Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 03/07/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Leonardo Neto, 03/07/2020

Professor e jurista Silvio Almeida estreia na Lista dos Mais Vendidos, com 'Racismo estrutural', livro que marca também a estreia da editora Pólen na Lista dos Mais VendidosNo último dia 22, o professor e jurista Silvio Almeida participou do Roda Viva, programa de debates da TV Cultura, e logo a hashtag #SilvioAlmeidaNoRodaViva ficou em primeiro lugar dos trending topics do Twitter no Brasil. Ele estava ali para apresentar seu novo livro, Racismo estrutural (Pólen), que alcançou nesta semana a Lista dos Mais Vendidos do PublishNews. Foram 257 cópias, número suficiente para garantir a décima posição da Lista de Não Ficção. No livro, Silvio, que é doutor em Filosofia e Teoria do Direito da USP e presidente da Fundação Luiz Gama, discute como o racismo está na estrutura social, política e econômica da sociedade brasileira. O livro marca também a estreia da editora Pólen na Lista dos Mais Vendidos. Temas relacionados ao racismo, negritude ou questões raciais estão em alta na Lista. Dos 20 títulos mais vendidos em Não Ficção, oito são relacionados ao tema, incluindo o Pequeno manual antirracista (Companhia das Letras), de Djamila Ribeiro, que segue liderando a categoria com 824 cópias vendidas; Como ser antirracista (Alta Books), de Imbram X. Kendi, na quarta posição, com 424, e Eu sei por que o pássaro canta na gaiola (Astral Cultural), de Maya Angelou, na 13ª, com 180. Os dois últimos são estreantes nesta semana. Clique no Leia Mais e confira outros destaques da lista dessa semana.

PublishNews, Redação, 03/07/2020

Uma das primeiras atitudes tomadas pelas editoras por conta da pandemia foi pisar no freio e suspender ou adiar seus lançamentos. Uma maneira de reduzir gastos em um momento em que as lojas estavam de portas fechadas e o mercado desacelerando. Por outro lado, outras editoras, como a Rocco, optaram por uma estratégia diferente e mantiveram os lançamentos. Ao mesmo tempo, a editora conseguiu emplacar na Lista dos Mais Vendidos fundos de catálogo, entre reedições e edições antigas que ressurgiram. Pensando nessa estratégia, o ColabPublishNews desta sexta-feira (03) - série que busca apresentar soluções que podem minimizar os efeitos da pandemia na economia do livro - recebe Bruno Zolotar, diretor comercial e de marketing e Ana Lima, gerente editorial da editora Rocco, para falarem como a editora tem conseguido manter seu catálogo em alta e sobre o trabalho com o fundo de catálogo. A conversa acontece às 14h e será transmitida pela página do PublishNews no Facebook. Depois, o conteúdo estará disponível na PublishNewsTV e também nos aplicativos de podcast: Spotify, iTunes, Google Podcasts e Overcast.

PublishNews, Redação, 03/07/2020

Pensando já no pós-pandemia, a Editora Panini expandiu o seu modelo de franquia e inaugurou na última quarta-feira (1º) um quiosque no Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU). O novo espaço, localizado próximo ao embarque do terminal 2 Oeste, possui 9 m² e oferece ao público títulos da Marvel, da DC Comics, mangás e gibis da Turma da Mônica. Para os fãs de álbum de figurinhas, o quiosque também terá opções de kits com livros ilustrados, brochura e de capa dura. Só não serão vendidos no espaço, boxes de publicações e envelopes individuais. O quiosque funcionará das 6h às 23h todos os dias.

PublishNews, Redação, 03/07/2020

A Editora Moinhos é a nova casa do jornalista e escritor carioca Márwio Câmara (na foto ao lado). Em 2021, a editora mineira publicará o primeiro romance de Câmara, intitulado Escobar. O livro conta a história de um jovem jornalista que decide escrever algumas de suas experiências vividas nos últimos meses, após um evento trágico, reunindo questões referentes ao amor, aos mistérios da existência e à homossexualidade. Além disso, o mesmo personagem que dá título ao livro vive uma obsessão por uma poeta misteriosa que circundará toda a engenharia labiríntica da trama. A editora Coerência também tem um novo autor. A casa editorial assinou contrato com o advogado e ex-juiz estadual Márlon Reis, conhecido por ser o idealizador do projeto da Lei da Ficha Limpa. Em seu primeiro livro, publicado em 2014, ele compartilhou várias artimanhas utilizadas nas eleições para ganhar eleitores. Agora, em O nobre deputado 4.0, Reis, por meio de uma narrativa ficcional, mas baseada em tudo que viu e ouviu na carreira política, se propõe a revelar os métodos que atualmente alimentam a corrupção no Brasil. O livro deve ser lançado ainda este ano.

A Revista Philos iniciou uma nova sequência de webinários literários para apresentar a autora americana Lucia Berlin. No ciclo Philos talks, Kátia Gerlach, André Nigri e Yosef Rodrigues conversam sobre os contos Mordidas de tigre, Sex appeal e Dor, revisitando o mundo de sensações e apurada humanidade da escritora. O livro dos três encontros é Manual da faxina (Companhia das Letras). Os encontros terão leituras encenadas por atrizes convidadas. Lucia Berlin passou por amantes e maridos (teve quatro filhos), uma sucessão de trabalhos mal pagos, uma batalha com o alcoolismo e problemas graves de saúde. No meio de tudo isso desenvolveu sua escrita e tornou-se uma aclamada professora universitária em seus últimos anos de vida. Os próximos encontros do ciclo – realizados pela plataforma Zoom – acontecem nos dias 7 e 14 de julho, às 19h. Para se inscrever é só clicar aqui.

PublishNews, Redação, 03/07/2020

Osmar Ludovico da Silva era um jovem de classe média, morador do bairro da Pompeia, em São Paulo, quando decidiu “botar o pé na estrada”, segundo suas palavras. Mudou-se para a Europa antes do golpe de 1964, viveu em diversos países e se aproximou das formas de agir e pensar que compunham a nascente contracultura dos anos 1960 e 1970. Envolvido com o comércio de haxixe para se sustentar, teria se tornado intermediário de um traficante libanês. Foi detido em 1968 com 13 quilos de haxixe escondidos no painel do carro e passou um ano preso. Lá, Osmar conheceu Barry John Holohan, australiano preso pelo mesmo motivo. Quando soltos, Barry foi para a Califórnia, Osmar voltou para São Paulo. Os dois tinham um plano em vista: vender LSD no Brasil para comprar cocaína, que seria vendida na Europa. Parece um enredo policial — e não deixa de ser —, mas é assim que começa o livro História social do LSD no Brasil (Elefante, 480 pp, R$ 70), de Júlio Delmanto, fruto de uma pesquisa de doutorado defendida na Universidade de São Paulo e que se dedica a entender o caminho das pesquisas realizadas no país sobre os efeitos medicinais e terapêuticos da dietilamida do ácido lisérgico.

PublishNews, Redação, 03/07/2020

Como um terremoto, o Planet Hemp abalou as estruturas do rock nacional nos anos 1990. A mistura de rap e rock e o discurso de legalização da maconha fez a cabeça de milhões de jovens brasileiros e incomodou muita gente. Disco de ouro e de platina, polêmica, irreverência, shows lotados e a polícia nos calcanhares, culminando com a prisão da banda em Brasília, em 1997: um enredo digno de livro. Planet Hemp: mantenha o respeito (Belas Letras / Stotytel, 1.194 min, R$ 27,90 mensal) é a biografia da banda escrita pelo jornalista e cartunista Pedro de Luna. No livro, ele conta detalhes da história do grupo e da cena underground e mainstream dos anos 1990. O livro agora foi transformado em audiolivro com narração feita pelo próprio autor.

PublishNews, Redação, 03/07/2020

Cabeça de alho (Novo Século, 400 pp, R$ 49,90) conta a história de Tomas, um especialista em ocultismo, introvertido e solitário. O trabalho de Tomas se resume em negociar favores aos seus clientes com entidades e espíritos, sempre com seu amuleto, uma cabeça de alho. A história deste suspense começa quando ele fecha um contrato que quebra completamente a sua rotina. Ao aceitar investigar o possível assassinato dos pais de Ana dos Santos, ele se depara com pessoas e criaturas perigosas nesta e na outra matéria, trazendo situações tensas que colocam em prova todas as suas certezas, mesmo que ele queira negá-las. No primeiro livro de Renato aborda, o real e o além da matéria se misturam, na cidade e na floresta, e se chocam com situações de suspense e surrealismo.

“Só não erra quem não se arrisca.”
Antonio Candido
Crítico literário brasileiro (1918-2017)
1.
DNA da cocriação
2.
Decida vencer
3.
Mais esperto que o diabo
4.
Box Harry Potter
5.
Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente
6.
Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente: Onde dorme o amor
7.
O fim em doses homeopáticas
8.
Pequeno manual antirracista
9.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
10.
A sutil arte de ligar o foda-se
 
PublishNews, Redação, 03/07/2020

O Pânico começou como muitas coisas naquela cidadezinha claustrofóbica: era verão e não havia mais nada para fazer. No perigoso jogo disputado pelos formandos do ensino médio as apostas são altas e a recompensa é ainda maior. Heather jamais pensou em competir, ela nunca se considerou destemida, o tipo de pessoa que lutaria para se destacar. Mas, quando encontra algo — e alguém — por que lutar, descobre que é mais corajosa do que imaginava. Já Dodge nunca teve medo do Pânico. O segredo que ele guarda vai servir de estímulo e levá-lo até o fim do jogo. O que Dodge não sabe é que ele não é o único com um segredo. Todo mundo tem um motivo para jogar. Para Heather e Dodge, o jogo trará novas alianças, revelações inesperadas e a possibilidade do primeiro amor — e o conhecimento de que, às vezes, aquilo que tememos é o que mais precisamos. Escrito por Lauren Oliver, Pânico (Verus, 336 pp, R$ 49,90 – Trad.: Monique D’Orazio) é uma narrativa sobre amizade, coragem e esperança.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 03/07/2020

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.