Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 10/04/2018
A psi7 Printing Solutions & Internet 7 S.A. é uma empresa de tecnologia na gestão de conteúdos que ajuda as empresas, sejam editoras ou indústrias, a propagar o seu conteúdo nos formatos impresso, áudio, dados ou eletrônico.
Revisora, copidesque e produtora editorial há mais de dez anos com experiência em todas as etapas da produção editorial.
Com mais de 20 anos de experiência na diagramação de livros, Julio Fado oferece um trabalho profissional, de qualidade e rápido. Além da diagramação de livros para impressão, ele também diagrama livros em formato digital.
PublishNews, Talita Facchini, 10/04/2018

No último mês, o Grupo Companhia das Letras anunciou uma importante mudança em sua equipe e que marca o início de um novo projeto da empresa. Simone Ruiz, jornalista por formação, com 30 anos de atividade entre o mercado jornalístico e editorial, sendo 10 deles como gerente de comunicação da Objetiva, assumiu o cargo de produtora / editora autônoma da Ideias & Cia. O novo projeto do grupo começou a ganhar forma em 2016, quando Luiz Schwarcz, inspirado pelo Speakers Bureau, da Penguin Random House, decidiu fazer algo parecido por aqui: oferecer uma curadoria especializada para os autores palestrantes e aqueles que queiram começar na carreira e, assim como o projeto da Penguin, divulgar o conteúdo desses autores para além das páginas dos livros. “Quem conhece o autor melhor do que a sua editora?”, pergunta Simone, que em conversa com o PublishNews explicou que a Ideias & Cia será uma agência dentro da Companhia e que oferecerá um trabalho diferenciado. Clique no Leia Mais para saber outros detalhes da agência e a data do primeiro evento.

PublishNews, Talita Facchini, 10/04/2018

A Intrínseca comprou, em pre-empt, os direitos de publicação do livro Whisper network, da autora Chandler Baker (foto ao lado), um dos mais comentados na véspera da Feira de Londres, que foi aberta oficialmente nesta terça-feira. O livro gira em torno de quatro mulheres que descobrem que seu chefe direto, um homem sobre o qual todos já ouviram histórias de assédio, deve ser o próximo CEO da empresa. Além de abordar questões atuais - como as que são debatidas hoje pelo movimento #MeToo -, a narrativa também envolve uma morte, que pode estar relacionada a uma das quatro personagens. O negócio foi intermediado pela Agência Riff. A Sextante também adquiriu os direitos de um livro que fala sobre o direito das mulheres. Vox, de Christina Dalcher, se passa numa América onde foi decretado que as mulheres não podem falar mais do que 100 palavras por dia. Se antes uma pessoa normal usava mais de 16 mil palavras por dia, agora as mulheres só têm 100 para se fazer ouvir. Logo elas perdem seus empregos e não são mais ensinadas a ler e escrever, mas a Dra. Jean McClellan irá lutar por si, sua filha e todas as mulheres para recuperar a sua voz.

PublishNews, Redação, 10/04/2018

No próximo sábado (14), o Instituto Estação das Letras (Rua Marquês de Abrantes, 177 – Rio de Janeiro / RJ) irá reunir profissionais gabaritados do mercado editorial para um clico de workshops sobre os novos desafios da profissão escritor. Serão discutidos temas como o empreendedorismo em cultura editorial, diálogos literários, narrativas ficcionais e não ficcionais, formas de publicar e se inserir e manter no mercado, e a escrita afetiva no universo da profissão de escritor. E para dividir a experiência com os participantes, estarão presentes Michelle Strzoda (jornalista e editora), Ana Cláudia Maia (da Estante Virtual); Frini Georgakopoulos (jornalista e comanda o Clube do Livro Saraiva), Vinicius Grossos (jornalista e escritor), Heloisa Seixas (jornalista e autora), Débora Finkielsztejn (especialista em gestão de projetos), dentre outros profissionais. O Ciclo profissão: Escritor acontece das 9h às 18h e o investimento pode ser parcelado em duas vezes de R$ 290. 

PublishNews, Redação, 10/04/2018

Jacques Fux no Papo de Boteco da Casa PublishNews em 2017 | © Julio VilelaLogo mais, às 19h30, o Sempre um Papo recebe o escritor mineiro Jacques Fux para o debate e o lançamento do livro Nobel (Record). No novo romance, Fux realiza o sonho de todo escritor: ser laureado com um Nobel de Literatura. Com uma escrita divertida, ele narra o discurso de aceitação do prêmio, enquanto destila toda sua inveja sobre antigos laureados. Com muitas referências e comentários perspicazes, o autor se delicia com o momento e reflete a história de uma das maiores premiações existentes no meio literário. O evento gratuito acontece no auditório da Cemig (Rua Alvarenga Peixoto, 1200 - Santo Agostinho / BH).

PublishNews, Redação, 10/04/2018

A Mauricio de Sousa decidiu inovar e agora 90 "audioquadrinhos" da Turma da Mônica integram o catálogo do Ubook, plataforma de audiolivros por streaming. Na produção, quem dá voz aos personagens são os mesmos atores que dublam as histórias da turma nos desenhos animados: Mônica, Magali, Cebolinha, Chico Bento e Cascão. Os 90 "audioquadrinhos", que trazem histórias da turma toda, foram produzidos para celebrar os 80 anos de Mauricio de Sousa, mas é a primeira vez que seu conteúdo será disponibilizado no formato streaming e estará presente na categoria Kids do Ubook.

PublishNews, Talita Facchini, 10/04/2018

Depois de falar do livro Outros jeitos de usar a boca (Planeta), de Rupi Kaur e do - ainda fenômeno – A parte que falta (Cia das Letrinhas), de Shel Silverstein, a youtuber JoutJout fez mais um vídeo, dessa vez com sua parceira, a TAG Livros. No vídeo lançado no último mês, ela explica sobre o novo serviço oferecido pelo clube de leitura, o TAG Inéditos, que tem como proposta caçar os lançamentos mais amados ao redor do mundo e ainda inéditos no Brasil e trazer em primeira mão aos associados. Segundo Gustavo Lembert, fundador da TAG, o primeiro livro do novo serviço será enviado agora em abril e o TAG Inéditos já conta com mais de seis mil associados. “Um começo promissor”, comemora Gustavo, vencedor da última edição do Prêmio Jovens Talentos. Ele ainda dá uma dica sobre o primeiro livro: “ele foi escrito por uma autora que vendeu mais de 25 milhões de exemplares ao redor do mundo, mas que ainda não estourou no Brasil”. Para finalizar, Gustavo confirma o resultado de uma publicidade bem-feita. “Sem dúvida a divulgação feita pela JoutJout trouxe resultados importantes para a TAG. Por ela gostar do clube e se identificar com o produto, a maneira como ela fala da gente é muito carinhosa, e isso aumenta o interesse das pessoas. Então, sim, tivemos aumento no número de novos associados, contatos por e-mail, seguidores no Facebook e Instagram, etc”. 

PublishNews, Redação, 10/04/2018

A edição de abril do jornal Cândido, editado mensalmente pela Biblioteca Pública do Paraná, traz como destaque uma análise da ficção científica brasileira e o lugar que ela ocupa na literatura nacional. Mesmo pouco valorizado pela imprensa, prêmios e feiras literárias, o gênero vive hoje um cenário bastante fértil no país. O escritor Luiz Bras assina o ensaio Irmandade marginal, que mostra a linha evolutiva da ficção científica no Brasil, e na sexta entrevista da série “Os editores”, o escritor e jornalista Marcio Renato dos Santos conversou com Maria Amélia Mello, que comentou sua carreira no mercado editorial brasileiro. Outro destaque da edição é o ensaio da jornalista e escritora Marleth Silva sobre a trajetória da contista americana Lucia Berlin (1936-2004). E na seção de inéditos, o Cândido publica três contos de autores da ficção científica brasileira contemporânea: Santiago Santos, Lúcio Manfredi e Giovanna Picillo.

PublishNews, Redação, 10/04/2018

© Edouard FrapointA Galeria Superfície (Rua Oscar Freire, 240 – São Paulo / SP) abre, logo mais, a exposição A poesia e as artes visuais. Com organização de Gustavo Nóbrega, a mostra reúne um conjunto de obras de artistas de distintas gerações em um recorte panorâmico, que destaca o uso da palavra, sua transformação e até mesmo sua exclusão via associação e codificação. “A ideia é criar uma narrativa entre os artistas que usaram da poesia e os poetas que usaram das artes. Ao final, a sequência de obras forma um grande poema”, conta Gustavo. A organização tem como referência o texto A poesia e as artes visuais, do crítico Frederico Morais, publicado originalmente no jornal Diário de Minas em maio de 1957. A mostra apresenta o legado de poetas e artistas de vanguarda, em diálogo com artistas contemporâneos, herdeiros ou sucessores do uso da palavra na imagem e contém obras de nomes como Alighiero Boetti, Detanico & Lain, Guga Szabzon, Lenora de Barros, Leonilson e Lygia Clark. A exposição fica em exibição até o dia 30 de maio e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 10h às 19h, e sábado, das 11h às 17h.

“Vivo e crio aventuras que eu gostaria de viver.”
Ignácio de Loyola Brandão
Escritor brasileiro
1.
Combate espiritual
2.
A sutil arte de ligar o foda-se
3.
Ainda sou eu
4.
O poder do hábito
5.
Seja foda!
6.
Sapiens
7.
A parte que falta
8.
Propósito
9.
Felipe Neto
10.
Outros jeitos de usar a boca
 
PublishNews, Redação, 10/04/2018

Edgar Wilson trabalha no órgão responsável por recolher animais mortos em estradas e levá-los para um depósito onde são triturados num grande moedor. Seu colega de profissão, Tomás, é um ex-padre excomungado pela Igreja Católica que distribui extrema unção aos moribundos vítimas de acidentes fatais que cruzam seu caminho. A rotina de Edgar Wilson é alterada quando ele se depara com o corpo de uma mulher enforcada dentro da mata. Quando descobre que a polícia não possui recursos para recolhê-lo, o funcionário é incapaz de deixá-lo à mercê dos abutres e decide rebocar o cadáver clandestinamente até o depósito, onde o guarda num velho freezer, à espera de um policial que, quando chega, não pode resolver a situação. Nos próximos dias, o improvisado caixão receberá ainda outro achado de Wilson, o lacônico herói de Enterre seus mortos (Companhia das Letras, 134 pp, R$ 34,90): desta vez o corpo de um homem. Habituados a conviver com a brutalidade, Edgar e Tomás não se abalam diante da morte, mas conhecem a fronteira, pela qual transitam diariamente, entre o bem e o mal, o homem e o animal. Em sua tentativa de devolvê-los ao curso da normalidade, palavra fugidia no universo que Ana Paula Maia constrói, os dois removedores de animais mortos conhecerão o insalubre destino de seus semelhantes. 

PublishNews, Redação, 10/04/2018

Com uma protagonista feminina, a série Seeker acompanha a jornada de Quin Kincaid, uma jovem dividida entre o importante legado herdado de sua família e a verdade por trás das aparências. Quando prestou seu juramento e se tornou uma Seeker, seguindo os passos de seu pai e mestre, Quin não imaginava que a nobre organização com a qual se comprometera guardava segredos assustadores. Agora, em A viajante (Fantástica Rocco, 384 pp, R$ 49 – Trad.: Mariana Cerneiro), segundo volume de sua jornada, a garota conta apenas com seu amigo de infância Shinobu para buscar as respostas que precisa e lutar contra um destino que se revela uma condenação. E quanto mais eles investigam o passado, numa viagem que os levará a lugares como Hong Kong e Escócia, mais o presente se torna sombrio e ameaçador.

PublishNews, Redação, 10/04/2018

Onde o amor se esconde (Verus / Record, 350 pp, R$ 19,90), de Veridiana Maenaka, se passa na São Paulo do início do século XX, quando a jovem Glória sonha com o amor, ao contrário de sua amiga Marisa, cujo desejo é viver tão livremente quanto os homens. Glória, de família tradicional, se casa com o homem escolhido por seu pai. Rico e ambicioso, porém emocionalmente distante, esse homem vê na esposa apenas uma prova de sua ascensão social. Incapaz de dar um herdeiro ao marido, Glória vive uma rotina de violência crescente, enquanto Marisa se casa com o pretendente que escolheu, um notório libertino. A infelicidade de Glória a torna suscetível à sedução de outro homem, e eles têm um encontro avassalador, marcado pela descoberta sexual da jovem. Envolvida em uma trama de luxúria, Glória pode conhecer um prazer jamais imaginado, mas será essa a sua chance de viver um grande amor?

PublishNews, Redação, 10/04/2018

Em Cravo vermelho (Ler e Prazer, 292 pp, E# 44,90), Virgilio Pedro Rigonatti detalha a década de 1960, pelos olhos de seu alter ego, Pedrina. Moça de classe média, curiosa e ávida leitora, narra em primeira pessoa todos os episódios de sua pacata vida na infância, os eventos que vê na TV e lê nos jornais. Descobre o mundo e maravilha-se com tanta informação que jamais sonhou em desfrutar. A narrativa passeia por fatos como a construção de Brasília, os comunistas, a copa de 58, e o primeiro contato com notícias sobre a Rússia e EUA. Nos anos 1960, já no ginásio, Pedrina conta a história de seu amigo de colégio, Valério, de uma família muito pobre, por quem ela nutriu um imenso carinho e, mais tarde, amor. Enquanto a menina crescia e descrevia os acontecimentos de seu coração, corpo e convivências sociais, ela explica a guerra ideológica entre as duas potências imperialistas que levou à ditadura militar de direita e à organização da luta armada pelas esquerdas. 

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.