Publicidade
Publicidade
Livros digitais são 6,89% do mercado trade no Brasil, aponta Global eBook
PublishNews, Carlo Carrenho, 15/05/2017
Google se isola na segunda posição no ranking de varejistas digitais no país, segundo relatório austríaco

A edição 2017 do Global eBook: a report on market trends and developments está sendo lançada mundialmente hoje. O relatório é elaborado pelo consultor austríaco Rüdiger Winschenbart, com a contribuição de especialistas de todo o mundo, entre eles os amigos Javier Celaya, da Espanha, e Miha Kovač, da Eslovênia. Eu sou responsável pelo capítulo brasileiro do estudo.

Esta edição traz duas novidades. A primeira é que se optou por um texto mais enxuto e objetivo, apresentando os dados de forma mais clara e direta, sem “encher linguiça". Com isso, o número de páginas caiu de 226 para 170. Isto, com certeza, facilitou a leitura sem impedir a inclusão de dados e estatísticas novas. E esta é a segunda novidade, pois o Global eBook Report 2017 agora oferece novas maneiras de se observar detalhadamente as mais recentes tendências digitais graças à cooperação de diversos distribuidores europeus de e-books, que forneceram seus dados para análise. Assim, o retrato apresentado por Rüdiger Wischenbart dos mercados britânico, alemão, francês, espanhol, italiano, holandês e esloveno é, além de interessante, inédito e exclusivo.

O relatório já se encontra à venda por apenas 20 euros, mas compartilho aqui os principais dados do capítulo brasileiro aqui:


A participação dos eBooks no mercado trade brasileiro

A pesquisa que elaboro do tamanho relativo do mercado de livros digitais no Brasil está longe de apresentar uma grande precisão científica ou estatística. Infelizmente, os players do mercado digital nacional não publicam seus dados e não existe uma pesquisa mais profunda sobre a performance dos e-books. Desta forma, eu me baseio em uma amostra bastante considerável de dados de editoras, varejistas e distribuidores que contribuem com a pesquisa desde que as fontes dos dados não sejam divulgadas. Comparo estes dados com os números da Nielsen Bookscan, limitando-se ao mercado trade, i.e. de interesse geral, e chego a uma estimativa que considero bastante razoável – um “guesstimate” ou “educated guess” como dizem os gringos. Ainda assim, coloco minha mão no fogo de que esta é a melhor estimativa existente hoje no Brasil, ainda mais porque tenho mantido a metodologia ao longo dos anos.

A tabela a seguir mostra os resultados obtidos:

De acordo com os dados, 6,89% das unidades comercializadas pelas editoras de interesse geral em 2016 eram e-books, o que representou 3,16% do faturamento delas. Antes de julgarmos estes números baixos, vale a pena olhar a variação destes índices no ano passado. Um crescimento de mais de 50% na participação em volume não é nada desprezível. E o fato de a participação no faturamento ter crescido cerca de 23% – número ainda relevante ­– significa que o preço médio dos livros digitais caiu.

Ao longo dos anos podemos observar o seguinte gráfico:


O market share do varejo de eBooks

Outra estimativa – ou "guesstimate" – que consegui elaborar é a da participação de cada loja no mercado brasileiro. A margem de erro aqui é gigante – eu diria que uns 5% –, mas pelo menos o gráfico a seguir pode trazer uma ideia da performance das lojas:


Os destaques de 2016

Entre os destaques do eBook Global Report 2017, duas empresas merecem menção especial. A primeira é o Google, que ocupa agora um honroso e isolado segundo lugar entre os varejistas de eBooks no Brasil. É difícil apontar razão deste crescimento, mas o fato é que a Google tem conquistado mercado de forma considerável. Seria interessante discutir o que a empresa tem feito e que está dando certo em outra oportunidade.

A segunda menção vai para a Bookwire, empresa que tenho a honra de ser advisor e que já distribui quase 200 editoras no Brasil. A empresa distribuiu mais de 1,4 milhão de e-books em 2016, o que representou um crescimento de mais de 500% em relação ao ano anterior. Já seu faturamento cresceu mais de 280%. Com isso, a empresa alemã se estabelece como uma das grandes distribuidoras em atuação no mercado brasileiro, ao lado da musculosa DLD.


O self-publishing não foi considerado

Além do fato de que esta pesquisa é apenas uma estimativa e de que os números aqui se referem apenas ao mercado de interesse geral (trade), como já foi esclarecido, vale enfatizar que o mercado independente – i.e. o self-publishing digital da Saraiva, Amazon, Bibliomundi, Clube de Autores etc. –, não foi considerado aqui. Portanto, é possível que o mercado de e-books tenha crescido bem mais no ano passado, uma vez que as plataformas de self-publishing têm apresentado bons resultados.

Como os dados do próprio Global eBook Report 2017 apontam, a plataforma Publique-se da Livraria Saraiva cresceu de 4.800 para 16.000 títulos em dois anos (2015-2016) e o catálogo do KDP da Amazon vem crescendo mais de 1.500 títulos por mês segundo estimativas do mercado. Ou seja, é um mercado relevante que não pode ser negligenciado em qualquer análise estratégica. Infelizmente, não foi possível incluí-lo neste estudo.


A Fipe vem aí

A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), que é responsável pela pesquisa Produção e Vendas do Mercado Editorial Brasileiro, está realizando um censo para mensurar o tamanho do mercado digital brasileiro. Tal ação é extremamente bem-vinda, pois os resultados com certeza serão mais científicos e terão mais relevância estatística do que as estimativas aqui presentes. Além disso, acredito que a Fipe tem muito mais capacidade do que eu para estimar o tamanho do self-publishing. Capitaneado pela competentíssima economista Mariana Bueno e coordenado pela Professora Leda Paulani, este estudo digital com certeza trará em breve um retrato mais rigoroso e tão necessário do mercado brasileiro de e-books. Até lá, coloco minhas guesstimates à disposição.

O Global eBook Report 2017 pode ser adquirido no endereço: www.global-ebook.com.

Carlo Carrenho é o fundador e CEO do PublishNews. Formado em Economia pela FEA-USP, especializou-se em Edição de Livros e Revistas no Radcliffe Publishing Course, em Cambridge (EUA). Atualmente é advisor da Bookwire, Meta Brasil e da BR75. Como especialista no mercado de livros, já foi convidado para dar palestras e participar de mesas em países como EUA, Alemanha, China, África do Sul, Inglaterra e Emirados Árabes, entre outros.

É co-coordenador do curso MBA Book Publishing, da Casa Educação em São Paulo, depois de coordenar por diversos anos o curso de pós-graduação da FGV-RJ sobre o negócio do livro. Sempre atento aos novos modelos de negócio e às mudanças tecnológicas, Carlo possui um de seus focos na questão dos livros digitais e segue com afinco o que acontece no setor digital no Brasil, tanto que é autor do capítulo brasileiro do livro Global eBook: a report on market trends and developments.

Carlo é paulista, mas vive no Rio de Janeiro. É cristão, mas estudou em escola judaica. É brasileiro, mas ama a Suécia. Enfim, sua vida tende à contradição. Talvez por isso ele torça para o Flamengo e adore o seriado Blue Bloods.

[15/05/2017 03:00:00]
Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Carlo Carrenho faz três microanálises sobre a mais recente aquisição da rede de livrarias paulista
Carlo Carrenho defende que a liberdade de se publicar tranquilamente livros contra a legalização do aborto ou de Marx para crianças continue existindo no Brasil
Carlo Carrenho analisa os dois maiores mercados editoriais da América do Sul
Em sua coluna, Carlo Carrenho indica os eventos imperdíveis para os profissionais que forem a Frankfurt
Carlo Carrenho traz em sua coluna suas impressões bastante pessoais sobre as atividades do PublishNews e sua participação na Flip
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
No terceiro artigo da série Marketing e outras coisitas mais, André Palme fala sobre a importância da estratégia e do planejamento numa campanha de marketing
Em seu artigo, Paulo Tedesco fala sobre doar livros ou não pagar autores. "Paguem pelos livros e deem cachês decentes aos autores",
Em sua coluna, Marcio Coelho relembra o primeiro Congresso do Livro Digital para concluir: tem espaço para todo mundo. Leitores não faltam, basta publicar para eles.
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
O trabalho de um romancista é tão solene e ligado à essência das coisas como o dos não ficcionistas.
Mia Couto
Escritor moçambicano
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar