Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 09/04/2020
Somos especialistas em criação de projeto gráficos, diagramação de grandes materiais, tratamento de imagens e tradução e revisão de laudas.
Voltada ao segmento de bibliotecas, atende Bibliotecas de Instituições Públicas e Privadas, Colégios, e Empresas, buscando a satisfação das necessidades de seus clientes.
A FMZ está há 17 anos no mercado livreiro/editorial desenvolvendo o HORUS, sistema de gestão específico do segmento
PublishNews, Lorenzo Herrero, 09/04/2020

Segunda entrevista da série Papo do Confinamento é com Bruno Zolotar, diretor comercial e de marketing da Rocco. Na entrevista, conduzida por Lorenzo Herrero, editor do PublishNews em Espanhol, Zolotar fala sobre os impactos da pandemia no negócio – ele estima perda de no mínimo 30% no mercado caso as lojas físicas permaneçam fechadas por mais tempo –, sobre as possibilidades para o mercado de digitais e ainda revela as suas percepções sobre o governo. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra da entrevista.

PublishNews, João Camilo de Oliveira Torres*, 09/04/2020

Vocês se lembram da rua ocupada pelas livrarias, pelos livros e pelos leitores? Aconteceu em BH não tem nem um ano. Tantas pessoas juntas, sem medo nenhum, durante o Festival Livro na Rua (Flir). Poderia acontecer todos os dias, pois a cultura mostra sua força sendo cotidiana. Não é que deu errado, deu foi muito certo. Novas livrarias surgiram, verdade! Não faz nem um mês que a livraria Páginas foi aberta no Padre Eustáquio. Conceição Evaristo apareceu em uma novela da Globo. O livro foi até debatido durante a campanha eleitoral. Mais do que isso, ele foi atacado como se pudesse ganhar votos e decidir a eleição. Eles sabem que o livro pode mesmo, pode muito. Agora as ruas estão vazias. Elas devem continuar vazias até que voltemos a ocupá-las, quando a Ciência, que está nos livros, disser que podemos. A história continua. As mesmas livrarias continuam nos mesmos endereços, prontas para atender os leitores. Mas se o leitor não pode ir até a livraria, a livraria poder ir até o leitor. Não é a mesma experiência, mas é hora de certa fé poética. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra deste artigo do escritor João Camilo de Oliveira Torres.

PublishNews, Redação, 09/04/2020

Na madrugada da última quarta-feira (8), a Banca Tatuí, livraria de publicações independentes localizada na Rua Barão de Tatuí, 275, na região da Vila Buarque, foi arrombada. Nenhum livro foi furtado já que desde que o comércio em São Paulo foi obrigado a fechar as portas, João Varella e Cecília Arbolave, donos da livraria e editores da Lote 42, subiram todo o estoque da banca para a Sala Tatuí em um prédio próximo. Em uma postagem em sua rede social, Varella contou que recebeu a notícia dos comerciantes vizinhos logo cedo e que outros pequenos comércios da rua também sofreram arrombamentos nos últimos dias e em entrevista ao Estadão, Varella comentou o acontecido. “É mais sobre o peso simbólico disso, né? A Rua Barão de Tatuí, tão hypada, agora esvaziada e perigosa. Sinto até mais pela galera dos restaurantes. Para eles a crise vai demorar a passar e ainda tem que encarar esse risco de assalto agora”, contou ao jornalista Guilherme Sobota. Para se manter presente na vida dos leitores, a Banca Tatuí nas segundas e quintas, às 16h20, lives em sua conta no Instagram e continua com a ação #tatuiemcasa com descontos, brindes e sorteios na sua loja virtual.

PublishNews, Redação, 09/04/2020

Os encontros que resultam no PublishNews Entrevista, programa da PublishNewsTV que tem criado um arquivo da memória do mercado editorial brasileiro, foram suspensos por conta das medidas de isolamento social. Mas o programa está mais vivo do que nunca. No episódio de hoje, André Argolo reuniu histórias ligadas ao “Museu de Tudo”. Evocando a obra de João Cabral de Melo Neto, o entrevistador pede para que cada um dos perfilados tragam um objeto de conte uma história para deixar no “museu”. Reunimos ao longo de 52 programas preciosidades como a caderneta usada para anotações do imortal Ignácio de Loyola Brandão; ferramentas do editor Jiro Takahashi; a primeira nota fiscal emitida pela Superpedido trazida por Gerson Ramos; um abridor de garrafas “aposentado”, que já cumpriu tudo o que tinha que cumprir brindado pelo jornalista Rodrigo Casarin; o diploma de datilografia de José Xavier Cortez e um quebra-cabeças de dona Gita Guinsburg. “[O museu] é um símbolo da complexidade e da riqueza disso de que somos parte, como leitores que seja, a ponta fundamental no fim. Divirta-se. Um dia bolaremos uma exposição desse museu, com um profissional de museologia, claro, porque memória não é brincadeira”, resume Argolo. Para assistir ao programa, clique no Leia Mais.

PublishNews, Redação, 09/04/2020

Depois de liberar audiolivros gratuitamente para crianças e adultos e ter 67 mil downloads na plataforma em apenas uma semana, a Auti Books iniciou outra campanha. Pensando em ajudar quem já está passando fome, não pode trabalhar e não tem reservas, a empresa se uniu à Hortifruti -- rede de grandes mercados especializados em frutas e verduras, com lojas no Espírito Santo, Rio de Janeiro e Minas Gerais -- para doar cestas básicas aos moradores da Cidade de Deus, uma das comunidades mais carentes do Rio de Janeiro, onde vivem mais de 15 mil famílias. Funciona assim: ao fazer uma assinatura na Auti, no valor de R$ 19,90, tudo será convertido em cestas básicas e a Hortifruti fará as doações a preço de custo. Ao fazer a assinatura na plataforma, o leitor receberá um crédito para escolher um audiolivro do catálogo Auti Best. “Se depois do primeiro mês, que doaremos integralmente o valor, você quiser manter sua assinatura e desfrutar audiobooks exclusivos, nós vamos adorar. Mas se quiser cancelar, não tem problema. Também estaremos muito felizes de, nesse momento, ajudar tanta gente necessitada”, acrescentou Claudio Gandelman, CEO da Auti Books em sua rede social. A ideia é que a ação se estenda por mais tempo e por mais regiões. Até o fechamento desta edição, já tinham sido doadas 136 cestas básicas. Para assinar e ajudar é só clicar aqui.

PublishNews, Redação, 09/04/2020

O Instituto de Leitura Quindim iniciou esta semana o projeto Quindim Entrevista, uma série de lives no Instagram (@institutodeleituraquindim) que acontecerá nas segundas, quartas e sextas-feiras, às 21h. O bate-papo contará com convidados das áreas da literatura, educação, cultura e da infância, que falarão sobre suas obras, experiências e áreas de atuação. As entrevistas serão ministradas pela equipe do Instituto. Nesta sexta (10), quem participa é a autora Emília Nuñez, idealizadora do projeto “Mãe que Lê”, em que dá dicas de livros infantis, maternidade e educação nas redes sociais. Para a próxima semana já estão confirmadas as lives com o ilustrador André Neves (13), o escritor Tino Freitas (15) e a escritora e especialista na obra de Monteiro Lobato, Sônia Travassos (17), em homenagem ao Dia Internacional Livro Infantil, que será comemorado em 18 de abril.

PublishNews, Redação, 09/04/2020

Em 1954, Napoleon Hill apresentou uma série de palestras em Chicago (EUA). Ali, deu dicas inspiradoras para que a plateia buscasse novos horizontes. O guru de presidentes Woodrow Wilson e Franklin Delano Roosevelt defendeu nesses encontros que a riqueza não se restringe a parâmetros tão estreitos como fortuna e fama. Os seus ensinamentos foram transcritos e reunidos no livro O seu direito de ser rico (Citadel, 336 pp, R$ 44,90 – Trad.: Mayã Guimarães). Napoleon Hill frisa que todos merecem ser ricos em todas as áreas – pessoal, espiritual e financeira e para isso apresenta os 17 princípios do sucesso. Especialista em realização pessoal, Hill descobriu que aqueles que conquistaram só recompensas financeiras na vida, por maiores que possam ter sido essas recompensas, eram as pessoas menos felizes e satisfeitas do mundo. Para ser efetivamente rico, é preciso ser rico em todos os aspectos da vida.

PublishNews, Redação, 09/04/2020

Ninguém está livre de experimentar o fracasso. Nem mesmo o investidor bilionário americano Ray Dalio, copresidente da Bridgewater Associates, hoje a maior empresa de fundo de hedge do mundo. Princípios para o sucesso (Intrínseca, 168 pp, R$ 49,90 – Trad.: Luiz Felipe Fonseca) extrai o que há de melhor do best-seller de quase 600 páginas de Dalio, Princípios, lançado em 2018. Ilustrado e acessível para leitores de todas as idades, o livro apresenta as ferramentas essenciais que ajudaram Dalio a se tornar um dos homens mais bem-sucedidos do mundo. Na obra, o investidor compartilha essas verdades fundamentais que o guiam, fala sobre as técnicas que o ajudaram a alcançar seus objetivos, além de ensinar como estabelecer metas, aprender com os erros e colaborar com outras pessoas para reproduzir resultados excepcionais.

“Livros em todos os formatos têm um futuro brilhante.”
Thomas Rabe
Presidente da Bertelsmann
1.
Luluca - No mundo dos desafios
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Os quatro segredos sagrados para o amor e a prosperidade
4.
As armas da persuasão
5.
Alcançando excelência em vendas spin selling
6.
Como fazer amigos e influenciar pessoas
7.
Quem pensa enriquece: o legado
8.
Atitude mental positiva
9.
Mais esperto que o diabo (edição de bolso)
10.
Como fazer amigos e Influenciar pessoas - Edição comemorativa 80 anos
 
PublishNews, Redação, 09/04/2020

O tema de A tragédia e a farsa (Expressão Popular / Fundação Rosa Luxemburgo, 184 pp, R$ 20) é a velha direita que domina, cria hegemonia e se transforma em “nova direita”, organizada em torno de aparelhos de ação política e ideológica. Escrito pelo professor Flávio Henrique Calheiros Casimiro, o livro permite ao leitor compreender que a dominação burguesa não se mantém apenas por herança política. O autor defende que ela é, sim, fruto de extensa e dedicada organização dos aparelhos de hegemonia privados, das classes dominantes. A obra mostra ainda inúmeros aparelhos organizativos da burguesia, suas formas de atuação e multiplicação, suas insistentes pautas, e inclusive seus conflitos internos. A tragédia e a farsa propõe uma leitura indignada para desvendar os desafios da nova quadra histórica, "onde o fascismo mostra a cara sem máscaras".

PublishNews, Redação, 09/04/2020

Quando Armando Oliveira leu pela primeira vez um livro de Amyr Klink, o Paratii: entre dois pólos, ficou intrigado. As situações narradas por Amyr lhe remeteram imediatamente à gestão de projetos. O que era para ser uma leitura despretensiosa se transformou em uma minuciosa análise técnica sobre semelhanças e diferenças entre os projetos de Amyr Klink e aqueles que vivenciamos no cotidiano. Em pouco tempo, Armando passou a dividir as histórias do navegador e suas próprias reflexões com equipes de projeto e seus alunos de MBA. As analogias e reflexões conferiam um brilho especial às explicações, e os conceitos eram rapidamente aprendidos. Capotar é preciso (Portfolio Penguin, 336 pp, R$ 89,90) explora três viagens de Amyr Klink pela perspectiva da gestão de projetos, passando por sua concepção até seu encerramento. De forma lúdica e objetiva, o livro pretende ajudar o leitor a entender mais facilmente algumas das melhores práticas de gerenciamento de projetos e como aplicá-las em sua vida profissional e pessoal.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.