Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 08/11/2019
A Transporte Executivo Luiz Henrique Pinho oferece serviço de transporte para autores e colaboradores no Rio de Janeiro. Já atende editoras como Sextante e Intrínseca.
Tradutor Editorial (ING-PT), especialista em textos de não-ficção, sobretudo em temas ligados à aeronáutica, história militar, humanidades e ciências sociais. Trabalha para diversas editoras como tradutor e copidesque.
Com mais de 25 anos de experiência, a Claro e Ponto Assessoria em Produção de Textos oferece serviço de revisão e preparação para diversos gêneros textuais. Também trabalhamos com redação e edição de textos publicitários e jornalísticos.
PublishNews, Redação, 08/11/2019

Manuela D’Ávila foi a candidata a vice-presidente da chapa encabeçada por Fernando Haddad nas últimas eleições presidenciais. Agora, ela acaba de lançar o livro Por que lutamos? (Planeta). O livro alcançou nessa semana a posição de número cinco da Lista de Não Ficção, com 956 cópias vendidas. No livro, Manuela defende um “feminismo através do olhar amoroso, da acolhida generosa e do entendimento”. E ela não é a única estreante em Não Ficção da semana. Na 18ª posição, aparece A filosofia explica Bolsonaro (LeYa), de Paulo Ghiraldelli Junior. Foram 355 exemplares vendidos. A terceira e última novidade da semana apareceu em Infantojuvenil: O grande livro de ciências do Manual do Mundo (Sextante), com 465 exemplares vendidos, número suficiente para colocá-lo em 13º lugar. Clique no Leia Mais para conferir outros detalhes da Lista dessa semana e também para saber quais seriam os vencedores do Prêmio PublishNews se a entrega fosse hoje.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

A Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin (BBM - Rua da Biblioteca, 21, Cidade Universitária - São Paulo / SP) da USP realiza, no dia 13 de novembro, às 14h30, o evento de lançamento da plataforma interativa Atlas dos viajantes no Brasil. O novo site irá permitir que os usuários acessem os conteúdos da biblioteca – assim como os relatos e imagens produzidos por viajantes, brasileiros e estrangeiros, que percorreram o país entre o século XVI e início do século XX – de diversas maneiras. Será possível, por exemplo, acompanhar a rota percorrida por um viajante específico, comparar informações sobre um local determinado produzidas por dois ou mais viajantes, filtrar informações por assuntos e temas do seu interesse, entre outras possibilidades. “O objetivo do Atlas dos viajantes no Brasil foi justamente recolher e organizar esses materiais para em seguida criar uma forma enriquecedora e estimulante de divulgá-los para estudantes, professores, pesquisadores e interessados em geral”, explica João Cardoso, curador da BBM. Inicialmente foram criadas e disponibilizadas as rotas de sete viajantes. Depois dessa primeira fase, o Atlas continuará sendo alimentado com novos conteúdos e outras etapas do projeto serão implementadas. Após o evento de lançamento no dia 13, que contará com uma roda de conversa sobre as possibilidades de uso da ferramenta em pesquisa e em sala de aula, a plataforma será liberada ao público e poderá ser acessada e utilizada pelo endereço Viajantes.bbm.usp.br.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

Entre hoje e amanhã, a Feira do Livro de Porto Alegre, que chegou a sua edição de número 65, abriga a 2ª edição do Panorama sobre Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas: onde estamos e para onde vamos?, promovido pelo Instituto de Leitura Quindim. O evento acontece das 10h às 18h no auditório do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs - Praça da Alfândega, s/n). O encontro está dividido em três eixos: políticas públicas, mercado editorial e promoção da leitura e da escrita. O objetivo principal é reunir pessoas e entidades que possam discutir o cenário atual sem perder o olhar no horizonte indicando possíveis caminhos e formas de repensar toda a estrutura que envolve o “ecossistema do leitor”. A deputada federal Fernanda Melchiona, vice-presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Livro, da Leitura e da Escrita; Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre); Ricardo Costa, CEO da Metabooks e representante da Feira do Livro de Frankfurt no Brasil; Rosana Rios, presidente da Associação de Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (Aeilij) e o escritor Eduardo Bueno (Peninha) são alguns que passarão pelo palco do evento. Para conferir a programação completa, clique aqui.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

A Sesi-SP Editora, que publica livros nas áreas de cultura, educação, esporte, nutrição e saúde, está à procura de um editor temporário. A editora pede que os candidatos tenham ensino superior completo em Produção Editorial; Física, Química, Biologia (Ciências da Natureza) ou áreas correlatas e experiência anterior com edição de materiais didáticos. As principais funções do cargo incluem: editar o conteúdo dos materiais didáticos impressos e digitais; coordenar todas as etapas da produção editorial; analisar e validar as provas; organizar e monitorar as pautas de imagem e texto, as remissões e referências; e intermediar a resolução de pendências e dúvidas entre os agentes do processo produtivo. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail mariane.oliveira@sesisp.org.br.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

O presidente da República decidiu nomear Roberto Alvim para liderar a Secretaria Especial da Cultura, órgão agora ligado ao Ministério do Turismo. O dramaturgo conseguiu se tornar nacionalmente conhecido ao se envolver em repetidas polêmicas, como quando convocou “artistas conservadores” a criarem uma "máquina de guerra cultural” e ao chamar a atriz Fernanda Montenegro, tida como um patrimônio cultural brasileiro, de “sórdida”. O Diário Oficial desta sexta-feira trouxe também a transferência de importantes órgãos da Cultura para a pasta do Turismo, incluindo a Fundação Biblioteca Nacional e a Fundação Casa de Rui Barbosa.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

O Rio de Janeiro recebe, neste final de semana, o primeiro Viradão Cultural Suburbano. Idealizado pelo escritor Philippe Valentim e por coletivos culturais, o evento pretende movimentar 20 bairros da região com 36 horas de programação ininterruptas de atividades culturais gratuitas, divididas entre às 10h do dia 9 e às 19h do dia 10. O Viradão contará com mesas, debates, muito samba, rodas de conversas com autores, batalha de slam, oficinas infantis e literárias e lançamentos de livros. O objetivo do evento é dar visibilidade à potencialidade criativa do povo do subúrbio do Rio de Janeiro e irá homenagear duas personalidades cariocas: Dona Ivone Lara, primeira mulher a compor um samba enredo, e Paulo da Portela, que, assim como Dona Ivone, foi figura destacada na luta contra o preconceito ao samba. A programação completa do evento, assim como os endereços de cada uma das atividades você encontra clicando aqui.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

O IV Fórum Nacional sobre a Formação e a Atuação Profissional do Revisor de Textos está marcado para acontecer nos dias 13 e 14 de novembro, em Belo Horizonte. A programação contará com mesas redondas compostas por especialistas de diferentes instituições brasileiras. Estão confirmadas as presenças de Sônia Queiroz (UFMG), Sírio Possenti (Unicamp), Luciana Salgado (UFSCar), Maíra Avelar (Uesb), Marcos Marcionillo (Parábola Editorial), entre outros. Nas sessões de comunicação, profissionais da área e pesquisadores apresentarão relatos e análises sobre temas como a identidade laboral, a formação dos revisores, a atuação em âmbitos específicos, interfaces com outras profissões e questões de linguagem aplicadas à revisão. Além disso, haverá também oficinas sobre revisão de textos e lançamento de livros relacionados ao tema. A programação completa do evento você confere clicando aqui. Já as inscrições podem ser feitas presencialmente na data do evento.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

Em Herói mutilado (Intrínseca, 400 pp, R$ 94,90), a jornalista Laura Mattos segue a trajetória de uma obra que foi censurada como peça de teatro em 1965, teve uma primeira versão como novela proibida em 1975 e, quando finalmente foi ao ar, dez anos depois, sofreu seguidos cortes. Quando estreou, em 1985, ano da saída dos militares do comando do país, a novela Roque Santeiro conquistou a maior audiência da história da televisão brasileira. A obra de Dias Gomes, sobre o mito de um falso herói, experimentou as mais variadas formas de repressão durante a ditadura, com uma trajetória ímpar. Ao revelar os bastidores da censura à TV na ditadura, a autora registra como o aparato legal usado pelos militares foi o mesmo aplicado durante os anos democráticos entre o final da Era Vargas e o golpe de 1964, prova de que esse mal não é exclusividade de regimes de exceção. A pesquisa se apoia em cerca de duas mil páginas de documentos oficiais produzidos durante a ditadura, além do acervo pessoal de Dias Gomes, que inclui cartas e um diário até hoje inédito.

“Não há um amigo tão leal quanto um livro”
Ernest Hemingway
Escritor americano (1899-1961)
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
DNA milionário
3.
Do mil ao milhão
4.
Mais esperto que o diabo
5.
O poder da autorresponsabilidade
6.
O milagre da manhã
7.
Escravidão
8.
Seja foda!
9.
Prólogo, ato, epílogo
10.
Luccas Neto em "Os aventureiros"
 
PublishNews, Redação, 08/11/2019

Após o golpe militar de 1964, recursos diplomáticos foram mobilizados com a finalidade de assegurar a legitimidade do novo regime e, durante muito tempo, prevaleceu a versão de que a diplomacia brasileira não se envolveu nas arbitrariedades da ditadura. Em 2011, no entanto, a Lei de Acesso à Informação possibilitou o acesso aos acervos documentais da época e o mundo secreto do Itamaraty estava então desprotegido. O historiador Paulo César Gomes, que atuou como pesquisador na Comissão da Verdade, debruçou-se sobre esse material e cruzou com informações do próprio governo francês. O resultado está no livro Liberdade vigiada (Record, 560 pp, R$ 74,90). A obra examina de que forma as práticas repressivas que caracterizaram esse período da história brasileira, bem como as denúncias de tais práticas no exterior, influenciaram as relações entre os dois países.

PublishNews, Redação, 08/11/2019

Em A ordem do dia (Tusquets, 144 pp, R$ 41,90 - Trad.: Sandra M. Stroparo), o autor Eric Vuillard narra de forma crua, direta e irônica, sem rodeios ou meias-palavras, os bastidores de dois dos momentos-chave da Segunda Guerra Mundial: o apoio dado pelos maiores industriais da Alemanha a Hitler e a anexação da Áustria ao Reich. 20 de fevereiro de 1933. Em um dia como outro qualquer em Berlim, os grandes líderes da indústria alemã se reúnem com os maiores dirigentes do Partido Nazista. Na pauta, a decisão de investir ou não na campanha de Hitler e seus companheiros pelo poder do país. 12 de março de 1938. A anexação da Áustria ao Reich é iminente. Um dia repleto de situações e personagens por vezes grotescos e ridículos, prestes a entrar para a história. Nos jornais, pipocam as imagens inéditas de um grande exército motorizado, símbolo de um poder inaudito e da modernidade de uma nova guerra. Por trás da glória apregoada pela propaganda de Goebbels, a verdade que se esconde nos bastidores mostra um desenrolar dos fatos muito menos gloriosos: no lugar da força de vontade e da determinação de um povo pretensamente destinado à grandeza, surge uma combinação de intimidação e puro blefe.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 08/11/2019
 
©2001-2019 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.