Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 05/03/2020
A psi7 Printing Solutions & Internet 7 S.A. é uma empresa de tecnologia na gestão de conteúdos que ajuda as empresas, sejam editoras ou indústrias, a propagar o seu conteúdo nos formatos impresso, áudio, dados ou eletrônico.
Com mais de 20 anos de experiência na diagramação de livros, Julio Fado oferece um trabalho profissional, de qualidade e rápido. Além da diagramação de livros para impressão, ele também diagrama livros em formato digital.
Ao longo de 10 anos de atuação no mercado editorial, a Ilustrarte se dedica a prestar vários serviços na área editorial.
PublishNews, Leonardo Neto, 05/03/2020

Em relação ao desastroso janeiro de 2019, o ano começa bem para as livrarias | © Fernando de França / Divulgação / BlooksNas livrarias, janeiro é um mês tradicionalmente forte em vendas. A volta às aulas explica muito essa sazonalidade. No entanto, no ano passado, editoras de livros didáticos resolveram pisar no freio e procurar outros canais para escoar a sua produção. Era a resposta delas à crise de dois importantes varejistas de livros: Cultura e Saraiva, que pediram recuperação judicial no fim de 2018. Na época, a GfK, que monitora a venda de livros em livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento, apurou queda de 25% em relação ao janeiro de 2018. Parte dessas perdas foram compensadas agora nesse ano. O instituto acaba de publicar a primeira edição de 2020 do relatório que acompanha a evolução mensal do varejo de livros no Brasil. O documento é realizado em parceria com a Associação Nacional de Livrarias (ANL). Entre os dias 30 de dezembro e 2 de fevereiro, os estabelecimentos monitorados pela GfK venderam 5,3 milhões de exemplares e faturaram R$ 273 milhões. Quando comparados com igual período de 2019, esses números representam crescimento de 8,2% em volume e de 5,7% em valor. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta nota.

PublishNews, Talita Facchini, 05/03/2020

Capa do livro 'Nove meses' (Lote 42), de Gustavo Piqueira O Latin American Design Awards (LadAwards), prêmio que reconhece os melhores projetos gráficos da América Latina, anunciou os vencedores da sua quarta edição. Com nove categorias, o concurso avalia cada iniciativa levando em conta três características: execução, criatividade e propósito. Nesta edição, os júris destacaram 192 projetos. O Brasil dominou a premiação aparecendo em todas as categorias. Em Editorial, por exemplo, categoria que avalia os melhores projetos gráficos de livros, dos 36 premiados, 23 são brasileiros. O destaque da categoria foi para o livro Nove meses (na foto ao lado), que além ganhar a medalha de ouro, recebeu o selo de Melhor da Categoria. Publicado pela Lote 42, o livro de Gustavo Piqueira, da Casa Rex, tem formato de uma caixa, e cada um dos mil exemplares da tiragem única da obra vem com um globo de resina acrílica colado, contendo um inseto morto. Alguns dos outros premiados foram Laranja mecânica (Aleph / capa de Giovanna Cianelli), A ilha de Arturo (Carambaia / PS.2 Arquitetura+Design), Box Virgínia Woolf – Grandes obras (Nova Fronteira / Mateus Valadares), Matadouro cinco (Intrínseca / Túlio Cequize), Darwin sem frescura (HarperCollins / Anderson Junqueira), A velocidade da luz (Tag), O caso Tuláiev (Carambaia / Aoquadrado) e O segundo sexo (Nova Fronteira / Angelo Botttino & Fernanda). A lista completa dos premiados você confere clicando aqui.

PublishNews, Redação, 05/03/2020

Nos dez últimos dias, quatro importantes eventos literários na Europa foram cancelados ou adiados por conta da epidemia de coronavírus que espalha a covid-19 pelo continente. Primeiro foi a Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, que teve sua realização adiada de março para maio. Depois vieram os cancelamentos do Salão do Livro de Paris e das feiras do livro de Leipzig e de Londres. Essa onda de cancelamentos chegou agora ao Oriente Médio. A Feira do Livro de Abu Dhabi, que estava marcada para acontecer em maio, foi cancelada, depois que o emirado resolveu fechar escolas e universidades para tentar conter a propagação do vírus. A edição foi reagendada para maio de 2021.

PublishNews, Redação, 05/03/2020

O Grupo Ibep Educação, do qual fazem parte as editorias Ibep, Companhia Editora Nacional e Conrad, abriu uma vaga para coordenador de marketing para as editoras. É necessário ter formação na área, experiência de mais de três anos em marketing de editoras e conhecimento em mídias digitais. Conhecimento da língua inglesa é um diferencial. O contratado será responsável por criar campanhas nas redes sociais e internet e criar ações de promoção e divulgação para os livros. Os benefícios do cargo incluem vale transporte e alimentação. Os currículos devem ser enviados para o e-mail editorial.nacional@ibep-nacional.com.br até 16 de março.

PublishNews, Redação, 05/03/2020

A Alta Books Editora abriu mais uma vaga, desta vez para divulgador externo para as praças São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Paraná. As funções do cargo incluem o planejamento e acompanhamento de ações e promoções, o suporte externo ao departamento de marketing e comercial e a aplicação regular de treinamentos para as equipes de livrarias e distribuidoras. O contratado também será responsável pela campanha de divulgação do catálogo e lançamentos em livrarias e demais pontos de venda. É necessário ter experiência e vivência na função e disponibilidade para viagens. Os interessados devem enviar currículos com pretensão salarial para o e-mail rh@altabooks.com.br.

PublishNews, Redação, 05/03/2020

Grupo do primeiro Walking Tour reunido no Monumento ao Prefeito Francisco Pereira Passos | © DivulgaçãoInspirado no livro escrito por JK Rowling sob o pseudônimo de Newt Scamander, a saga Animais fantásticos e onde habitam já está com o seu terceiro filme em produção e para a surpresa dos fãs, o Rio de Janeiro dos anos 30 será cenário do novo filme da franquia. Pensando nisso, a Rocco realiza neste sábado (7), às 10h, a segunda edição do Walking Tour Animais Fantásticos, que levará os fãs da série para um passeio pelas construções históricas da Cidade Maravilhosa que ainda permanecem intactas desde a época retratada no próximo filme. O ponto de encontro será no Hall do Teatro Riachuelo (Rua do Passeio, 38/40, Centro - Rio de Janeiro / RJ), às 9h30. O passeio contará ainda com distribuição de brindes e sorteio de livros e será comandado pelo autor Fábio Sombra. Os interessados podem se inscrever clicando aqui.

PublishNews, Redação, 05/03/2020

Resultado da parceria entre a Autêntica e o Instituto Vladimir Herzog, o livro Heroínas desta história (400 pp, R$ 59,80) dá voz a mulheres que fazem parte da história brasileira, mas que foram silenciadas há muitos anos. Carla Borges e Tatiana Merlino, as organizadoras do volume, defendem que, se ainda resta muito a esclarecer sobre as violências cometidas pelo Estado brasileiro durante o regime militar, muito mais falta revelar sobre as mulheres que estavam ao lado daqueles que tombaram. São mães, irmãs e esposas de pessoas que se posicionaram contra o autoritarismo de diferentes maneiras e que por isso foram perseguidas, torturadas e assassinadas. Mulheres que não se calaram, nem durante a ditadura nem em tempos ditos democráticos. Suas perguntas ecoam até hoje, apesar dos avanços conquistados ao longo de décadas. Muitas não sabem sequer para onde foram levados seus entes queridos, nem como, nem quando, nem por quem. O livro conta as histórias destas mulheres e se destina a todos os que querem conhecer um pouco sobre o passado do país. O lançamento da obra acontece no dia 17 de março, às 19h, na Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500 - São Paulo / SP).

PublishNews, Redação, 05/03/2020

A perspectiva decolonial é uma das mais atuais e contestadoras linhas do pensamento feminista contemporâneo, reivindicando a desconstrução de leituras hegemônicas sobre a mulher e o discurso de feministas oriundas dos países historicamente dominantes e trazendo novos questionamentos sobre o problema do gênero, raça e classe. Para apresentar um panorama do pensamento decolonial feminista, o livro Pensamento feminista hoje: Perspectivas decoloniais (Bazar do Tempo, 384 pp, R$ 75) reúne trabalhos de 22 autoras que dimensionam essa fundamental contribuição para o debate atual. O volume organizado por Heloisa Buarque de Hollanda apresenta pensadoras pioneiras, como a nigeriana Oyèrónké Oyewùmí, que questiona os conceitos ocidentais de gênero a partir da experiência iorubá; a dominicana Yuderkys Espinosa Miñoso, que investiga a experiência histórica feminina na América Latina; e as brasileiras Luiza Bairros, que enfatiza a expressão do feminismo negro, e Maria da Graça Costa, que aponta para novas propostas, como o ecofeminismo.

“Poesia sempre foi o antídoto para o veneno da opressão”
Roberta Estrela D'Alva
slamer brasileira em entrevista para a Coluna Mônica Bergamo
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Especialista em pessoas
4.
Do mil ao milhão
5.
O milagre da manhã
6.
O poder da autorresponsabilidade
7.
Seja foda!
8.
Escravidão
9.
Os segredos da mente milionária
10.
Mindset
 
PublishNews, Redação, 05/03/2020

Clássico da teoria feminista, Eu não sou uma mulher? (Rosa dos Tempos / Record, 320 pp, R$ 39,90 – Trad.: Bhuvi Libanio) tornou-se leitura obrigatória para as pessoas interessadas nas questões relacionadas à "mulheridade" negra e na construção de um mundo sem opressão sexista e racial. Sojourner Truth, mulher negra que havia sido escravizada e se tornou oradora depois de liberta em 1827, denunciou, em 1851, na Women’s Convention no discurso que ficou conhecido como Ain’t I a Woman? que o ativismo de sufragistas e abolicionistas brancas e ricas excluía mulheres negras e pobres. A partir do discurso de Truth, que dá título ao livro, Hooks discute o racismo e sexismo presentes no movimento pelos direitos civis e no feminista, desde o sufrágio até os anos 1970. Além de examinar o impacto do sexismo nas mulheres negras durante a escravidão, a desvalorização da "mulheridade" negra, o sexismo dos homens brancos e negros, o racismo entre as feministas, os estereótipos atribuídos a mulheres negras, o imperialismo do patriarcado e o envolvimento da mulher negra com o feminismo, a autora pretende levar o pensamento do leitor além das suposições racistas e sexistas.

PublishNews, Redação, 05/03/2020

Em 2017, uma investigação de rotina na televisão levou o jornalista e ativista dos Direitos Humanos Ronan Farrow a uma história que corria silenciosamente pelos corredores de Hollywood: um dos produtores mais poderosos do cinema americano era um predador sexual, protegido pelo medo de suas vítimas, pelo dinheiro e por uma conspiração de silêncio. Quando Farrow se aproximou da verdade, agentes sombrios, de advogados caros a espiões de elite, montaram uma campanha de intimidação, ameaçando sua carreira, seguindo todos os seus passos e se valendo de uma história de abuso em sua própria família para atacá-lo. Tanto um thriller de espionagem quanto um meticuloso trabalho de jornalismo investigativo, Operação abafa (Todavia, 464 pp, R$ 59,90 - Trad.: Ana Ban, Fernanda Abreu e Juliana Cunha) traz novas revelações sobre uma das mais importantes reportagens da década. É a história das mulheres que ousaram desafiar homens como Harvey Weinstein, Matt Lauer, Donald Trump e tantos outros poderosos que corromperam a justiça.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.