Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 29/01/2020
Há 49 anos servindo a cultura e educação, é uma das maiores distribuidoras de livros para o ensino de idiomas, técnicos e científicos.
A Transpo Express é uma transportadora que já atua há 10 anos focada completamente no segmento editorial. Faz entregas e coletas em editoras, distribuidoras, livrarias, gráficas e grandes redes. A área de atuação atualmente engloba São Paulo (Capital), grande São Paulo, Jundiaí, Campinas e todo o estado do Rio de Janeiro.
A área de Soluções em Acessibilidade é uma divisão da Fundação Dorina Nowill para Cegos criada para oferecer o mais amplo portfólio de produtos e serviços acessíveis a empresas que desejam não apenas se adequar à lei, mas atender a todos os seus clientes com a mesma atenção e respeito!
PublishNews, Redação, 09/01/2020

Biblioteca Mario de Andrade | © Sylvia MasiniO Instituto Gallup divulgou o resultado de uma pesquisa interessante. No último ano, apesar proliferação de atividades digitais nas últimas duas décadas, os americanos foram mais à biblioteca do que ao cinema. Para chegar a essa conclusão o instituto de pesquisa realizou entrevistas telefônicas com uma amostra aleatória de 1.025 adultos em todos os 50 estados americanos. Ir à biblioteca é a atividade cultural mais comum entre os respondentes e ganhou de outras iniciativas como ir ao teatro, eventos esportivos, parques, shows musicais, museus, zoológicos, parques de diversões e até ao cassino. Outro dado da pesquisa é que as bibliotecas são mais frequentadas por adultos em famílias de baixa renda. Isso porque os equipamentos oferecem wi-fi grátis, aluguel de filmes e atividades para crianças. A pesquisa relata também que as mulheres visitam as bibliotecas duas vezes mais que os homens e que a faixa de idade dos visitantes fica entre 18 e 29 anos, a mesma dos visitantes dos cassinos. Os maiores frequentadores das outras atividades culturais são adultos entre 30 e 49 anos. Clique no Leia Mais para conferir a íntegra desta nota.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

Arnaud Vin, editor da Nemo, no Festival International de la Bande Dessinée d’Angoulême de 2018 | © Página da Autêntica no FacebookQuem está na França é o editor Arnaud Vin, publisher do selo Nemo, braço do Grupo Autêntica dedicado à publicação de histórias em quadrinhos e graphic novels. Ele participa do Festival International de la Bande Dessinée d’Angoulême (30/01 a 02/02). Considerado um dos mais importantes eventos do gênero no mundo, o festival convidou 20 editoras do mundo para a sua programação e a Nemo é a única brasileira da lista. Nesta quarta-feira (29), antecedendo a abertura oficial do evento, Arnaud participa de uma conferência sobre o Balanço do mercado internacional de histórias em quadrinhos, ao lado de profissionais da França, Finlândia, Rússia e Canadá. E por falar na Nemo, a editora adiantou que prepara, ainda para este semestre, o lançamento da trilogia A odisseia de Hakim, do francês Fabien Toulmé, autor de Não era você que eu esperava e Duas vidas.

PublishNews, Talita Facchini, 29/01/2020

Charles Cosac | © Sylvia MasiniQuatro anos depois de ter o seu fim anunciado, a Cosac Naify lançou esta semana um novo livro. A obra em questão é Tunga, escrita por Catherine Lampert, ex-diretora da Whitechapel Art Gallery e que apresenta toda a obra de Antônio José de Barros Carvalho e Mello Mourão, nas artes conhecido como Tunga. Desde que a editora fechou, no fim de 2015, Charles Cosac trabalha no livro que foi lançado na última terça (28). Em entrevista ao Estadão, Cosac afirmou que o livro não significa a volta da editora, que mesmo fechada, continuou existindo juridicamente. “Tem um lado meu que pensa em fazer um livro por ano, que pensa que nada me impede de fazer o livro que eu quiser, na hora que quiser. A editora não renasceu, mas é uma forma de falar também que sempre vai haver uma chaminha dela acesa no meu coração”, contou. O atual diretor do Museu Nacional da República revelou ainda que pouco mais de 300 livros serão vendidos. No total foram impressos 1.500 exemplares, mas a maioria será dada aos colaboradores.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

Kobe Bryant e Paulo Coelho | © Michael Wa / © Niels AkermannNesta semana, Paulo Coelho anunciou que excluiu o rascunho de um livro que estava escrevendo junto com Kobe Bryant, jogador de basquete que faleceu no último domingo (26) em um acidente de helicóptero. À Associated Press, Coelho disse que não fazia mais sentido publicar o livro sem Kobe. "Não acrescentaria nada relevante para ele ou sua família", mas acrescentou que nada o impede de escrever um dia sobre as coisas que aprendeu com o jogador. Os dois começaram a discutir sobre o projeto do livro em 2016 após Kobe entrar em contato com o autor brasileiro. A ideia era que o livro pudesse inspirar crianças carentes a superar as adversidades através do esporte. "Kobe sempre se preocupou muito em fazer um livro que fosse um exemplo positivo para as crianças, especialmente as que vieram de origens humildes", contou o autor à AP. Coelho não informou quantas páginas já estavam escritas e nem o nome do livro.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

A Universidade do Livro (Praça da Sé, 108 – São Paulo / SP) abriu as inscrições para a segunda edição do curso de Produção e comercialização de audiolivros. O conteúdo destina-se a autores, editores, profissionais da área editorial e produtores independentes e será ministrado por Sandra Silvério, que trabalha com audiolivros desde 2006 e é autora do livro Audiobook – audiolivro: da produção à comercialização (2018), disponível em e-book, audiobook e vídeo. No curso, ela abordará questões como qualidade de áudio e de leitura, contratação de estúdios, custos e relacionamento com as plataformas -- quem são, como funcionam, como cobram, como pagam, o que pode ser mais ou menos vantajoso, dentre outros tópicos. O curso acontece de 4 a 6 de fevereiro, das 18h30 às 21h30 e o investimento é de R$ 376.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

João Gilberto Noll | © Adriana FranciosiEm sua segunda edição, o festival literário Rastros do Verão segue com o propósito de celebrar o legado de João Gilberto Noll (1946-2017), dar visibilidade para escritores e escritoras que lançaram obras de ficção e poesia em 2019 e fortalecer livrarias de bairro. Organizado por Fernando Ramos e Vitor Necchi, o evento segue até 15 de fevereiro com uma programação composta de leituras, bate-papos, autógrafos e cursos. O nome do festival deriva do terceiro romance de Noll, Rastros do verão (1986), que apresenta um personagem que retorna a Porto Alegre e vaga pela cidade deserta em uma terça-feira de Carnaval. As ruas eram presença marcante na obra do autor, por isso esta edição do evento é pautada pela cartografia de Noll, em uma tentativa de seguir os rastros do autor. Hoje, às 19h30, na Livraria Taverna (Rua Cel. Fernando Machado, 370 – Porto Alegre / RS) acontece a leitura do livro O cego e a dançarina – primeira obra de Noll – e logo em seguida, haverá um bate-papo com Altair Martins, Henrique Schneider e Jéferson Assumção. A mediação ficará por conta de Fernando Ramos. Amanhã (30), a Livraria Bamboletras (Rua Gen. Lima e Silva, 776) terá uma leitura de poesia e um bate-papo com os autores Pedro Gonzaga, Priscila Pasko e Taiasmin Ohnmacht. A programação completa você confere clicando aqui.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

A série Ensaios de Peter Handke, que começou a ser publicada em 1989, é formada por textos que mesclam memórias, reflexão e invenção literária. Transitando entre a autoficção e o gênero ensaístico, o autor ganhador do Prêmio Nobel de Literatura de 2019 apresenta seu olhar sobre o cotidiano, colocando em evidência a linguagem e o tempo. Em Ensaio sobre a jukebox (Estação Liberdade, 112 pp, R$ 38 - Trad.: Luis S. Krausz), Handke foge de qualquer cronologia linear e de processos de narrativa convencionais. A busca do protagonista pela jukebox o leva a vários lugares e períodos e, a cada vez, representa a impossibilidade de abraçar a realidade e de fazer coincidir a vida interna com a experiência do mundo. O autor rege a ópera a partir de sua escrivaninha (tendo como ferramentas apenas papel e lápis) no quarto de hotel em Soria, pequena cidade no interior da Castela espanhola. O embate entre a jukebox e a escrivaninha acaba sendo o real enredo deste ensaio em que Handke abre a caixa de Pandora de sua escrita.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

Rua de dentro (Record, 128 pp, R$ 39,90), livro de Marcelo Moutinho, traz 13 contos inéditos e foi inspirado pela rotina das ruas do subúrbio carioca e nas histórias de vida personagens reais do cotidiano da cidade que são invisibilizados pela sociedade: a mulher trans que se divide entre as ruas e a faculdade, o segurança de estádio de futebol que segura a fúria da torcida, a desempregada que agita bandeiras de posto de gasolina pra defender trocados, o menino que começa a ter contato com a malandragem da favela. Moutinho lança a obra nesta quinta (30), às 19h, na Livraria da Travessa Botafogo (Rua Voluntários da Pátria, 97 – Rio de Janeiro / RJ); no dia 1º de fevereiro, às 15h, na Livraria Folha Seca (Rua do Ouvidor, 37 – Rio de Janeiro / RJ) e no dia 4, às 19h, na Travessa de Pinheiros (Rua dos Pinheiros, 513 – São Paulo / SP).

“Em vez de discutir o papel da literatura e dos escritores, eu prefiro falar sobre o presente que é a literatura. Para mim, como leitor, os livros que eu gosto foram um presente.”
Amós Oz
Escritor israelense (1939-2018)
1.
A sutil arte de ligar o foda-se
2.
Do mil ao milhão
3.
Mais esperto que o diabo
4.
O milagre da manhã
5.
Escravidão
6.
Seja foda!
7.
A garota do lago
8.
Como fazer amigos e influenciar pessoas
9.
Mindset
10.
Os segredos da mente milionária
 
PublishNews, Redação, 29/01/2020

Em Nove histórias (Todavia, 208 pp, R$ 54,90 – Trad.: Caetano W. Galindo), J. D. Salinger deu a seus leitores nove obras-primas da narrativa curta. Do cultuado Um dia perfeito para peixes-banana, em que o leitor tem seu primeiro - e impactante - contato com a família Glass, ao Para Esmé - com amor e sordidez, as histórias reunidas no livro dão a justa medida do talento de Salinger. Poucos escritores souberam capturar com tanta maestria uma época, seus temas e anseios. Nestas nove ficções, os EUA do pós-guerra aparecem com inédito frescor literário conforme o leitor acompanha os efeitos, às vezes sutis, do conflito na vida de indivíduos e famílias. Nove histórias ainda traz à tona alguns dos mais marcantes personagens da prosa do século XX, como o misterioso Seymour e a adorável Esmé, bem como pistas importantes para o quebra-cabeça da família Glass, que Salinger continuaria trabalhando em seus próximos livros.

PublishNews, Redação, 29/01/2020

Sem idealizações nem sentimentalismos, As pequenas virtudes (Companhia das Letras, 128 pp, R$ 44,90 – Trad.: Mauricio Santana Dias) é fruto de uma prosa que, ao falar de coisas simples, revela as questões humanas mais profundas. Em 11 textos, a escritora italiana Natalia Ginzburg não faz delimitações entre as dimensões social e histórica, construindo uma obra singular. O livro é dividido em duas partes. A primeira se atém a deslocamentos — como o período em que a autora morou em Londres — e a retratos de duas figuras centrais em sua vida: o poeta Cesare Pavese, de quem ela foi amiga, e Gabriele Baldini, seu segundo marido. Na segunda, figuram ensaios como O filho do homem, uma avaliação das sequelas da guerra recém-terminada; O meu ofício, em que Ginzburg explora as relações entre escrita e verdade íntima; e o texto que dá título a este volume, um elogio às verdadeiras grandezas humanas.

 
©2001-2020 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.