Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 21/08/2018
Somos uma agência com experiência no mercado editorial e especializada em assessoria de imprensa e na produção de eventos destinados à conexão entre profissionais de diversas áreas.
Um agregador digital como a Bookwire, com tecnologia de ponta, informações ágeis e um painel de controle completo é fundamental para o sucesso de sua editora e de seus e-books. E agora toda esta tecnologia está disponível no Brasil.
Adaptamos seu valioso conteúdo para o universo digital com tecnologia de nível mundial. Na Hondana, o seu conteúdo é tratado da maneira que merece.
PublishNews, Redação, 21/08/2018

Otavio Frias Filho | © Agência Senado / Geraldo MagelaMorreu nesta terça-feira, aos 61 anos, Otavio Frias Filho, diretor de redação do jornal Folha de S.Paulo. O jornalista lutava desde o ano passado contra um câncer no pâncreas. À frente do jornal há 34 anos, Otávio foi o mentor do Projeto Folha, que modernizou o jornalismo brasileiro na década de 1980 e criou o Manual de Redação, que prega um texto mais descritivo, rigoroso e impessoal. Otavio Frias lançou seis livros, dentre eles Seleção natural (Publifolha) e Queda livre (Companhia das Letras), no qual ele narra as sete "investigações participativas" que o levaram a experiências radicais: saltar de paraquedas, tomar o chá alucinógeno do Santo Daime na Amazônia, viajar num submarino, atuar numa peça de teatro, peregrinar pelo caminho de Santiago, explorar o mundo do sexo transgressivo e aproximar-se do suicídio.

PublishNews, Pedro Almeida, 21/08/2018

Terminada a 25ª Bienal Internacional do Livro de SP, muita gente da indústria editorial sentiu que voltou a respirar. O evento renovou o ânimo do mercado. Com o país mergulhado em crise, ver o tanto de gente que frequentou a feira em seu último sábado teve um efeito positivo e pode ser capaz de nos fazer enxergar novos caminhos. O público era composto, em grande maioria, por jovens, que não foram por excursões escolares, mas por interesse individual. A bienal encontrou seu ponto alto no grande número de eventos voltados à massa de seus frequentadores. Mas eu queria aproveitar o mote para ampliar essa discussão. Muitas pessoas, incluindo ativistas da educação e cultura, realizam inúmeros projetos focados na formação de leitores, mas não alcançam os melhores resultados e, muitas vezes, não entendem o motivo. Num dos debates realizados na bienal, uma mãe, professora da rede estadual, que estava na plateia acompanhando a filha, teceu comentários muito interessantes e reveladores. Trago aqui minha análise do que pude apreender com as questões ali levantadas e que pode ser útil na atividade de formar, de fato, mais leitores.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

Best-seller alemão que já vendeu mais de 100 mil exemplares, o romance histórico Mademoiselle Chanel e o cheiro do amor foi comprado em pre-empt pela Tordesilhas. A obra narra um período ainda misterioso da vida de Coco Chanel. Na efervescente Paris de 1919, no ápice de sua carreira, Gabrielle sofre um revés: seu amante morre num acidente. Muitos temem que ela não consiga mais produzir, mas Chanel se renova com um projeto que lhe devolve a vontade de viver: a criação de um perfume que sintetize uma fragrância misteriosa e moderna, a combinação de muitos elementos, o cheiro do amor. Ao mesmo tempo em que se abre novamente para a vida, Gabrielle cria o Chanel N° 5, que se tornou o perfume mais famoso do mundo. O livro chega às livrarias em setembro com uma surpresa na capa: ela terá um cheiro especial.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

A 25ª Feira Internacional do Livro de Pequim, a maior da Ásia, acontece esta semana, de 22 a 26 de agosto e terá áreas dedicadas à publicação digital, viagens, livros infantis e gastronomia. Com oito salas abrangendo 97,7 mil m², a Feira de Pequim espera receber mais de 2.500 editoras de 93 países, dentre eles o Brasil, que fará parte de um coletivo de 15 editoras sul-americanas que estarão na feira. Pela primeira vez este ano, a feira contará com uma área dedicada às publicações infantis e a área dedicada às publicações digitais também foi aumentada, já que segundo pesquisas, 68% dos leitores chineses preferem ler no formato digital. Já a exposição Reading to Living apresenta livros de viagens e turismo sobre destinos globais que são populares entre os viajantes chineses. Como a China também é maior comprador no mundo dos livros estrangeiros de comida e vinho traduzidos, a feira também terá uma área especial dedicada ao assunto e eventos que mostrarão o melhor dos alimentos e bebidas dos países participantes. A Feira de Pequim acontece no China International Exhibition Centre (Shunyi) e é organizada pela Corporação Nacional de Importação e Exportação de Publicações da China (Group).

PublishNews, Redação, 21/08/2018

A França tem uma regulamentação especial que tem como objetivo declarado a preservação de suas livrarias independentes. Foi de olho nesse modelo que livreiros portugueses independentes de Lisboa, Aveiro e Sines se reuniram em uma nova associação que pede a intervenção estatal para protegê-los das grandes redes varejistas do livro, em especial a Bertrand, Fnac e Grupo Sonae (Continente). Os independentes reclamam que a Lei do Preço Fixo, em vigência no país, não tem conseguido, sozinha, proteger as pequenas livrarias de rua. "O fim das livrarias pode vir a verificar-se se o Estado não intervier, apoiando-as ativamente e corrigindo os atuais desequilíbrios de mercado”, disse ao diário Público o livreiro Vitor Rodrigues, da Leituria, situada na zona de Estefânia na capital portuguesa. "Na minha opinião, os problemas devem-se à inoperância da Lei do Preço Fixo, e aos problemas imobiliários que expulsam livrarias e alfarrabistas de locais decentes para o comércio", acrescentou. Pela lei portuguesa, as livrarias só podem fazer saldões durante 25 dias por ano. Segundo os integrantes da nova associação, essa regra não tem sido respeitada pelas grandes redes, que tem ofertado descontos maiores do que o preço de custo, indicando uma possível prática de dumping.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

Nilton Bonder | © Fernando RabeloO Sempre um Papo recebe logo mais, às 19h30, no auditório da Cemig (Rua Alvarenga Peixoto, 1.200, Santo Agostinho – Belo Horizonte / MG), o escritor e rabino Nilton Bonder para um debate e o lançamento do livro Alma & política (Rocco). A obra fala sobre o lugar da política na evolução humana e o sectarismo presente no cenário político atual, no Brasil e no mundo, a partir da sabedoria judaica. Traçando um paralelo entre dois antigos conceitos da tradição judaica – Mekil, mais brando e flexível, e Machmir, mais intransigente – e as duas linhas preponderantes de pensamento político – Democrata e Republicano –, Bonder afirma que cada indivíduo possui uma “alma” predominantemente Democrata ou Republicana. O objetivo do livro é justamente examinar as maneiras como essa alma se inclina para um ou outro lado e buscar os caminhos para que essas inclinações que dividem a humanidade entre conservadores e liberais, direita e esquerda não se radicalizem a ponto de impedir o respeito e a convivência harmoniosa entre pessoas que pensam de formas diferentes.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

Casa das Rosas | © André HoffA Casa das Rosas (Av. Paulista, 37 – São Paulo / SP) realiza nos dias 22 e 29 de agosto, quartas-feiras, às 19h, a Oficina de criação poética para negras, com a poeta Lubi Prates. A atividade apresenta brevemente a linha do tempo da Literatura afro-brasileira e propõe exercícios de escrita poética que usem as experiências pessoais, com recortes de raça e gênero, como tema central. O objetivo da oficina é visibilizar a literatura afro-brasileira desenvolvida por mulheres, visto que a história da mulher negra no Brasil, desde a época da escravidão, é marcada por silenciamentos. Conceição Evaristo, Miriam Alves, Livia Natália, Elizandra Souza e Daisy Serena são alguns nomes que serão trabalhados na oficina. As inscrições podem ser feitas clicando aqui.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

A Biblioteca Comunitária da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) realiza nesta terça-feira (21) o último dia do encontro de colecionadores e amantes de histórias em quadrinhos (HQs), o ComicSanca 2018. O evento integra a programação do aniversário de 23 anos da biblioteca que apresenta uma série de atrações ao longo do mês de agosto. Às 15h, haverá oficina de desenho - com foco em perspectiva - com Ale Araújo. Em seguida, às 16h, as pessoas interessadas poderão participar de uma oficina de urban sketch, que será ministrada por Rapha Pinheiro. O objetivo é ensinar a praticar o desenho na rua em situações adversas e inusitadas e com técnicas inovadoras. Com uma abordagem experimental, a oficina ajuda os participantes a entenderem melhor as cidades e seus habitantes por meio do desenho. O ComicSanca terá também um espaço para troca de HQs e todas as atividades são gratuitas, abertas às pessoas interessadas. O evento acontece nas dependências da biblioteca localizada na área Norte do Campus São Carlos da UFSCar (Rod. Washington Luiz, s/n - São Carlos / SP). Para as oficinas, é preciso fazer inscrição prévia por meio de preenchimento de formulário on-line, disponível aqui.

“Temos um mundo virtual inteiro para trabalhar, mas ficamos desesperados mesmo é quando não temos dinheiro para uma ponta de gôndola. Para uma vitrine.”
Mariana Rolier
Editora brasileira
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
3.
O milagre da manhã
4.
O poder da autorresponsabilidade
5.
Poesia que transforma
6.
Seja foda!
7.
Felipe Neto - A vida por trás das câmeras
8.
Combate espiritual
9.
Me poupe!
10.
Pai de menina
 
PublishNews, Redação, 21/08/2018

Um jovem médico empreende uma viagem até os confins da Rússia para documentar as terríveis condições de vida dos condenados a trabalhos forçados em uma ilha-presídio. Uma jornada extenuante e quase fatal que o fez regressar com um dos textos mais impressionantes da literatura de não ficção em todos os tempos. A ilha de Sacalina (Todavia, 368 pp, R$ 69,90 – Trad.: Rubens Figueiredo) é a denúncia de um lugar onde pessoas eram descartadas. O relato de um inferno – cercado de água, frio e desumanidade por todos os lados. Inédito no Brasil, o texto de Anton Tchekhov é uma contundente denúncia do sistema prisional russo do século XIX e um grande feito literário.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

Em 1943, com o intuito de fornecer aos estrategistas militares norte-americanos um perfil que pudesse contribuir para a derrota nazista na Segunda Guerra Mundial, o psicanalista Walter C. Langer foi imbuído da missão de decifrar um enigma chamado Adolf Hitler. O resultado foi A mente de Adolf Hitler (Casa da Palavra, 272 pp, R$ 44,90), obra única por se tratar de uma biografia psicológica construída a partir de entrevistas com pessoas que conviveram com o líder nazista. Muito já foi escrito sobre a vida do führer, mas poucos estudiosos se dedicaram a entender tão a fundo seus padrões de comportamento e modos de pensar quanto Langer. De maneira sempre surpreendente o autor analisa as dobras de uma mente onde ideias assombrosas se autoalimentaram por décadas antes de encontrarem ressonância no tecido social alemão, fatos que o levaram, primeiro, ao antagonismo com a civilização e, depois, à derrota militar, seguida do calvário moral pela expiação – ainda em curso atualmente, mais de 70 anos depois do fim da guerra e dos crimes contra a humanidade. O relatório de Langer também antecipa algumas possíveis atitudes de Hitler que vieram a se confirmar, como o seu suicídio – que, nas palavras do autor, seria “o desenlace mais plausível”.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

Conhecido como o “Steve Jobs dos investimentos”, Ray Dalio é fundador da Bridgewater Associates, a quinta empresa privada mais importante dos EUA e a mais eficaz gestora de fundos hedge do mundo. Listado pela Time entre as 100 pessoas mais influentes de 2012, Dalio compartilha em Princípios (Intrínseca, 592 pp, R$ 79,90 – Trad.: Vitor Paolozzi) suas técnicas, refinadas em 40 anos de experiência, para auxiliar qualquer pessoa ou empresa a alcançar seus objetivos. Para Ray Dalio, vida, gestão, economia e investimentos podem ser sistematizados em regras. Entre as centenas de lições do livro, erguidas em torno de seus alicerces de “verdade radical” e “transparência radical”, Dalio oferece uma abordagem clara e direta para a tomada de decisões e ensinamentos valiosos para a formação de equipes sólidas e eficientes.

PublishNews, Redação, 21/08/2018

Entre janeiro de 2015 e outubro de 2017, o Brasil viveu em estado de convulsão permanente, em uma espiral de escândalos que desafiou as melhores análises e previsões. Esses mais de mil dias de crise foram testemunhados de perto pelo jornalista Bernardo Mello Franco, em suas colunas na Folha de S.Paulo, agora reunidas em livro. No final de 2014, os eventos que mais tarde redundariam no impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff começaram a asfixiar o governo. A Operação Lava Jato, a degradação da economia, a perda de importantes aliados, tudo isso levou o Partido dos Trabalhadores a uma encruzilhada. A polarização tomou conta das ruas, da internet, da mídia. A conspiração que derrubou Dilma teve em seu vice-presidente o principal articulador. Mas a travessia de Temer também foi conturbada — líder de um governo frágil e considerado ilegítimo por muitos, se tornou o presidente com a menor popularidade da história brasileira. Diariamente, Bernardo Mello Franco testemunhava, em sua coluna, a sucessão de acontecimentos. Mil dias de tormenta (Objetiva, 408 pp, R$ 59,90) começa em 1º de janeiro de 2015 e vão até o fim de outubro de 2017. 

PublishNews, Redação, 21/08/2018

O filósofo Luiz Roberto Salinas Fortes foi vítima do expurgo contra intelectuais nas universidades brasileiras no início dos anos 1970, período de violenta repressão política e de assassinatos autorizados pela ditadura civil-militar brasileira. Retrato calado (Editora Unesp, 127 pp, R$ 36) é o relato da experiência brutalizante vivenciada pelo autor nos porões do governo de generais. O autor conta suas duas detenções por suspeita de envolvimento na luta contra a ditadura militar, no começo dos anos 1970 e, em seguida, transcreve páginas de um diário dos anos 1950. Finalmente, relata duas outras detenções por suposta participação no tráfico de drogas. Obra de memórias e de resistência, esta edição conta também com apresentação de Marilena Chaui e prefácio de Antonio Candido.

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.