Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 03/06/2020
O Estúdio Sopros oferece suporte editorial para editoras e autores
Gráfica digital para pequenas tiragens e POD (Print On demand). Pronta para atender às necessidades de prazos curtos, possui estrutura de impressão digital e logística com qualidade e preços.
A Bookmarks é uma empresa que oferece soluções editoriais para autores e editoras. Desenvolve projetos gráficos de capas de livros, artes para brindes, marcadores, criamos e desenvolve sites e faz diagramação de livros impressos e digitais.
PublishNews, Leonardo Neto, 03/06/2020

Ailton Krenak foi um dos autores mais festejados na última Flip, realizada em julho de 2019. Em Paraty, ele apresentou o seu livro Ideias para adiar o fim do mundo (Companhia das Letras) e rapidamente chegou à Lista dos Mais Vendidos do PublishNews. O livro agora estreou na Lista Nielsen PublishNews, aquela que apura as vendas de livros de autores nacionais mais vendidos em livrarias, lojas de autoatendimento e supermercados brasileiros. No livro, o pensador indígena critica a ideia de humanidade como algo separado da natureza, uma “humanidade que não reconhece que aquele rio que está em coma é também o nosso avô”, como ele próprio descreve. Ideias para adiar o fim do mundo estreou na Nielsen PublishNews ocupando o 15º lugar da categoria Não Ficção. Em Ficção, também chegou um estreante. Imersão: Um romance terapêutico (HarperCollins), de Diogo Lara, apareceu pela primeira vez, ocupando a 17ª posição. Clique no Leia Mais e confira outros destaques da Lista Nielsen PublishNews.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

Um dos principais escritores brasileiros, Machado de Assis ficou conhecido não só pelos seus livros, mas também pelo seu envolvimento com questões sociais. Nesta semana, o autor foi destaque em uma matéria da revista The New Yorker, que definiu As memórias póstumas de Brás Cubas como um dos livros mais inteligentes já escritos. “É um dos livros mais espirituosos, divertidos e, portanto, mais vivos e sem idade já escritos. É uma história de amor - muitas histórias de amor, na verdade - e é uma comédia de classe, boas maneiras e ego, e é uma reflexão sobre uma nação e uma época, e um olhar inflexível sobre a mortalidade”, descreve o jornalista Dave Eggers. No texto, que pode ser lido clicando aqui, Eggers elogia e analisa a obra de Machado em diversos aspectos.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

A primeira temporada do #ArenaVirtual, série de lives encabeçada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) em parceria com o PublishNews e com o projeto Vá Ler Um Livro, está chegando ao fim. As últimas entrevistadas serão as irmãs Eduarda e Helena Ferreira, do canal Pretinhas Leitoras. Elas vão falar da sua relação com o livro, sobre a construção de narrativas identitárias e sobre a educação antirracista, especialidades da dupla. A live vai ao ar nesta quarta-feira (03), às 16h, pelo Instagram da CBL (@cbloficial).

PublishNews, Redação, 03/06/2020

O Sesc abriu um edital para investir R$ 587,5 mil em projetos de produção artística. Serão contemplados até 470 projetos de música, artes cênicas, artes visuais, audiovisual, literatura, infantis e patrimônio cultural que serão transmitidos e distribuídos digitalmente pelos canais da instituição. Artistas interessados em participar do projeto - intitulado Sesc Cultura ConVIDA! - têm até o próximo domingo (07) para submeter os projetos por meio do site www.sesc.com.br/convida. Com foco em trabalhos não divulgados nos grandes meios de comunicação, o projeto inclui ainda oficinas, debates e podcasts com profissionais que integrem o sistema produtivo da cultura. Cada proponente poderá realizar apenas uma inscrição e as propostas apresentadas deverão respeitar as medidas de isolamento social que estejam em vigor no momento da sua execução.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

Pedro Bial | © DivulgaçãoA Curseria, plataforma onde personalidades relevantes em suas profissões se tornam os professores, anunciou um novo curso: O ato de escrever. Ministrado por Pedro Bial, que pela primeira vez assume o papel de professor, o curso tem como objetivo ajudar os alunos a conseguir expressar suas ideias com clareza e precisão, vencer o medo do bloqueio criativo e escrever com técnica. Ao longo de dez aulas online, o jornalista, escritor e apresentador apresenta a literatura como uma peça chave no desenvolvimento textual e de ampliação do repertório linguístico. Autores renomados como Guimarães Rosa, Rubem Braga e Mário Quintana são algumas das referências usadas como base para enriquecer as discussões. São oito horas de curso com material de apoio em todas as aulas do programa. Para saber mais sobre o curso é só clicar aqui.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

O Escritório de Turismo da República Tcheca, em parceria com a revista Viajar Pelo Mundo e o site MundoViajar, abriu um concurso literário para novos autores brasileiros. Com o tema Pense algo bonito, sonhe com a República Tcheca, o concurso pede que os participantes escrevam um conto que envolva uma cidade da República Tcheca que não seja sua capital, Praga. "Queremos aproveitar esse tempo de quarentena para estimular a viagem que a literatura proporciona", explica Luiz Fernando Destro, diretor do Escritório de Turismo da República Tcheca no Brasil. "Escrever e ler sobre um país é o primeiro passo para criar o desejo de conhecê-lo", completa. Os dois vencedores terão suas obras publicadas pelo site MundoViajar e o primeiro colocado ganhará também R$ 1 mil. A participação é gratuita e aberta a qualquer pessoa maior de idade que escreva em língua portuguesa. Para se inscrever, basta enviar o trabalho para o endereço de e-mail redacao@racmidia.com.br, especificando no assunto do e-mail “Concurso Literário” e incluindo no corpo da mensagem o título do conto, nome e endereço do autor e telefone para contato. As obras podem ser enviadas até 15 de julho e o regulamento completo você encontra clicando aqui.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

Amparada em uma pesquisa rigorosa, a contista e romancista paulista Jeanette Rozsas revela ao leitor todos os contornos de uma trajetória turbulenta, que forjou um dos maiores escritores de língua alemã do século 20, na biografia romanceada Kafka e a Marca do Corvo (Melhoramentos, 200 pp, R$ 66). O título faz uma ligação entre um dos significados da palavra "Kafka", que em tcheco quer dizer corvo, e a vida tumultuada do escritor. Na biografia, o leitor conhece a vida do homem talentoso que foi Kafka e tem revelações sobre o labirinto de angústias, impasses, realizações e paixões que permearam sua vida e morte. Nascido em uma família judaica de classe média, Kafka (1883-1924) tinha uma relação conturbada com um pai extremamente exigente e autoritário e mesmo sem muito tempo para se dedicar à escrita, conseguiu produzir obras contundentes, marcadas por contos fantásticos e romances claustrofóbicos.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

Com organização de Eros Grau, Nosso Armênio (Globo Livros, 232 pp, R$ 49,90) é uma coletânea de crônicas e ensaios assinados por amigos e familiares do jornalista e militante Armênio Guedes. Nomes como Elio Gaspari, Juca Kfouri, Milton Temer, Zelito Viana e o próprio Eros Grau, assinam alguns dos textos que compõem a obra. Jornalista e um dos fundadores do Partido Comunista Brasileiro, Armênio era uma das mentes que refletiram sobre os rumos da política brasileira no século XX e seus reflexos neste conturbado início de milênio. Testemunha ocular dos diversos movimentos culturais e políticos do Brasil nos últimos cem anos, o jornalista era um crítico ferrenho de qualquer forma de fascismo e de ameaça às liberdades individuais, tanto que mesmo entre os camaradas comunistas criava polêmica ao defender sempre o debate de ideias e por criticar o stalinismo após tomar conhecimento dos crimes cometidos pelo regime soviético.

“Se você apenas escrever quando estiver inspirado, você poderá se tornar um bom poeta, mas você nunca se tornará um romancista.”
Neil Gaiman
Escritor inglês
1.
Faça o tempo enriquecer você
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
4.
Box Harry Potter
5.
Do mil ao milhão
6.
O fim em doses homeopáticas
7.
Quem pensa enriquece: o legado
8.
O poder do hábito
9.
A sutil arte de ligar o foda-se
10.
Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente
 
PublishNews, Redação, 03/06/2020

Um dos mais proeminentes ativistas do século XIX, considerado o primeiro jornalista negro brasileiro, o baiano Luiz Gama (1830-1882) foi ainda um exímio advogado que libertou mais de 500 escravos pela via judicial, título reconhecido pela Ordem dos Advogados do Brasil somente em 2015. Alforriado aos 17 anos, foi o único abolicionista ex-escravo e autodidata da sua época. As diversas facetas e a habilidade de Gama para a comunicação são reveladas em Lições da resistência (Edições Sesc, 392 pp, R$ 42,50), obra organizada pela professora e pesquisadora Ligia Fonseca Ferreira. O livro reúne seus textos publicados na imprensa paulista e carioca dos anos 1860 a 1880, contextualizados e atualizados para os dias atuais, que mostram como o domínio da palavra dirigida a todas as camadas da população foi uma poderosa arma em defesa dos direitos humanos.

PublishNews, Redação, 03/06/2020

República do vírus (Malê, 94 pp, R$ 36) traz como ponto central a sátira como embasamento do seu tecido ficcional, ao contar a história de Zuão Xipululu, conhecido como “Introcável”, alto dirigente político, membro do partido governista PIM-PAM-PUM, homem seduzido pelo poder e pela lógica da corrupção, algo que dialoga frontalmente com os tempos atuais, seja em referência ao Brasil, seja no resto do mundo. Ao ambientar o personagem na fictícia Mulumba, o escritor angolano António Quino desenvolve uma trama que percorre os meandros da política de um estado autoritário e repressor, corrupto e sequioso por manter-se no poder a qualquer preço. Em uma sociedade altamente oprimida e subserviente aos desmandos das autoridades, eis que surge uma peste que apavora e passa a adoecer e dizimar a população. Para combater a queda crescente de popularidade, os dirigentes políticos usam o letal vírus como arma de defesa nacional, sob o argumento de que nações poderosas querem se apoderar de uma propriedade do povo mulumbeiro, afinal o vírus foi criado lá.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.