Editora Pólen agora é Jandaíra
PublishNews, Redação, 21/07/2020
Editora fundada por Lizandra Magon de Oliveira se reinventou e criou uma nova marca, mantendo o mesmo posicionamento

Depois de 14 anos de história, a Pólen Livros, editora fundada por Lizandra Magon de Almeida, passa a se chamar Jandaíra. A mudança foi necessária por uma questão judicial: a editora foi notificada por uma empresa detentora de uma marca homônima, e, antes mesmo de ir à Justiça, resolveu se reinventar, sem perder a sua ligação com o mundo da apicultura. Jandaíra "dá nome a uma espécie brasileira, nordestina, de abelha melífera sem ferrão. Um nome de origem indígena que significa literalmente 'inseto que produz mel'”, conceituou a própria editora. A ideia é que a editora continue “polinizando o mundo dos livros”.

"No início foi meio assustador ter que repensar uma marca que escolhemos com tanto carinho há quase 20 anos. Mas depois abraçamos mesmo a ideia, e decidimos que ia ser um bom momento para rever nossa história e começar um novo ciclo. E estamos começando muito bem", disse Lizandra ao PublishNews.

O processo de reformulação criou uma expansão em todas as frentes e a editora chega com cara nova: nova marca, novas cores, nova loja on-line, novo site, espaço para criação e compartilhamento de conteúdos rápidos e gratuitos. Já os livros continuarão focando na representatividade – na autoria e nos personagens. O novo logo, criado pela designer Adriana Campos, traduz a ideia e, segundo a editora, se “alia com as lutas que se incorporam ao catálogo”.

No prelo da editora, que estreou no início de julho na Lista dos Mais Vendidos do PublishNews, está a coletânea 69 poemas e alguns ensaios, em coedição com a Oficina Raquel e ilustrações da artista Clara Zúñiga. Os contos serão todos escritos por mulheres, uma antologia Erótica para que os leitores conheçam como o feminino entende erotismo e pornografia.

Para setembro, a editora prepara Levante, de Henrique Marques Samyn, que acompanha em uma série de poemas, a linha do tempo da escravidão no Brasil; e Cem vezes uma, de Ana Cristina P. Brêtas, coletânea de 100 contos curtos que abordam o envelhecer, com um olhar maduro sobre a infância. Os novos títulos já saem com o selo da Jandaíra estampado na capa.

Para o mês que vem, a editora deverá ter um site novo.

[21/07/2020 09:00:00]