Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 02/12/2019
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Redação, 02/12/2019

Entre os dias 30 de setembro e 03 de novembro, livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento monitorados pela GfK venderam 4 milhões de exemplares e faturaram R$ 160 milhões. Esses números indicam um fenômeno curioso: em comparação com igual período do ano passado, houve queda de 1,5% no número de exemplares vendidos, mas o faturamento cresceu 3,7%. Para alcançar esse resultado, houve uma queda nos descontos aplicados aos consumidores finais e consequente aumento de 5,3% no preço médio dos livros. A GfK destaca que a queda nos descontos aplicados ao consumidor final interrompe a tendência de elevação observada desde o início do ano. No acumulado do ano, há uma perda de 12,2% no volume e o faturamento apresenta queda de 9,2%. No entanto, há uma boa notícia aí (se é que dá para chamar isso de boa notícia): pela primeira vez, esse índice apresenta queda de menos de dois dígitos. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Quando o assunto é livraria, 2019 está sendo um bom ano para o bairro de Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. Já brotaram ali duas novas livrarias: a Travessa, na Rua dos Pinheiros, e a Mandarina, na Ferreira de Araújo. Mas não vai parar por aí. Ainda esse ano, deve abrir a Livraria da Tarde, na Cônego Eugênio Leite, formando um hexágono com a Livraria da Vila, a Plana e a Patuá (deixando de contar os inúmeros sebos da Pedroso de Morais e da Teodoro Sampaio). Pinheiros caminha para ser o bairro das livrarias da metrópole. Para entender os planos e aspirações da Tarde, o Podcast do PublishNews recebeu Monica Carvalho, proprietária do novo estabelecimento. Psicóloga de formação, empresária por vocação, Monica é novata no mercado livreiro. Ela conta que o desejo de abrir uma livraria era antigo, mas a decisão veio depois de uma viagem: “No ano passado, fiz uma viagem a Portugal e fui procurar uma farmácia em Lisboa e só encontrava livrarias e livrarias maravilhosas. Quando eu percebi isso, eu pensei: o universo está me dizendo alguma coisa e vi que era o momento de realizar esse sonho”. O Podcast trouxe ainda uma breve entrevista com Fernanda Diamant, curadora da Flip 2020, que falou um pouco dos motivos de sua escolha em homenagear Elizabeth Bishop. Clique no Leia Mais para ouvir o episódio.

PublishNews, Henrique Rodrigues, 02/12/2019

Confesso que não consigo mais acompanhar o que está acontecendo. E quem consegue? Num intervalo de poucas horas surge uma notícia, a qual é rapidamente debatida, cujas opiniões pululam com tal celeridade, como se todos tivessem nos bolsos comprimidos efervescentes sobre quaisquer assuntos, prontos a jogar no copo de água das redes sociais numa instantânea e imensa sopa de chiados. Daí que, lento que sou, ao ter algo a dizer sobre determinado fato, descubro que o assunto já caducou, é notícia velha, feito a crônica impressa que, no dia seguinte, estaria embrulhando o peixe da feira ou no fundo da gaiola, recebendo uma titicada à guisa de crítica. É por isso que não sei se, dias depois de tantas análises acerca da autora homenageada da Flip 2020, este ainda é um tópico válido ou embolorado, já substituído por outro, atualíssimo, prato do dia. Mas vamos lá. Até semana passada, nunca tinha ouvido ninguém dedicar uma linha contra Elisabeth Bishop. Pelo contrário, é um nome bastante reverenciado pelo meio literário brasileiro, especialmente pelas nossas pequenas elites do setor. Nunca me interessei muito por essa autora, sou mais da linha da Gabriela Mistral, que também viveu no Brasil – talvez por estar ligada à educação. Mas ninguém pediu minha opinião e essa comparação é, convenhamos, bem arbitrária. Sigamos. Também não concordo com a escolha da homenagem à Bishop na Flip, por vários motivos. Pelo lado curatorial, quebra-se a coesão do próprio evento em homenagear brasileiros. Pelo aspecto literário, Bishop não é tão relevante quando pensamos em termos de país. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta coluna.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

O secretário Especial da Cultura, Roberto Alvim, segue com as mudanças que vem fazendo na área cultural do governo com a troca de comando da Biblioteca Nacional. Ao que tudo indica, o escolhido é o seguidor de Olavo de Carvalho, Rafael Alves da Silva - que se apresenta como Rafael Nogueira – que deverá substituir Helena Severo. Em resposta, a até então presidente da BN escreveu uma carta para Alvim na qual colocou seu cargo à disposição. No documento, que pode ser lido na íntegra clicando aqui, Severo diz que para ela, foi motivo de perplexidade ter tomado conhecimento da sua substituição através da imprensa, sem qualquer comunicação dos órgãos competentes, como manda o protocolo. “Não posso concordar com a forma desrespeitosa com que esse processo de mudança vem sendo conduzido”, disse. Até o fechamento desta edição, não havia confirmação nem data de nomeação de Nogueira ao cargo. O Painel das Letras também repercutiu a escolha do novo presidente da Biblioteca Nacional. “Rafael quem?”. Assim foi recebido o nome de Rafael Nogueira nos bastidores da cerimônia do prêmio Jabuti na última quinta. Segundo pesquisa feita no evento por Bruno Molinero, o autoproclamado “aspirante a filósofo” era um completo desconhecido no maior prêmio literário brasileiro. Na última sexta, o PublishNews noticiou que a Magazine Luiza fez proposta para ficar com a Estante Virtual, marketplace de venda de livros comprada pela Livraria Cultura no final de 2017. Para a coluna da Babel, a assessoria de imprensa da Magalu confirmou que a empresa poderá sim adquirir a Estante. “A Estante Virtual é um ativo da Livraria Cultura e, como parte do Processo de Recuperação Judicial da empresa, que está em andamento, há intenção de vendê-lo. Se determinadas condições forem cumpridas e o juiz competente aprovar, o Magazine Luiza poderá adquirir a Estante Virtual — após publicação de edital e transcorrência dos prazos legais”. Clique no Leia Mais para ler a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Pelo segundo ano consecutivo, as livrarias Leitura, Cultura, da Vila, Curitiba e Saraiva, junto com a Associação Nacional de Livrarias (ANL), convidam o público para o movimento #VemPraLivraria. A campanha tem como objetivo incentivar as pessoas a procurarem as livrarias e engajar todos que gostam de ler e novos leitores a dar um livro como presente. Quem quiser se juntar à causa é só usar a hashtag da ação nas redes sociais e para engajar as pessoas a ocupar as livrarias e declarem seu amor pelos livros, a ação conta com uma série de iniciativas. Nas livrarias físicas, as pessoas vão poder interagir com movimento por meio de um painel instalado em cada um desses espaços e que vai permitir que o público declare seu amor pela literatura, livros e livrarias. Já no meio digital, o público vai poder aplicar em sua imagem de perfil no Facebook a hashtag, que ficará disponível nas páginas proprietárias de cada livraria participante. No Instagram, as marcas vão incentivar o público a contar histórias com seus livros preferidos, autores e momentos nas livrarias, usando a hashtag. As artes, disponibilizadas gratuitamente pelo movimento, podem ser baixadas pelo site da ANL.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Nesta terça-feira, Conceição Evaristo se torna cidadã paulistana | Divulgação JabutiMineira radicada no Rio de Janeiro, Conceição Evaristo se torna, nesta terça-feira (03), cidadã paulistana. O reconhecimento veio a partir da proposta do vereador Eduardo Suplicy (PT /SP), que justificou: “temos em Conceição Evaristo um símbolo que se aproxima de outro grande expoente da literatura nacional, nascida em São Paulo, em condições semelhantes à da escritora mineira, a aclamada Carolina Maria de Jesus. Por esses e outros diversos motivos que ligam a história de Conceição Evaristo a nossa tão diversa e cultural cidade, consagramos definitivamente essa escritora como cidadã paulistana". A cerimônia de outorga de título de cidadã paulistana acontece às 19h30, no Auditório 1º de Maio da Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 – Bela Vista).

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Em 2019, o Prêmio IPL – Retratos da Leitura chega a sua 4ª edição, mantendo o seu objetivo inicial: reconhecer, valorizar e difundir projetos exitosos de fomento à leitura. A cerimônia que marcará a entrega dos troféus está marcada para a próxima quarta-feira (04), a partir das 18h15, na Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500 – São Paulo / SP). Este ano, 216 projetos de fomento à leitura, de 23 estados brasileiros e do Distrito Federal foram inscritos. Dos 216, 42 foram selecionados como finalistas e estão distribuídos em quatro categorias: Bibliotecas, Cadeia Produtiva, Mídia e Organizações Sociais Civis. Cada uma das categorias terá três ganhadores. Clique no Leia Mais para conferir os finalistas.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

O Instituto de Leitura Quindim se juntou com a Dedeka, grife de roupas infantis, para lançar uma coleção assinada pelo ilustrador Roger Mello. O traço e as cores saturadas que levaram o artista a se tornar um dos ilustradores mais reconhecidos no mundo agora estamparão pijamas, acessórios para bebês e camisetas infantis. As ilustrações que o artista fez para o livro Jardins (Global), com poemas de Roseana Murray, inspiraram o projeto. Pássaros como o araçari, flores como o embiruçu e o mulungu trazem os jardins espontâneos do Brasil, uma paisagem narrativa de nossos contos originários, trazendo acalantos de amor à nossa biodiversidade, na natureza e na poesia. As peças podem ser compradas no e-commerce da Dedeka, em lojas multimarcas e, é claro, no próprio Instituto de Leitura Quindim, em Caxias do Sul/RS. Parte da renda arrecadada com a venda das peças será destinada ao Instituto.

“O destino da literatura me persegue”
Conceição Evaristo
Escritora brasileira
1.
Como fazer amigos e influenciar pessoas
2.
A sutil arte de ligar o foda-se
3.
Enfodere-se!
4.
Escravidão
5.
Como fazer amigos e Influenciar pessoas - Edição comemorativa 80 anos
6.
Essa gente
7.
A garota do lago
8.
Mais esperto que o diabo
9.
Seja foda!
10.
O poder da autorresponsabilidade
 
PublishNews, Redação, 02/12/2019

Assustado e pesaroso diante do espetáculo de adesão crescente das massas populares às organizações nazistas, na Alemanha e na Áustria dos anos 1930, o então jovem escritor Elias Canetti passou as três décadas seguintes tentando decifrar os segredos profundos da humanidade em suas manifestações mais corriqueiras e terríveis: mandar e obedecer; matar e sobreviver; medo e voracidade; paranoia e poder. O resultado dessa obsessão é Massa e poder (Companhia das Letras, 624 pp, R$ 59,90 – Trad.: Sérgio Tellaroli), obra-prima do ensaísmo, que une descrição narrativa a diversas áreas do saber — entre elas, a antropologia, a psicanálise, a história das religiões e a ciência política — e destrincha de modo singular a propagação do mal na contemporaneidade.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Em Dicionário amoroso da psicanálise (Zahar, 360 pp, R$ 89,90 – Trad.: André Telles), Elisabeth Roudinesco abandona sua abordagem acadêmica habitual para dar livre curso a encadeamentos inéditos. Em vez de conceitos, atores ou países, o leitor encontra temas, palavras, ficções e territórios reunidos de modo arbitrário e pessoal, além de citações, remissões e um índice onomástico. Cruzando cidades e museus, personagens, poemas e romances que lhe são familiares ou que aprecia em particular, Roudinesco adota o método intuitivo para esclarecer ao leitor como a psicanálise alimentou-se de literatura, cinema, teatro, viagens e mitologias para se tornar uma cultura universal. De Amor a Zurique, passando por Animais, Cidades brasileiras, O Segundo Sexo, Hollywood, David Cronenberg, Jesuítas, Sherlock Holmes, Marilyn Monroe, Paris, Felicidade, Psiquê, Leonardo da Vinci e muito mais -, o livro reúne uma vastidão de experiências e palavras.

PublishNews, Redação, 02/12/2019

Grandes líderes, pensadores, artistas, atletas e visionários têm uma característica em comum: a capacidade de alcançar a quietude. Cínicos às vezes a confundem com ociosidade e indecisão, mas a verdade é que a quietude é a chave para ter autodomínio, disciplina e foco. É impossível avançar na vida sem ela. A quietude ajuda as pessoas a controlar impulsos, evitar distrações e ter grandes ideias. Sobretudo, permite que encontrem a felicidade e façam a coisa certa.Com base em vários dos maiores pensadores da história, Ryan Holiday mostra em A quietude é a chave (Intrínseca, 288 pp, R$ 39,90 – Trad.: Maria Luiza X. De A. Borges) o que é a quietude e como ela pode ser alcançada. Além disso, apresenta figuras célebres que tiraram dela o maior proveito, como Winston Churchill, que, ao alternar sua agitada vida pública com períodos assentando tijolos e pintando, conseguiu salvar o mundo da aniquilação. O autor participará de uma palestra Craft Talks, no dia 7 de dezembro, às 16h, no Centro Rebouças (Av. Rebouças, 600 - São Paulo / SP).

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.