Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 22/05/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Talita Facchini, 22/05/2020

Eduardo Moreira | © Redes SociaisCom a pandemia do novo coronavírus, muitos países – incluindo o Brasil – entraram no "dilema" economia x saúde. Para alguns, o isolamento social como medida para conter o vírus pode ter um impacto ainda maior na economia, e para outros, o pensamento é totalmente o contrário. Essa discussão pode ter influenciado a lista dos mais vendidos desta semana. A obra Economia do desejo (Civilização Brasileira / Record), do empresário, economista e palestrante Eduardo Moreira (foto ao lado) fez sua estreia ocupando o primeiro lugar da Lista Geral e de Não Ficção ao vender 2.060 exemplares. No livro, Moreira explica por que é insustentável economicamente a ideia de que o Estado deve se preocupar mais com a economia do que com o atendimento das necessidades básicas dos cidadãos. Quem também merece destaque é o bruxo Harry Potter. Em Infantojuvenil, dos 20 livros listados, oito fazem parte da série criada por J.K Rowling e que completa seus 20 anos de publicação no Brasil. O Box Harry Potter (Rocco), edição de colecionador em que as lombadas alinhadas formam o castelo de Hogwarts, lidera a lista com 815 unidades vendidas. As outras sete edições que aparecem na lista fazem parte da coleção em capa dura, com formato maior e novas ilustrações, sendo que quatro delas fizeram suas estreias esta semana. Juntas elas somam 1.911 exemplares vendidos. Clique no Leia Mais para conferir as outras estreias da semana.

PublishNews, Redação, 22/05/2020

A Distribuidora Catavento está sendo um dos players do mercado editorial e livreiro mais ativos na hora de apresentar soluções que podem minimizar os efeitos da pandemia na economia do livro. Já apresentou solução de e-commerce para pequenos livreiros e já fechou parceria com o Sebrae, oferecendo treinamento para este mesmo público. Agora, a distribuidora buscou parceria com a Bookinfo para pensar em uma opção de crédito viável para o mercado editorial e livreiro, através de um novo meio de pagamento e manejo de recebíveis. Essa nova solução será apresentada em um “encontro virtual” logo mais, às 16h. Os organizadores avisam que as vagas são limitadas e os interessados devem preencher um formulário para se candidatar a uma das vagas. O papo será mediado por Bruno Mendes, sócio do #coisadelivreiro e do PublishNews.

PublishNews, Leonardo Neto, 22/05/2020

Livrarias são algumas das beneficiadas pelo projeto de lei | © Fernando de França / Blooks / DivulgaçãoA Associação Brasileira de Editores Universitárias (Abeu), a Associação Nacional de Livrarias (ANL), a Câmara Brasileira do Livro (CBL), a Liga Brasileira de Editores (Libre) e o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) se uniram para declarar apoio ao projeto de lei (PL) 2.148/2020, que quer alterar a Lei do Livro e acrescentar alguns dispositivos que protegem o setor editorial neste momento de crise como a provocada pela pandemia do novo coronavírus. Na carta, cuja íntegra pode ser lida clicando aqui, as entidades destacam que “pequenos negócios do setor do livro, em especial as livrarias, encontram-se com suas portas fechadas e, dessa forma, apresentam grandes dificuldades para a manutenção da saúde financeira e a continuidade dos pagamentos aos funcionários e credores. Por essa razão, são urgentes e necessárias diversas medidas para o combate à pandemia, de forma a minimizar esses impactos na cadeia produtiva e criativa do livro”. O documento pede ainda ligeireza na tramitação do PL: “é prioritário colocar em pauta o PL 2148/2020. Assim, ele poderá tramitar no mais curto tempo possível, evitando a destruição de cadeias de produção artísticas, científicas e educacionais”. Clique no Leia Mais para conhecer o projeto de lei.

PublishNews, Redação, 22/05/2020

Mesmo com as suas lojas fechadas, a Livraria da Travessa achou um jeito de continuar fazendo lançamentos de livros. Desde o início do mês, a livraria tem feito em suas redes sociais promoções que permitem a venda – pelo televendas ou pelo site – de livros autografados. Além disso, os autores dos livros participam de vídeos curtos apresentando a obra, lendo trechos do livro e ainda respondendo a perguntas de leitores. Já lançaram livros assim Arthur Dapieve (Renato Russo: o trovador solitário - Agir), José Roberto Castro Neves (Brasileiros - Nova Fronteira) e Marina Colasanti (Mais longa vida - Record). O novo serviço será tema do 13º episódio do ColabPublishNews que vai ao ar logo mais, às 14h, pelo Facebook do PublishNews. Na conversa, Ana Claudia Mello, responsável pelo projeto, vai contar como funciona e como editores podem participar. O Colab é uma série de lives que o PublishNews tem feito desde o início do período de isolamento. O objetivo é sempre apresentar serviços e soluções que podem ajudar editores, livreiros e distribuidores a passar pela pandemia.

PublishNews, Paula Cajaty*, 22/05/2020

Se as livrarias estão fechando, em escala planetária e em ritmo constante, cabe investigar o motivo pelo qual o modelo de negócio não está sendo sustentável. E a sustentabilidade se revela em uma equação tênue de equilíbrio entre receitas e despesas. Do lado das despesas, sabemos que as livrarias obtém o seu “mostruário” e estoque sem precisar adiantar o pagamento dos produtos, nem o custo da entrega deles, e só pagam meses após a efetiva compra dos clientes. O problema, então, não parece estar com os fornecedores (editores e distribuidores) mas, sim, situa-se na entrada financeira, isto é, no que pagam os seus frequentadores. Ora, um consumidor, ao entrar em um restaurante, café ou lanchonete, é logo impelido a iniciar o seu pedido e, ao terminar a refeição e pagar a conta, não pode ficar na mesa para além de uns confortáveis 10 minutos. Os garçons incumbem-se de gentilmente criar a situação constrangedora com o sutil: “Deseja mais alguma coisa?". Igualmente ao entrar em uma boutique, lá está uma vendedora a impeli-lo ao consumo. “Olá, posso ajudar?” é a senha para que o consumidor esteja a precisar de ajuda para “encontrar o que deseja”, adquiri-la e sair daquele ambiente. Nas lojas de departamento, por sua vez, um consumidor pode estar lá o quanto deseje, pois as fornecedoras pagam pela exposição e pelo espaço (vide modelo Apple dentro da rede FastShop, em que a empresa de tecnologia apenas aluga o espaço para efetuar as vendas), mas só há roupas, gadgets e sapatos, sem sofás ou cadeiras para que possa apenas “estar” agradavelmente em exercício de get-togethers e atividades culturais, intelectuais e de debate. Assim, a livraria fica em um limbo: recebe os seus consumidores, que ali pretendem folhear livros, estudar, fazer consultas, inspirar-se, encontrar amigos e boa programação gratuita sem que, contudo, estejam remunerando a livraria por este serviço de acolhimento. Ainda há o peso para o staff da empresa de cuidar da programação de eventos culturais atrativos sem o respectivo pagamento das entradas. Dizer, pois, que editores, distribuidores e fornecedores são a razão das quebras das livrarias é uma falácia confortável. Clique no Leia Mais e confira a íntegra deste artigo escrito pela editora Paula Cajaty.

PublishNews, Redação, 22/05/2020

Morreu nesta quinta-feira (21), o tradutor, crítico literário e poeta Fernando Py. Ele tinha 84 anos e, de acordo com o jornal Tribuna de Petrópolis, veículo com o qual Py contribuía como colunista, o intelectual teve insuficiência respiratória e sofreu uma parada cardíaca. Ainda de acordo com o jornal, o quadro não correspondia ao do novo coronavírus, mas, mesmo assim, ele foi submetido ao teste. O prazo para entrega do resultado sai em até sete dias. Py ficou conhecido pela sua tradução de Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust, publicado pela Ediouro e pela Nova Fronteira. Além de Proust, Py verteu para o português obras de Balzac, Dumas e Marguerite Duras. Além disso, ele era membro da Academia Brasileira de Poesia e da Academia Petropolitana de Letras. Petrópolis, onde ele morreu, era a cidade onde o carioca morava desde 1967.

PublishNews, Redação, 22/05/2020

A primeira temporada do #ArenaVirtual, série de lives encabeçada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) em parceria com o PublishNews e com o projeto Vá Ler Um Livro, está chegando ao fim. As últimas entrevistadas serão as irmãs Eduarda e Helena Ferreira, do canal Pretinhas Leitoras. Elas vão falar da sua relação com o livro, sobre a construção de narrativas identitárias e sobre a educação antirracista, especialidades da dupla. A live vai ao ar na próxima segunda-feira (25), às 16h, pelo Instagram da CBL (@cbloficial).

PublishNews, Redação, 22/05/2020

Em qualquer batalha, é fundamental conhecer o inimigo, e a teoria da evolução está entre as chaves mais importantes para compreender tanto o novo coronavírus quanto antigas e futuras ameaças infecciosas à saúde dos seres humanos. Pensando nisso, o paleontólogo e YouTuber Pirulla e o jornalista Reinaldo José Lopes, disponibilizaram gratuitamente o e-book Como os vírus e as pandemias evoluem (HarperCollins, 14 pp) para contribuir ao esforço de guerra contra a pandemia. Na obra, eles explicam o processo de como certos vírus (e outros parasitas microscópicos), antes desconhecidos, passam a colocar em risco a vida de milhões de seres humanos num tempo relativamente curto.

“A leitura exige que estejamos disponíveis para nos sentirmos.”
José Luis Peixoto
Escritor português
1.
Economia do desejo
2.
Mais esperto que o diabo
3.
Todo santo dia
4.
Mulheres que correm com os lobos (capa dura)
5.
Box Harry Potter
6.
Do mil ao milhão
7.
A sutil arte de ligar o foda-se
8.
Quem pensa enriquece: o legado
9.
O milagre da manhã
10.
Caixa Bone: série completa
 
PublishNews, Redação, 22/05/2020

O novo coronavírus, responsável pela covid-19, pegou a maior parte da população mundial de surpresa e deixou a vida no planeta em suspenso, enquanto cientistas buscam incessantemente tratamentos e vacinas contra esse inimigo invisível. Poderia ter sido diferente. Em Inimigo mortal: Nossa guerra contra os germes assassinos (Intrínseca, 304 pp, R$ 49,90 – Trad.: Ana Rodrigues, Bruno Casotti, Jaime Biaggio e Marina Vargas), Michael T. Osterholm, um dos grandes nomes da epidemiologia internacional, mostra como poderíamos estar muito mais bem preparados para essa pandemia e analisa diversos outros surtos e epidemias de doenças infecciosas, como Sars, Aids e Ebola, suas causas e desdobramentos. A obra foi escrita em parceria com Mark Olshaker, coautor de Mindhunter. Com base no que há de mais recente nas ciências médicas, estudos de caso, pesquisas e lições epidemiológicas aprendidas a duras penas, Inimigo mortal explora os recursos e programas que precisamos desenvolver para nos manter a salvo de doenças infecciosas.

PublishNews, Estevão Ribeiro, 22/05/2020

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.