Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 08/02/2019
Aldeia dos Livros oferece serviços que vão desde a revisão de textos em geral; tradução do inglês e espanhol; copydesk; pareceres; contatos com editoras; eventos nacionais e internacionais; criação de capas de livros, branding e coaching criativo para autores.
HiDesign Estúdio é um estúdio editorial focado em design. Entre os trabalhos oferecidos pelo estúdio estão: capas, projetos gráficos, diagramação e ilustração para projetos de editoras e autores independentes.
A Beluga Editorial presta diversos serviços de produção do livro, incluindo revisão, copidesque, diagramação, capa e projeto gráfico. Atendemos tanto editoras quanto autores.
PublishNews, Leonardo Neto, 08/02/2019

Igor, Gabriela, Letícia e Malu | © DivulgaçãoTextos cruéis demais para serem lidos rapidamente (Globo Alt) foi o livro de Ficção mais vendido no ano passado, segundo a nossa apuração. Foram mais de 110 mil cópias vendidas ao longo de 2018. Nessa semana, o coletivo por trás do livro lança um segundo tomo: Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: Onde dorme o amor (Globo Alt), que acaba de estrear na Lista dos Mais Vendidos, ocupando a posição de número 12 da categoria. Foram 583 exemplares vendidos na sua estreia. O volume traz uma coletânea de textos inéditos escritos por Igor Pires, Leticia Nazareth, Gabriela Barreira e Malu Moreira com ilustrações de Júlio Almeida. Agora é esperar para ver se o segundo volume bate as vendas do primeiro, cujos números seguem muito bem, obrigado. Em 2019, já foram 8.746 exemplares vendidos; quarto lugar da incipiente lista anual na categoria Ficção. No geral e na comparação com a semana passada, os números de vendas apresentaram queda de 11%. Infantojuvenil (-26%) foi a categoria que mais padeceu. Paradoxalmente, é dela que vieram outras duas novidades do período. O selo Usborne, da Nobel, emplacou duas novidades: Histórias para os mais novinhos, na 18ª posição, com 329 cópias vendidas, e Meu livrão musical: Teclado, na 20ª, com 290. A coragem de não agradar (Sextante) completa o time de estreantes da semana. Foram 447 cópias vendidas, número suficiente para colocá-lo na 14ª posição da Lista de Autoajuda. Clique no Leia Mais e confira outros destaques da lista dessa semana.

PublishNews, Henrique Rodrigues, 08/02/2019

Por que os prêmios literários, com sua natureza excludente, de peneira, são tão desejados ao mesmo tempo em que são constantemente passíveis de questionamento? Se por um lado os prêmios voltados para autores já consagrados e com muitos quilômetros rodados não escapam de tretas, como ficam aqueles que podem ser as primeiras oportunidades de publicação? Os concursos literários sempre foram uma oportunidade de sair do anonimato, mesmo porque o acesso à produção cultural, em todas as suas manifestações, sempre esbarrou um muro quase intransponível para artistas brasileiros. A cada ano me espanto com o volume de livros submetidos ao Prêmio Sesc de Literatura, voltado apenas para contistas e romancistas inéditos e cujo troféu é a publicação pela Record e um circuito literário pelo país. Enquanto escrevo, com as inscrições abertas, já passam dos mil volumes enviados. Pensando friamente, é uma chance contra centenas. Há uma infinidade de concursos literários voltados para inéditos, outros que aceitam livros de autores já publicados. Os prêmios literários devem existir em quantidade proporcional ao volume de pessoas interessadas neles. No caso daqueles voltados aos já publicados, que prevaleça a qualidade do texto antes de tudo. Já naqueles para iniciantes, que sejam um início e não um fim, para que não morram na praia. Em ambos os casos, é preciso haver critérios bem definidos nos editais. Clique no Leia Mais e confira a íntegra da coluna de Henrique Rodrigues. 

PublishNews, Redação, 08/02/2019

Telma Kobori | © DivulgaçãoCom passagens por editoras como Ibep, Saraiva e Ática Rodrigo Novaes de Almeida deixou a edição de livros didáticos e para ser o novo editor de ficção e não ficção na editora Estação Liberdade. Rodrigo começou no novo cargo no início do ano e continua à frente da Revista Gueto. Já Telma Kobori (na foto ao lado), com passagens em editoras como a Planeta, Ediouro, DCL e que deixou o cargo de gestão de projetos e comercial na Brinque-Book em novembro passado, agora faz parte agora do time da Autêntica. Na nova casa ela irá gerenciar o catálogo de livros infantil e juvenil com foco em escolas, clube de leitura e projetos especiais. A editora não tinha, ainda, um departamento de divulgação em escolas particulares, a partir de agora com a contratação de Telma a Autêntica espera conseguir mais participação nas adoções escolares e ampliar sua produção editorial. E depois de sua saída da Melhoramentos, onde trabalhou por quase 20 anos, Marco Antônio Garcia foi para a V&R onde atuava como consultor para projetos especiais. Agora, ele assume o cargo de diretor editorial e de arte da editora argentina no País.

PublishNews, Redação, 08/02/2019

A Disal abriu uma vaga para auxiliar de logística. A empresa pede que os candidatos tenham experiência mínima de seis meses nas áreas de logística e expedição, ensino médio completo e disponibilidade para início imediato. Conhecimento em WMS será um diferencial. Dentre as principais funções do cargo estão a separação de pedidos, reposição de materiais nas prateleiras, organização do estoque, acesso ao sistema integrado para consulta de livros disponíveis no estoque, empacotamento de livros e recebimento e conferência de pedidos e material. Interessados devem enviar currículos para o e-mail suporte.rh@disal.com.br.

PublishNews, Redação, 08/02/2019

© Renan LimaEstimular o prazer da leitura. Esse é o objetivo do Verãozinho dos Livros, evento que acontece nesse fim de semana (9 e 10), no Estação NET Rio, (Rua Voluntários da Pátria, 35 - Rio de Janeiro / RJ), das 10h às 14h. Realizado pela Liga Brasileira de Editores (Libre), Livraria Blooks e Estação Net Cinema, o evento terá uma programação com brincadeiras, oficinas de musicalização e de sonorização, teatro e comidas, no saguão do cinema, além de uma feira de livros. Também ocorrerão sessões dos filmes Como treinar o seu dragão 3 e WiFi Ralph, às 12h, com ingressos promocionais. No sábado, às 10h30, a atração da festa será a encenação de Verão da bicharada, com Rosana Mont'Alverne. O domingo contará com uma oficina de musicalização, às 10h, que convidará os participantes a tirarem sons de objetos de uso cotidiano. Às 10h30, a psicopedagoga e blogueira Isabella Zappa conversará com os pais sobre como escolher livros para as crianças. Depois, às 11h30, na oficina de sonorização, o desafio será a criação de uma trilha sonora. “Nosso Verãozinho é um convite para a família mergulhar no prazer da leitura e das boas histórias. Como na Primavera Literária, a ideia também é aproximar o editor do público leitor, dando mais visibilidade às editoras independentes e à nossa bibliodiversidade”, conta Raquel Menezes, presidente da Libre. Editoras como Pinakotheke, Memória Visual, Editora 34, Pallas, Pallas Mini, Grupo Autêntica, Semente Editorial, Bambolê, Editora Piu, Outras Letras, Oficina Raquel, Polén, Ibis Livros e Aletria participam do evento.

PublishNews, Redação, 08/02/2019

Daniel Jonas publicou nove livros de poemas que cedo lhe conferiram prêmios importantes em Portugal, seu país natal, e na Europa. Ele é também tradutor. Sua obra mais conhecida nesse campo é a versão para o português de Paraíso perdido, de Jonh Milton. Os fantasmas inquilinos (Todavia, 256 pp, R$ 69,90), seleção feita pelo poeta e músico Mariano Marovatto, cobre a carreira de Daniel Jonas, apresentando poemas publicados em livros desde 2005, e serve como a melhor introdução a sua poesia. Lírica, meditativa e intensa na apreciação dos afetos, da vida nas cidades e da própria atividade poética, a obra do poeta português tem um quê de clássico. Se, por um lado, parece continuar com voz bastante distinta a poesia de Fernando Pessoa e outros grandes líricos de seu país, por outro traz uma nova tonalidade à poesia de língua portuguesa, talvez resultado do intenso intercâmbio do autor com a língua inglesa.

PublishNews, Redação, 08/02/2019

No caminho do nada (Kazuá, 100 pp, R$ 40), segundo livro de Leandro Marçal, é um romance que narra a trajetória de Marcelo, um protagonista angustiado com o abandono do pai, a mãe que odeia, um relacionamento recém-terminado e um trabalho entediante. Um homem contemporâneo, em crise com sua própria identidade. A trama mostra uma busca de identidade constante dele, em meio a acessos de ansiedade e depressão. O autor trabalha os personagens com delicadeza dolorosa, sem perdoá-los por seus erros, sem mantê-los protegidos de suas angústias, ansiedades e desejos. Densa, No caminho do nada busca causar o mesmo desconforto do personagem principal em cada um de seus leitores.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 08/02/2019
“Um livro é como um jardim para se carregar no bolso.”
Provérbio Chinês
-
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
O milagre da manhã
3.
Me poupe!
4.
Seja foda!
5.
O poder da ação
6.
Os segredos da mente milionária
7.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
8.
Aprendizados
9.
Prisioneiros da mente
10.
O poder do hábito
 
 
©2001-2019 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.