Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 19/06/2018
A psi7 Printing Solutions & Internet 7 S.A. é uma empresa de tecnologia na gestão de conteúdos que ajuda as empresas, sejam editoras ou indústrias, a propagar o seu conteúdo nos formatos impresso, áudio, dados ou eletrônico.
Revisora, copidesque e produtora editorial há mais de dez anos com experiência em todas as etapas da produção editorial.
Com mais de 20 anos de experiência na diagramação de livros, Julio Fado oferece um trabalho profissional, de qualidade e rápido. Além da diagramação de livros para impressão, ele também diagrama livros em formato digital.
PublishNews, Redação, 19/06/2018

Fachada da nova Casa PublishNews em ParatyPelo quarto ano seguido, o PublishNews terá uma casa em Paraty durante a Flip (25 a 29/07). Em novo endereço (Rua Comendador José Luiz, 274), a Casa PublishNews promete ser novamente o ponto de encontro do mercado editorial durante a festa literária. Nesse ano, os parceiros que já estão confirmados são: Edições Sesc SP, Editora Labrador, Metabooks, Feira do Livro de Frankfurt, RR Donnelley e UmLivro (Meta). A casa manterá seus happy hours diários, como vem fazendo desde a primeira edição e, como já aconteceu nos últimos dois anos, a Casa abrigará debates sobre temas atuais e relevantes para o mercado editorial. Essa programação será anunciada em pílulas sempre por meio do nosso podcast que, a partir dessa semana, passa a receber os parceiros da Casa. Nessa primeira semana, recebemos Daniel Pinsky, que fundou há dois anos a Labrador, editora que tem se especializado no que chama de “autopublicação premium”. A editora vai levar para Paraty cinco autores: Merav Bender de Safdié, Marília Passos, Walter Ghelfi, Andréa Kogan e Luiz Celidonio, que participarão de alguns momentos da programação. Clique no Leia Mais e confira mais detalhes da Casa.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Na sexta passada, quando Luiz Armando Bagolin renunciou ao cargo de curador do Prêmio Jabuti, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) emitiu uma nota em que lamentava a decisão do curador e dizia que continuaria com o trabalho realizado por acreditar que as mudanças propostas ajudarão a tornar o prêmio mais moderno e relevante. Na tarde desta segunda-feira, a entidade que realiza o Jabuti distribuiu uma carta endereçada a “escritores, ilustradores, especialistas, promotores, mediadores de leitura e designers da Literatura Infantil e Juvenil” reafirmando que, para a 60ª edição do Prêmio, nada muda. “Após cuidadosa análise junto aos conselheiros, auditores externos contratados e ao departamento jurídico da CBL, avaliamos a possibilidade de implementar as modificações sugeridas ainda este ano, o que se mostrou tecnicamente inviável”, diz a carta. O documento assinado por Luis Antônio Torelli, presidente da CBL, diz ainda que todas as propostas apresentadas serão consideradas para o regulamento do prêmio do ano que vem. Clique no Leia Mais e tenha acesso à íntegra da carta.  

PublishNews, Redação, 19/06/2018

O Podcast do PublishNews é gravado sempre às quintas e geralmente vai ao ar às segundas. Mas, por conta de algumas notícias importantes que surgiram na última sexta, decidimos inclui-las nesta edição. O podcast dessa semana comenta então o pedido de demissão do agora ex-curador do Prêmio Jabuti, Luiz Armando Bagolin, e faz uma rápida retrospectiva dos acontecimentos da semana anterior que o levaram a tomar essa decisão. Ainda como parte da edição extra, explicamos a nota da Saraiva que teve a falência requerida. Cheia de assuntos importantes, o podcast não podia deixar de colocar na pauta a alteração feita pelo MEC no edital do PNLD 2020, o fechamento da Fnac de Pinheiros e o nosso encontro em parceria com a UmLivro que contou com a participação de Meire Dias. Falando em participação, nesta edição recebemos o fundador da editora Labrador, Daniel Pinsky, que além de comentar todas essas notícias com nossa equipe, contou em primeira mão, como será a participação da Labrador na Casa PublishNews na Flip 2018 (25 a 29/07). Para acessar o podcast, produzido graças à parceria com a Ubook, clique no Leia Mais.  

PublishNews, Luís Antonio Torelli*, 19/06/2018

O ano de 2018 representa para o país um significativo passo na ampliação do acesso ao livro e na realização de práticas de difusão e estímulo à leitura. Isso significa, no contexto nacional, um resultado importante de desenvolvimento cultural e educacional. A Câmara Brasileira do Livro (CBL) participa de modo ativo da construção desse novo momento. Apresentamos ideias, sugestões e propostas a governos e à sociedade, bem como expusemos experiências e caminhos facilitadores de incremento ao livro e a leitura, que significaram o resultado do projeto de Lei 7752/17 Política Nacional de Leitura e Escrita - PNLE. O projeto de lei, de autoria da senadora Fátima Bezerra e relatado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados pela deputada Maria do Rosário, visa instituir uma política permanente de promoção e de universalização do direito ao acesso ao livro, à leitura, à escrita, à literatura e às bibliotecas em todo o país. A formação do professor, infelizmente não dá ênfase ao incentivo de novos leitores. Como consequência a literatura não está presente na maioria das salas de aula. Clique no Leia Mais para ter acesso à íntegra desse artigo.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

O Festival Literário de Internacional de Óbidos (Fólio - 27/09 a 07/10) convidou no último mês a LER – Salão Carioca do Livro para integrar sua programação, a novidade agora é que o Festival Literário de Poços de Caldas - Flipoços também irá fazer parte da festa. O Flipoços caminha para sua 14ª edição e tem se destacado por valorizar a literatura lusófona, sobretudo, a literatura portuguesa e moçambicana. Assim, pelo reconhecimento desse trabalho, a curadora do Flipoços, Gisele Corrêa Ferreira, vai representar o festival no Folio em Óbidos, de 5 a 7 de outubro. O festival português acontece desde 2013 e a temática principal deste ano será Invenção do Futuro, o Ócio, o Negócio e o medo. Nesse sentido, o Flipoços vai apresentar duas atrações no Folio: uma mesa em que convida autores portugueses que já estiveram no Flipoços, sobretudo, os que estiveram pela primeira vez no Brasil e em um festival brasileiro. Nessa mesa a curadora quer traçar um paralelo entre o “medo do desconhecido” de uma participação de um autor no Brasil e sua própria participação pela primeira vez em um festival em Portugal. Além desse bate papo, a curadora vai participar também de uma mesa sobre as festas literárias brasileiras, além de apresentar escritores brasileiros inéditos em Portugal.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

O GEN abriu processo seletivo para contratar um analista de Marketing Editorial para trabalhar em São Paulo. Entre as principais responsabilidades do contratado estão: planejar e coordenar as estratégias e ações de vendas, marketing e comunicação para os produtos editoriais casa; fazer gestão das redes sociais e marketing de conteúdo e outras ações digitais; elaboração do plano de vendas, seguindo os eventos e sazonalidades e definir as estratégias e ações de divulgação acadêmica. Do candidato é exigida a formação superior em Administração, Comunicação, Jornalismo ou Marketing, além de experiência anterior em Marketing e Comunicação e os que têm experiência no mercado editorial e conhecimentos das novas tecnologias de ensino saem na frente. Interessados devem enviar currículo para o e-mail recrutamento@grupogen.com.br até o dia 29 de junho.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Autor das obras A tolice da inteligência brasileira A elite do atraso, Jessé Souza lança logo mais, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional (Av. Paulista, 2.073 – São Paulo / SP), Subcidadania brasileira (LeYa, 288 pp, R$ 44,90). O livro consolida o pensamento do autor e o coloca no rol dos intelectuais que se dedicaram a buscar caminhos para a superação das grandes questões nacionais. Crítico severo da corrente que busca na herança colonial portuguesa e no patrimonialismo – pais do famoso “jeitinho” – as chaves para desvendar todos os males da sociedade brasileira, Jessé ousa ao afirmar que a soma incalculável de privilégios acumulados pelas elites, aliada a um racismo estrutural, são os verdadeiros responsáveis por nossas desigualdades. Esse racismo, considerado por ele implícito e permanente, cria cidadãos de segunda classe. O lançamento com sessão de autógrafos e bate-papo começa às 19h.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

O selo Harlequin Books, da HarperCollins Brasil, começou sua segunda tour pelo país para divulgar seus lançamentos. Segundo a editora, Renata Sturm, a intenção é cada vez mais envolver as leitoras com os livros e as autoras da casa. “Quando pensamos no novo formato da Harlequin, nosso objetivo era trazer autoras nacionais, já que a produção de romances no Brasil é tão rica. Só faltava um evento bacana que apresentasse essas autoras e aproximasse ainda mais o público”, explicou. O próximo evento da Tour Harlequin acontece em Curitiba, com a autora Lola Salgado, que lança a obra Sol em Júpiter, e Janice Diniz. O evento será na Livrarias Curitiba – Shopping Palladium (Av. Pres. Kennedy, 2.047), no dia 14 de julho, às 15h.

“Tenho vontade de gritar de desespero quando uma livraria fecha”
Ignácio de Loyola Brandão
Escritor brasileiro
1.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
2.
A sutil arte de ligar o foda-se
3.
O milagre da manhã
4.
Combate espiritual
5.
Felipe Neto - A vida por trás das câmeras
6.
Me poupe!
7.
Seja foda!
8.
O poder da autorresponsabilidade
9.
Desbloqueie o poder da sua mente
10.
O poder da ação
 
PublishNews, Redação, 19/06/2018

Criado em 2006 por um grupo de estudantes, o jornal Plástico Bolha, editado por Lucas Viriato, tem hoje uma tiragem de 13 mil exemplares e é distribuído em 13 estados do Brasil. A 39ª edição do jornal acaba de sair da gráfica trazendo textos de Peter Pál Pelbart, Tchello d'Barros, Paulo Henriques Britto, Ricardo Aleixo, Antonio Miranda, Gregório Duvivier, Leoni, entre outros. Para marcar o lançamento, a Plástico Bolha programou uma série de eventos. No dia 26, o editor comanda um sarau de música e literatura, no Midrash Centro Cultural (Rua General Venâncio Flores, 184 – Rio de Janeiro / RJ). Entre uma leitura e outra, o músico Marco Goulart Forte desfia um repertório de Tom Jobim, acompanhado do pianista Itamar Assiere. No dia 7 de julho, outro sarau, na Cidade das Artes (Av. das Américas, 5.300), celebra o início da parceria do Plástico Bolha com o centro cultural, onde o jornal passa a ser distribuído gratuitamente. A ideia é fazer uma leitura conjunta, com autores e pessoas do público. Para ajudar a se manter, o jornal criou uma "vaquinha virtual" pela plataforma de financiamento coletivo Apoia.se. Quem quiser colaborar, basta clicar aqui

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Em De amor tenho vivido (Companhia das Letras, 96 pp, R$ 49,90), breve coletânea de poemas de Hilda Hilst ilustrados pela artista Ana Prata, o leitor vai conhecer as muitas faces da poeta que se dedicou ao amor com total devoção. Do primeiro livro de poesia, Presságio, de 1950, até o último, Cantares do sem nome e de partidas, de 1995, o amor atravessa toda a produção poética de Hilda Hilst. Em constante diálogo com a tradição de odes, trovas e cantares, os poemas tematizam o amor em suas múltiplas formas: a entrega ao amado, o desejo ardente, a expectativa pelo encontro, o medo da despedida. Com vasto repertório de imagens, Hilda criou um universo composto pelos mais diversos elementos, o que resultou numa obra comovente e primorosa, que encontrou no amor sua principal fonte de inspiração.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Guiado pela questão “Por que ler este poeta?”, o poeta, professor e ensaísta Antonio Carlos Secchin propõe, em Percursos da poesia brasileira (Autêntica / Editora UFMG, 368 pp, R$ 59,80), reflexões acerca de autores consagrados e também daqueles esquecidos ou minimizados no cânone de nossas letras. Percorrendo desde o século XVIII, com Tomás Antônio Gonzaga, até alcançar alguns escritores do século XXI, como Ferreira Gullar e Chico Buarque, os ensaios apresentam uma espécie de história informal da poesia brasileira. Para o autor, os textos reunidos compõem uma espécie de “leitura seletiva” da trajetória da nossa lírica. Apresentando ensaios inéditos em livro, como: Gonçalves Dias: poesia e etnia, Álvares de Azevedo: Morfeu & a musa, As ruas, entre outros, o autor organizou os estudos na sequência cronológica da produção dos poetas para não subtrair a referência histórica em que tais obras originalmente se apresentam.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Ricardo Aleixo não é um, mas vários. Há em sua obra, cuidadosamente trabalhada desde a estreia em livro nos anos 1990, uma mescla do melhor da poesia e das artes brasileiras dos séculos XX e XXI. Aleixo é lírico e profundo como os melhores poetas mineiros desde Drummond. Em suas diversas facetas, o poeta mineiro demonstra engenho e arte para falar do amor, da família, da cultura afro-brasileira, das grandes cidades e da própria literatura. Pesado demais para a ventania (Todavia, 200 pp, R$ 39,90) reúne o melhor de 25 anos de sua produção poética. Organizado em seis grandes eixos, o livro oferece um panorama para a obra de Aleixo. Os textos são observações líricas e poderosas sobre os relacionamentos, o racismo, o amor, os antepassados e a própria poesia.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

No livro Carvão : : capim (Editora 34, 88 pp, R$ 36), vida e morte pulsam com igual intensidade, tal como pulsam dentro de nós. Nesta quinta coletânea poética de Guilherme Gontijo Flores, esses dois elementos quase contraditórios funcionam, conjuntamente, como um símbolo do ciclo da vida. Dividido em quatro partes, articuladas por dois poemas centrais, o livro parte de uma Petrografia esparsa, com poemas de cunho social, aludindo às tantas mortes que marcaram e continuam a marcar o solo da nossa história. Em seguida, História dos animais propõe uma zoopoética que não deixa de enxergar a beleza da morte iluminada, por exemplo, numa pedra de âmbar. Já Quatro cantatas fúnebres traz, entre outros, poemas dedicados à guerrilheira Dinalva Oliveira e ao poeta e revolucionário salvadorenho Roque Dalton, ambos assassinados por motivos políticos.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Em Gosto dela livre (Verus / Record, 240 pp, R$ 39,90 – Trad.: Ana Guadalupe), o poeta anônimo Atticus captura aquilo que é visceral e familiar nos momentos mais simples da vida, assim como nos mais grandiosos: o primeiro vislumbre de um novo amor, nadar sem roupas em uma noite de verão, a exuberância irreprimível do espírito feminino, tomar um uísque no deserto assistindo ao nascer do sol. A obra é dividida em três seções. A primeira Gosto, é sobre o amor e o significado deste sentimento. Dela fala sobre uma mulher. E Livre finaliza o livro com poemas sobre um amor jovem e livre, sobre a liberdade que há dentro de cada um. Nas palavras do autor, Gosto dela livre tem um pouco de duplo sentido: pode ser sobre amar sua liberdade, ou sobre amá-la livremente.

PublishNews, Redação, 19/06/2018

Depois de O gato zen e O gato filosofo, a arte de Kwong Kuen Shan está de volta em O gato e as orquídeas (Estação Liberdade, 96 pp, R$ 28 – Trad.: Demise Bottamann). Esta coleção, com 40 novas aquarelas, evoca os gatos e a sabedoria de seus modos, aliados a um novo elemento: a beleza e a energia silenciosa das flores. As pinturas são acompanhadas de textos: poemas, provérbios ou trechos populares da milenar tradição chinesa, pelos sábios Hung Ying-Ming, Cao Xueqin e Han Yu, entre outros. Como outros pintores da escola tradicional chinesa, Kuen Shan busca retratar o Qi - vitalidade, espírito - dos seus temas. A partir da observação atenta e da reflexão, brotam as imagens. Em O gato e as orquídeas, as flores vêm para dar um toque a mais de significado e graciosidade nas cenas de felinos retratadas pela artista. 

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.