Publicidade
Publicidade
Afinal, o que (e quem) são os influenciadores?
PublishNews, André Palme, 03/05/2018
Em seu quinto artigo da série 'Marketing Digital e Outras Coisitas Mais', André Palme fala sobre a importância dos influenciadores e como nem sempre o volume de seguidores é o que mais importa

Já falamos de alguns conceitos de marketing, de redes sociais, sites e apps nesta série Marketing Digital e Outras Coisitas Mais.

Chegou a hora de falar deles, os influenciadores \o/

Influenciador não é um conceito novo. Estamos falando de alguém que consegue influenciar – óbvio – uma ou mais pessoas a respeito de determinado assunto. Celebridades são influenciadores em certos assuntos, jornalistas, autores e professores também, e claro...você! Com certeza você tem um grupo social ou familiar em que você influencia sobre algum assunto ou alguma área.

Os primeiros produtores de conteúdo que receberam o nome de influenciadores apareceram no Brasil por volta de 2010, como por exemplo o PC Siqueira. Se considerarmos o mercado publicitário, este fenômeno vem dobrando de tamanho a cada ano, desde então. 

O impacto destes produtores de conteúdo se expande para além da internet. Segundo a GFK, eles por exemplo, aumentam a audiência jovem em programas como o Fantástico em 26%. Além disso, segundo pesquisa da Geometry, 33% dos jovens considera estes influenciadores digitais como a principal influência de compra. 

O termo Youtuber ficou tão conhecido – produtores de conteúdo que tem o YouTube como principal plataforma de distribuição de seu conteúdo – que foi adicionado ao dicionário Oxford. 

Mas é preciso que a gente não use só o termo influenciador, mas também o termo criador de conteúdo. Por que? Porque influência é consequência e não o ponto de partida desta conversa.

Primeiro a pessoa precisa produzir conteúdo, se tornar uma referência, para então poder ser um influenciador, e de fato, influenciar alguém.

Além disso, precisamos fazer uma distinção importante aqui entre influenciador e webcelebridade. Quando falamos de nomes como Felipe Neto, Gabriela Pugliesi e Whindersson Nunes estamos falando de uma webcelebridade, ou seja, alguém que se tornou conhecido e famoso na internet e que tem uma grande audiência (na casa dos milhões de usuários). Estas pessoas são sim, influenciadores para alguns assuntos. Para dar um exemplo bem básico, a Pugliesi influencia sua audiência para questões relacionadas a bem-estar e exercícios, mas não consegue – provavelmente - influenciar sua audiência se falar sobre livros, porque não é isso que as pessoas buscam em seu conteúdo.

Já quando falamos de influenciadores, podem ser pessoas como eu e você, que não são famosas, mas tem autoridade sobre determinado assunto e influenciam uma certa audiência que tem interesse ou consome aquele tipo de conteúdo. Então quando falamos de influenciadores, nem sempre o volume de seguidores é o mais importa. Comunidade é mais importante do que número.

Pode ser muito mais efetivo, se você tiver uma estratégia com pequenos (ou micro) influenciadores, que segundo a Hello Society tem 60% mais engajamento e que realmente tem autoridade sobre o assunto que você quer trabalhar, do que contratar uma webcelebridade. Segundo a AirStrip (plataforma brasileira de busca de influenciadores), quanto maior a base, maior a dispersão.

Webcelebridades hoje se assemelham muito a grandes mídias: uma audiência gigante, não tão segmentada, que cobra caro e não necessariamente vai entregar o conteúdo para o nicho que você procura atingir.

O PRINCIPAL PAPEL DO INFLUENCIADOR ESTÁ EM “EMPRESTAR” A RELEVÂNCIA QUE TEM COM SUA AUDIÊNCIA, PARA A MARCA.

Outra coisa importante: influenciador NÃO é mídia! Influenciador é um criador de conteúdo, que entrega valor para sua audiência, através de confiança, credibilidade e autenticidade.

Uma coisa importante para entender a cadeia de valor do influenciador. Quando você quer montar uma campanha de vídeo por exemplo, normalmente existem todas estas contratações ou tarefas:

- agência / criação;

- produção;

- um garoto(a) propaganda;

- compra da mídia (o canal onde vai ser veiculada a campanha);

- mensuração da publicação e dos resultados.

Quando você contrata um produtor de conteúdo / influenciador, você contrata tudo isso em uma única pessoa! Esta é a cadeia de valor!

Por isso não é justo que esta relação entre – por exemplo – editoras e influenciadores, seja na base do “te dou um livro de presente e você cria uma campanha, produz, faz o papel de garoto propaganda, edita, veicula em seu canal, reforça nas redes sociais, interage e responde aos comentários, me entrega um relatório de mensuração e eu não te pago nada”.

Produzir conteúdo é um trabalho...deveria ser fácil explicar isso para uma indústria que vive de vender conteúdo. 

Claro que existem ações que em que o influenciador pode ser remunerado com recompensas não financeiras, como por exemplo ter acesso antecipado e exclusivo algum livro. Mas não faça SÓ esse tipo de ação. 

E, para terminar nosso artigo com algo prático, coloco abaixo os passos importantes que aprendi com a YOUPIX, para considerar em uma campanha com influenciadores:

1/ DEFINA OBJETIVOS CLAROS

2/ DEFINA SEU TARGET

3/ DEFINA SEU BUDGET

4/ DEFINA OBJETIVOS MENSURÁVEIS

5/ DEFINA AS REDES SOCIAIS

6/ ESTUDE O TARGET

7/ DEFINA SUA NARRATIVA

8/ PARTA PRA CRIAÇÃO E CO-CRIAÇÃO!

9/ MAPEIE INFLUENCIADORES

10/ ESTUDE OS INFLUENCIADORES

11/ DEFINA E CONTRATE-OS

12/ PREPARE O BRIEFING

13/ COMECE A PRODUÇÃO

14/ PUBLIQUE

15/ AMPLIFIQUE E OTIMIZE

16/ MENSURE E ANALISE

17/ RETROALIMENTE

Até semana que vem!

André Palme é empreendedor já faz uma década. Apaixonado por livros e conteúdo, tem seu foco de atuação em desenvolvimento de negócios, marketing, universo digital e inovação. É sócio e Head Comercial do #coisadelivreiro, empresa de consultoria em marketing e negócios para o livro, em todos os seus formatos. Foi o primeiro embaixador do Business Club da Feira do Livro de Frankfurt no Brasil, além de palestrar em feiras nacionais e internacionais. Integra a comissão de negócios digitais da CBL e é mediador EAD na LabPub. Também é sócio de uma pousada na beira da praia em Florianópolis. Além disso torce para a bateria do celular não acabar nunca.

[03/05/2018 09:05:00]
Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em novo artigo, André Palme comenta a nova funcionalidade do Instagram e diz que lições a plataforma pode dar ao mercado do livro
Em seu último artigo da série, Palme fala sobre como mensurar os resultados de uma campanha de marketing
Em seu sétimo artigo, Palme fala sobre a importância dos chatbots e como eles podem ser um aliado poderoso nas vendas e ações de marketing
Em seu sexto artigo, André Palme fala sobre um modelo de vendas que cresce sem parar: as vendas digitais.
Continuando o papo da série Marketing Digital e Outras Coisitas Mais, no seu quarto artigo, Palme fala sobre redes sociais, sites e apps
Publicidade



O MBA em Book Publishing é uma pós-graduação Lato Sensu, reconhecida pelo MEC. Com realização da Casa Educação e apoio oficial do Publishnews, o curso tem a coordenação pedagógica do Instituto Singularidades. O programa foi elaborado para contemplar as profundas transformações que o mercado editorial vem passando nos últimos anos, sempre com o objetivo de preparar profissionais de forma completa e eclética para atuarem na indústria do livro. O curso já se encontra na terceira turma.

Outras colunas
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre a importância de se preservar o legado literário
Cindy Leopoldo: as listas dos mais vendidos 'contém dados atualizadíssimos sobre o que é a literatura brasileira e até mesmo o que é ser brasileiro hoje'
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Marcio Coelho fala sobre as diferenças e semelhanças entre o livro e a barata e questiona: onde encontrar refúgio os problemas atuais? no primeiro ou no segundo?
Para Shatzkin, dois fatores colaboram para a crise da maior livraria nos EUA: as vendas, cada vez mais, acontecem via internet a autopublicação tira uma fatia importante do comercio tradicional
Um romance é um grande lugar para descrever o que é encontrar uma pintura ou um poema.
Ben Lerner
Escritor norte-americano
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar