As novas datas do calendário do livro
PublishNews, Leonardo Neto, 19/04/2018
Promoções do Dia Internacional da Mulher e da Semana do Consumidor fazem vendas de livros disparar, aponta Nielsen. Em volume, o aumento foi de 18% e em faturamento, de 19%.

Faturamento do varejo de livros cresce 19% em março graças às promoções da Semana do Consumidor | © Livraria Cultura / Divulgação
Faturamento do varejo de livros cresce 19% em março graças às promoções da Semana do Consumidor | © Livraria Cultura / Divulgação

Volta às aulas, Natal, dias dos Pais, das Mães e dos Namorados e Black Friday não são mais as únicas datas festejadas pelo comércio do livro no Brasil. As campanhas de Dia Internacional da Mulher (8/03) e, em especial, a Semana do Consumidor (15/03) deram novo gás ao varejo de livros. Na comparação com igual período de 2017, houve aumento de 17,75% no número de exemplares vendidos. Em números absolutos, o salto foi de 3.583.956 para 4.220.141. E, mesmo com os descontos das promoções, houve aumento significativo no faturamento, que saltou de R$ 151,7 milhões para R$ 180,5 milhões. O desconto médio aplicado apresentou ligeira queda de 1,37 ponto percentual e isso se refletiu no preço médio do livro que subiu 1,05%, fechando em R$ 42,77. Essas informações estão no Painel das Vendas de Livros no Brasil (Nielsen / SNEL), que mostra a evolução das vendas de livros em livrarias, supermercados e lojas de autoatendimento no Brasil. 

Para Ismael Borges, o Dia Internacional da Mulher e a Semana do Consumidor já entraram para o calendário promocional do livro no Brasil | © Divulgação
Para Ismael Borges, o Dia Internacional da Mulher e a Semana do Consumidor já entraram para o calendário promocional do livro no Brasil | © Divulgação
Só a título de comparação, esse período de promoções superou, em número de exemplares vendidos, o mês de janeiro, época em que se concentram as vendas de livros didáticos. “A semana do consumidor e o Dia Internacional da Mulher passaram a compor o calendário promocional do livro. O desconto se mostra uma ferramenta para vender mais nestes dias analisados, apesar de não ter sido maior que o do ano anterior. A sensação é que as livrarias se prepararam com antecedência e colheram bons resultados”, comenta Ismael Borges, responsável pela Bookscan, ferramenta que monitora o varejo de livros no Brasil.

No acumulado do ano, a variação do faturamento já é de 14,28%, muito acima da inflação registrada nos últimos 12 meses, que é 2,69%, segundo o IPCA. Em números absolutos, o aumento foi de R$ 73.500.766,46 em relação ao mesmo período de 2017. Em número de exemplares vendidos, o crescimento é 8,76%, fechando o primeiro trimestre de 2018 com 12.038.657 cópias vendidas. Quase um milhão de exemplares a mais do que em igual período do ano passado.

O que se comprou?

As categorias que mais tiveram saída foram as de Não Ficção Trade (15,47%); de Não Ficção Especialista (11,44%) e Infantil, Juvenil e Educacional (10,22%). Ficção foi o único que apresentou discreta queda (-0,84%) no número de exemplares vendidos.

Clique aqui para acessar a íntegra do Painel.

[19/04/2018 10:12:00]