Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 30/06/2021
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei
Há mais de 50 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Catavento atua no mercado de distribuição de livros para todo o país.
PublishNews, Redação, 30/06/2021

Pesquisa mostra o quanto editoras brasileiras faturaram com a venda de e-books e audiolivros | © Vicenzo de Bernardo \ ShutterstockHá fortes sinais que de que o consumo de livros nos formatos digitais mudou de patamar no último ano por conta da pandemia. Já em maio de 2020, Marcelo Gioia, country manager da Bookwire no Brasil, apontava que, nos 49 primeiros dias de isolamento, a agregadora digital tinha distribuído 9,5 milhões de unidades, o que representava, naqueles poucos dias, 80% de tudo o que foi movimentado ao longo de 2019. Gioia disse isso em uma entrevista ao PN. Na mesma entrevista, ele ressalva que muitos desses livros faziam parte de campanhas de gratuidade. Mais tarde, em novembro, a Bookwire lançou um relatório mostrando o impacto da pandemia no consumo de livros digitais no Brasil. O documento foi realizado pelo consultor austríaco Rüdiger Wischenbart e uma das principais conclusões era que havia mudanças relevantes no comportamento do consumidor deste formato ao longo dos oito primeiros meses de 2020. Na época, Rüdiger explicou: "Vimos que no Brasil a crise serviu de catalisador na aceleração de uma tendência já existente em direção à transformação digital. O mercado editorial digital no Brasil foi impactado de forma relevante pela pandemia da covid-19”. Agora, quem acompanha o setor editorial poderá ver, em números e cifras, o quanto esses fenômenos apontados pela Bookwire impactaram efetivamente a indústria editorial brasileira. É que nesta quinta-feira (1º), a Câmara Brasileira do Livro (CBL), o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e a Nielsen apresentam os resultados da Pesquisa Conteúdo Digital do Setor Editorial Brasileiro ano-base 2020. É o segundo ano que a pesquisa é realizada. No ano passado, o estudo (referente a 2019) apontou que as editoras brasileiras faturaram R$ 103 milhões com a venda de livros nos formatos e-book e audiobooks. A cifra representava crescimento de 140% em relação ao que foi apurado pelo Censo do Livro Digital, realizado em 2016. A apresentação dos resultados será transmitida pelo YouTube da Câmara Brasileira do Livro a partir das 10h.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

Acontece logo mais, às 17h, a segunda edição do Sabatina PublishNews. Desta vez, quem estará no centro da roda será Marcus Teles, diretor da Leitura, que se tornou a maior rede de livrarias do Brasil em número de lojas. Teles será sabatinado pelos diretores comerciais Luciana Borges (Companhia das Letras) e Gerson Ramos (Planeta), pelo jornalista Walter Porto (Folha de S.Paulo) e pelo consultor Waldiney Azevedo. Entre as pautas dessa conversa estarão o plano de negócios da rede – que não tem medo de fechar lojas deficitárias –, a aposta no e-commerce, a visão de Teles sobre o mercado editorial brasileiro, suas opiniões sobre assuntos pertinentes como o papel das livrarias e ainda os planos que ele tem para a maior rede de livrarias do país. O programa vai ao ar, ao vivo, pelo canal do PublishNews no YouTube e pela página do PN no Facebook.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

O Radar de Licitações, seção fixa do PublishNews+, apresenta essa semana um edital para contratação de empresa especializada, de forma contínua, sem fornecimento de mão-de-obra exclusiva, na prestação de serviços editoriais relacionados à produção de livros em todas as etapas de produção editorial (incluindo preparação de texto, revisões, consultoria de pesquisa de direito autoral, capa, projeto gráfico, diagramação, tradução e revisão para inglês e espanhol), no valor de R$ 575.898,88. A disputa está marcada para o dia 8 de julho. Já o segundo, visa a aquisição de 19,1 mil exemplares de livros científicos, técnicos e profissionais em áreas como Direito, Economia, Ciências Sociais e Relações Exteriores, no valor de R$ 612.144,08. O pregão acontecerá no dia 06 de julho. A seção, exclusiva para os assinantes do PN+, é alimentada pelo Radar de Licitações, consultoria de Natália Vieira que, além de buscar novas licitações, presta um serviço de apoio aos editores e distribuidores interessados em vender para governos, nas mais diversas esferas de poder. Para acessar o Radar dessa semana, clique aqui.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

A partir desta quinta-feira (1º), acontece a edição de 2021 do Congresso Ibero-Americano de Literatura Infantil e Juvenil (CILELIJ), organizado pela Fundação SM, na Espanha. O tema central dos debates será As culturas infantis e juvenis que nunca te contaram. Dois brasileiros estarão na programação do primeiro dia do evento. A partir das 15h (horário de Brasília), Marina Colasanti e Volnei Canônica participam do webinar Vida e obra de uma escritora. Na sexta-feira (2), Canônica volta a ocupar o palco virtual do Congresso para apresentar ao público internacional o Instituto Quindim, presidido por ele. A programação completa do CILELIJ 2021 pode ser conferida clicando aqui.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

A Ateliê Editorial está à procura de um diagramador que tenha formação em Produção Editorial, Design Gráfico ou Letras, com curso técnico em Design Gráfico ou Editoração. A editora também pede que os candidatos tenham experiência mínima de um ano como designer editorial, domínio de programas do pacote Adobe e conhecimento do pacote Office. As funções do cargo incluem a diagramação e emendas do livro, criação de projetos gráficos (capa, miolo, materiais de divulgação e redes sociais), atender a algumas demandas pertinentes ao setor de arte do grupo, realizar o tratamento de imagens, vetorização de desenhos e gráficos e fechamento de arquivos para a gráfica. Os interessados devem enviar currículos para o e-mail atelie.editorial.contato@gmail.com até 28 de julho.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

A jornalista francesa Maïa Mazaurette faz jus ao título de "sexpert", que adquiriu escrevendo crônicas sobre sexo (e tudo mais que se relaciona com ele) na sua coluna no jornal francês Le Monde. Os textos de Mazaurette frequentam constantemente a lista dos espaços mais comentados pelos leitores. Em crônicas espirituosas e cheias de referências, ela dá dicas, apresenta novidades, explica detalhes corpóreos e culturais ligados ao sexo, além de desvendar tabus e dissecar modas e preferências em torno do tema. As 50 melhores crônicas da sexpert estão no livro O sexo segundo Maïa (Oficina Raquel, 212 pp, R$ 64 – Trad.: Thereza Christina Rocque da Motta), marcando a estreia de Mazaurette no Brasil. A ideia é descomplicar o assunto, guiar o leitor com naturalidade – e bom humor – pelos caminhos das práticas sexuais, a partir de itinerários que perpassam o corpo e também hábitos culturais. Na companhia de Mazaurette, é possível aprender sobre técnicas como a soduretra, refletir sobre monogamia e candaulismo, desconstruir o masoquismo feminino, avaliar representações recorrentes sobre o corpo, aprimorar técnicas sexuais e explorar novos recantos sexuais quando se trata de ciência, cultura e a própria imaginação.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

O livro Feminismos dissidentes (Jandaíra, 240 pp, R$ 59), organizado pelos professores e pesquisadores Lina Arao e Henrique Marques Samyn, reúne 14 artigos escritos por mulheres que não se enquadram na cor e classe do feminismo hegemônico. O livro reúne textos produzidos por representantes de feminismos dissidentes, tematizando demandas de mulheres negras, amarelas, romai/"ciganas" e amazônicas; vocalizando pautas de lésbicas, transexuais e travestis; abordando questões caras a grupos excluídos e invisibilizados – mães pobres, mulheres gordas, trabalhadoras sexuais e praticantes de BDSM; e trazendo questionamentos de pesquisadoras brancas que questionam o lugar da própria branquitude nos movimentos feministas. Uma leitura essencial para quem quer questionar e refletir sobre as perspectivas interseccionais e os feminismos contra-hegemônicos.

PublishNews, Redação, 30/06/2021

Sexo, gênero e sexualidade (Ubu, 160 pp, R$ 54,90 – Trad.: Jamille Pinheiro Dias) retoma as filosofias feministas dos últimos 50 anos, para traçar uma genealogia dos conceitos de sexo, gênero e sexualidade. Criando uma trama a partir dos campos mais inovadores da pesquisa filosófica atual: feminismo, teoria queer, ética feminista, filosofia da ciência, política, feminismo negro e interseccionalidade, a filósofa Elsa Dorlin lança luz sobre a materialidade das relações de poder que estão por trás da origem desses conceitos. Segundo a filósofa, é preciso que o sujeito do feminismo se mantenha em um esforço permanente de descentramento, subvertendo o dispositivo de saber e de poder por trás da ontologização dos sexos.

“Acho que a ficção cumpre muito esse papel de emular e recriar realidades. Enquanto a história nos dá o fato, a literatura nos permite adentrar nas subjetividades dos personagens.”
Itamar Vieira Junior
Escritor brasileiro em entrevista ao jornal Cândido
1.
Desobedeça
2.
Box - O essencial Sherlock Holmes
3.
A garota do lago
4.
A revolução dos bichos
5.
Mais esperto que o diabo
6.
Escravidão -Vol 2
7.
Do mil ao milhão
8.
Torto arado
9.
O poder da autorresponsabilidade
10.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
 
PublishNews, Redação, 30/06/2021

A partir de uma série de palestras apresentadas em 1928 a jovens universitárias sobre o tema As mulheres e a ficção, Virginia Woolf (1882-1941) desenvolveu as reflexões que dariam origem a Um quarto só seu, livro publicado no ano seguinte. No ensaio, considerado um dos textos mais influentes do século XX, a escritora faz uma fina análise das condições sociais das mulheres na história e de todas as limitações impostas a elas, fatos que explicam a pouca representatividade feminina no universo intelectual ao longo dos séculos. Diante da constatação, Virginia Woolf pensa as estratégias para as mulheres driblarem o ambiente literário dominado pelo patriarcado. Uma de suas conclusões se tornou célebre: “uma mulher precisa ter dinheiro e um quarto só seu se quiser escrever ficção.” Quatro grandes romancistas inglesas citadas por seus êxitos nesse texto – Jane Austen, as irmãs Charlotte e Emily Brontë, além de George Eliot (pseudônimo de Mary Ann Evans) – foram tema de outros ensaios específicos, originalmente publicados em O leitor comum, e também reunidos nessa edição de Um quarto só seu (Bazar do Tempo, 240 pp, R$ 59,90 – Trad.: Julia Romeu). Depois de quase um século, a obra de Virginia Woolf continua alimentando os debates feministas e de gênero com inabalável vigor.

 
©2001-2021 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Henrique Schaumann, 1108 A, CEP 05413-011 Pinheiros, São Paulo -SP
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.