A Frankfurt dos audiolivros
PublishNews, Leonardo Neto, 17/10/2017
O assunto ‘audiolivro’ permeou muitas das discussões na Feira do Livro de Frankfurt e talvez seja a grande tendência no mercado em 2017

Em um ano em que não apareceu (de novo) nenhum grande título no qual se poderia ancorar uma tendência, a Feira do Livro de Frankfurt, que encerrou a sua programação no último domingo (15), foi marcada pelas fortes discussões sobre o renascimento do audiolivro. O tema atravessou diversas mesas e discussões e talvez seja a grande aposta de editores e livreiros digitais no próximo período. Na Alemanha, por exemplo, foram vendidos 14 milhões de unidades no último ano. Para um país de 82 milhões de habitantes, 14 milhões de unidades vendidas não é de se desconsiderar. E mais... desses 14 milhões, 57% dos audiolivros foram vendidos, veja você, em formato de CD.

As discussões sobre o audiolivro foram um dos grandes destaques da Feira do Livro de Frankfurt de 2017 | Charles O'Leary / Frankfurter Buchmesse
As discussões sobre o audiolivro foram um dos grandes destaques da Feira do Livro de Frankfurt de 2017 | Charles O'Leary / Frankfurter Buchmesse

Para se ter a ideia do tamanho deste mercado, veja o exemplo do novo livro de Dan Brown. Origens, na sua semana de estreia, vendeu 14 mil cópias em áudio, segundo reportou a Transworld, a editora de Brown no Reino Unido.

No CEO Talk, o assunto também foi alvo de comentários dos dois convidados. Carolyn Reidyn, CEO da poderosa Simon & Schuster, chamou o momento de “booming do áudio”. Já Guillaume Dervieux comentou que a Albin Michel, empresa francesa que dirige, está com o enfoque total nesse segmento. Disse que está forçando para que todos os direitos de novos títulos sejam adquiridos também para áudio e atestou: “é um fenômeno na França”. “Não vejo porque o mercado de streaming não crescer”, completou.

O Brasil avança junto nessa mesma maré. As duas experiências que já estão em operação no Brasil – Ubook e Tocalivros – em breve terão a companhia de um grande competidor: a Amazon. É tido como certo que a gigante de Seattle anuncie, ainda em 2017, a entrada da Audible, o braço de audiolivro da varejista, no mercado brasileiro. “A chegada da Amazon não nos assusta” disse Anderson Santos, gerente de direitos autorais e aquisições da Ubook que esteve em Frankfurt durante os dias da feira. “A grande pergunta é: queremos uma fatia grande de um mercado pequeno ou uma fatia pequena de um mercado grande?”, disse ao PublishNews. Na avaliação do executivo, a chegada da Audible no Brasil poderá alavancar o mercado de audiolivro. 

A mesma opinião é compartilhada por Ricardo Camps, sócio da Tocalivros, que também esteve em Frankfurt. “Queremos mais é ver esse mercado crescer”, disse ao PublishNews.

É acompanhar as cenas dos próximos capítulos e ver se a moda se concretiza em uma tendência. A aguardar.

[17/10/2017 08:38:00]