêmio Goncourt 2020, o mais importante da literatura francófona. O anúncio foi antecipado para dar suporte às livrarias francesas que retomam suas atividades hoje, depois de dois meses de portas fechadas. Na categoria Romance, o vencedor foi Le Tiers Temps, da autora Maylis Besserie (foto ao lado). Na obra, o personagem Samuel Beckett, que se encontra em um lar de idosos, se lembra dos episódios e das pessoas que marcaram sua vida. Em Conto, o prêmio foi para a autora Anne Serre com o livro Au cœur d'un été tout en or. Com publicação prevista para maio e integrando a coleção Bleue, o livro reúne histórias comuns, com personagens influenciados por nomes conhecidos como Liz Taylor, Musset, Beckett e colocadas sob o signo de Lewis Carroll. E em Biografia venceu o livro Hugo Pratt, trait pour trait, de Tierre Thomas. Um ensaio sobre a arte de Hugo Pratt, criador do personagem de quadrinhos Corto Maltese. Na categoria Poesia, que não teve os finalistas anunciados, venceu Michel Deguy, poeta, ensaísta e criador do Po&sie, uma revista fundada em 1977 que publica trimestralmente poesias de todas as formas e que abriu espaço para poetas de outros países.

PublishNews, Redação, 11/05/2020

Mesmo em meio à crise gerada pelo novo coronavírus, a Editora do Brasil, que publica livros para alunos e educadores com o objetivo de aprimorar a experiência com o material didático, abriu uma vaga para assessor pedagógico para atuar no Rio de Janeiro. O contratado irá prestar assistência pedagógica às escolas adotantes, dando orientações didáticas e esclarecendo dúvidas relacionadas aos produtos da editora. É necessário ter ensino superior completo em Pedagogia, Letras, Biologia ou outras áreas voltadas para a educação. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail selecao.rh@editoradobrasil.com.br.

PublishNews, Redação, 11/05/2020

Uma pandemia global assola o planeta. Com a brusca mudança na rotina de bilhões de pessoas, vivemos em um momento em que o maior ato de responsabilidade é se manter distante daqueles que amamos. Em Pandemia: Covid-19 e a reinvenção do comunismo (Boitempo, 136 pp, R$ 39 - Trad.: Artur Renzo), o filósofo esloveno Slavoj Žižek mergulha de cabeça no espírito de nossa época. Ao longo de 13 ensaios, são destrinchados diferentes aspectos do surto provocado pelo novo coronavírus: filosóficos, psicanalíticos, políticos, sociais, econômicos, ecológicos e ideológicos. Quando governos austeros, reconhecidos por cortes implacáveis nos gastos públicos, decidem subitamente gerar trilhões, Žižek demonstra como uma nova forma de comunismo pode ser a única maneira de evitar uma descida à barbárie global. Os ensaios que compõem a coletânea se aproximam de referências ao cinema de Quentin Tarantino e Steven Soderbergh, à literatura de H. G. Wells e Dostoiévski, citações filosóficas de Marx, Hegel, Schelling e Lacan, além de travar um debate direto com outros intérpretes contemporâneos da crise causada pela covid-19, como Giorgio Agamben, Byung-Chul Han e Alain Badiou, entre outros.

PublishNews, Redação, 11/05/2020

A pandemia do novo coronavírus espalhou-se pelo mundo inteiro, com consequências nunca vistas no século XXI. O Brasil, por meio de seus Poderes, adotou uma série de medidas para conter o avanço do vírus. Os juristas Luciano Martinez e Cyntia Possídeo sistematizaram todas as ações ocorridas no campo trabalhista neste momento de pandemia no e-book O trabalho nos tempos do coronavírus (Saraiva Jur, 221 pp, R$ 58). Dividido em 15 capítulos, o livro aborda temas como regime de teletrabalho, acordos e convenções coletivas, redução de jornada de trabalho e salários, Programa Emergencial de Suporte a Empregos (Pese), adoecimento do trabalhador pelo coronavírus, efeitos da pandemia sobre os trabalhadores autônomos, Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (Beper), entre outros assuntos. Uma obra para ajudar o leitor a encontrar as respostas para suas dúvidas e a compreender corretamente o impacto que o coronavírus trouxe para o Direito do Trabalho.

“Como a literatura, a ciência pede paciência.”
Milton Hatoum
Escritor brasileiro sobre o momento da pandemia
1.
Decida vencer
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Todo santo dia
4.
Box - Alice no país das maravilhas
5.
Como fazer amigos e Influenciar pessoas - Edição comemorativa 80 anos
6.
Box - Jane Austen
7.
À noite o Sol não some
8.
Pai rico, pai pobre - Edição de 20 anos
9.
Box - O essencial Sherlock Holmes
10.
Felicidade
 
PublishNews, Redação, 11/05/2020

Para Bj Fogg, guru do Vale do Silício e pesquisador da psicologia humana, melhorar a nossa vida é mais fácil do que se imagina: basta pegar um hábito, reduzi-lo à última escala e descobrir onde se encaixa de maneira natural em sua vida para que ele cresça praticamente sozinho. Pensando nisso, ele desvendou o código de como se forma um hábito. Baseado em 20 anos de estudo e utilizado por mais de 40 mil pessoas, seu método Micro-hábitos revela que a chave para a mudança de comportamento é o oposto do que sempre foi dito. Não é sobre força de vontade: é sobre o foco no que é fácil de mudar. Micro-hábitos (HarperCollins, 336 pp, R$ 44,90 – Trad.: Bruno Fiuza e Roberta Clapp) oferece um guia prático, inédito e aplicável e ensina o leitor a direcionar sua atenção para o que realmente quer fazer.

PublishNews, Redação, 11/05/2020

Especialista no estudo dos processos inconscientes do cérebro, John Bargh revela, em O cérebro intuitivo (Objetiva, 392 pp, R$ 79,90 – Trad.: Paulo Geiger), como o inconsciente guia nosso comportamento, objetivos e motivações em áreas como relacionamento, educação dos filhos, negócios, hábitos de consumo e vícios. Segundo o autor, se compreendermos as forças psicológicas que nos influenciam diariamente, poderemos melhorar nosso sono, nossa memória e ter mais qualidade de vida. O cérebro intuitivo apresenta uma jornada pelo mundo que existe sob a superfície da consciência e que é a chave para desvendarmos novas maneiras de pensar, sentir e agir.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.