Caso não consiga visualizar corretamente esta mensagem, clique aqui.
PublishNews 11/07/2018
Gráfica digital para pequenas tiragens e POD (Print On demand). Pronta para atender às necessidades de prazos curtos, possui estrutura de impressão digital e logística com qualidade e preços.
A Bookmarks é uma empresa que oferece soluções editoriais para autores e editoras. Desenvolve projetos gráficos de capas de livros, artes para brindes, marcadores, criamos e desenvolve sites e faz diagramação de livros impressos e digitais.
Capista de livros. Há mais de 20 anos desenvolve trabalhos gráficos para os mais variados setores. Só paga se for usar a capa.
PublishNews, Redação, 11/07/2018

O MinC abriu três editais voltados para a economia do livro. O primeiro deles tem como objeto a seleção de projetos que visem a criação de bibliotecas digitais em bibliotecas públicas (estaduais, municipais ou do DF) por todo o Brasil. Ao todo, serão selecionados 20 projetos que receberão aportes do MinC no valor de R$ 100 mil cada. Podem participar do certame instituições públicas da administração direta ou indireta, sendo vedada a candidatura de instituições privadas, mesmo aquelas que não têm fins lucrativos. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até o dia 20 de agosto. O segundo edital é de incentivo à publicação de obras literárias inéditas que abordem a temática do bicentenário da independência do Brasil. Serão contempladas 25 obras que receberão prêmios no valor de R$ 40 mil. O prazo de inscrições é até o dia 11 de setembro. Por fim, o terceiro edital vai dar apoio financeiro a entidades para a realização de feiras literárias. Serão selecionados 17 projetos. Dez deles no valor de R$ 125 mil; quatro no valor de R$ 250 mil e três no valor total de R$ 500 mil. O prazo de inscrição também vai até o dia 11 de setembro. Para mais informações, clique aqui

PublishNews, Mike Shatzkin, 11/07/2018

O demissionário CEO nos lembra que a Barnes & Noble é uma fonte de interesse e de preocupação para todas as editoras | © Redes sociais da livrariaNos EUA, quando a Barnes & Noble interrompeu o feriadão de 4 de julho para anunciar que o recém-indicado CEO Demos Parneros havia sido abruptamente demitido por uma violação contratual que também eliminava sua indenização, não apenas acendeu uma pequena indústria de especulação sobre “o que aconteceu?”, como também chamou a atenção para a situação comercial da Barnes & Noble. E isso, em poucas palavras, não é bom. Há duas mudanças inexoráveis e implacáveis ocorrendo no mercado editorial, e embora nenhuma delas seja culpa da B&N, também é verdade que nenhuma das duas trabalha a favor da empresa. Uma é que cada vez mais compras de livros são feitas online e cada vez menos em lojas físicas. E a outra é que cada vez mais livros estão sendo publicados e vendidos, ou distribuídos, fora do meio comercial. Quer dizer, as entidades que publicam livros para ganhar dinheiro estão vendo sua fatia diminuir por inúmeros cortes feitos por autores independentes e várias organizações corporativas e não governamentais que querem colocar livros nas mãos e dispositivos das pessoas para aumentar sua fama ou promover uma mensagem, sem o objetivo principal de ter lucro. Como a grande especialidade da Barnes & Noble gira em torno de promover e vender livros para consumidores em lojas físicas que trabalham com parceiros editoriais que estão tentando lucrar, isso significa que sua parte no mercado de livros está ficando menor, algo que só poderia ser mudado (1) vendendo mais online e (2) sendo um canal mais eficaz para distribuição não comercial. Eles fracassaram totalmente por duas décadas no quesito 1 e não há muito dinheiro para o 2. Clique no Leia Mais e confira a íntegra desta coluna.

PublishNews, Redação, 11/07/2017

Douglas Capela é o novo secretário de Economia Criativa do MinC | © Clara Angeleas (Ascom/MinC)No fim de junho, o ministro Sérgio Sá Leitão, da Cultura, reestruturou o MinC e mudou três dos seis secretários da pasta. Na mudança, saiu Mansur Bassit, que já foi diretor-executivo da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e que ocupava a secretaria de Economia da Cultura. Agora, o MinC anuncia a sua nova composição. No lugar de Mansur, assume Douglas Capela (na foto ao lado) que passa a ser o titular da Secretaria de Economia Criativa (e não mais Economia da Cultura, como antes era chamada a secretaria). Capela trabalhou no Banco do Brasil onde atuou como diretor Internacional. Na reestruturação, foi criada a Secretaria de Direitos Autorais e Propriedade Intelectual que passa a responder a Marcos Tavolari, que é funcionário de carreira da Ancine. A Secretaria de Diversidade Cultural (SDC), que agrega as competências das antigas secretarias de Articulação e Desenvolvimento Institucional (SADI) e de Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), será dirigida pela servidora federal Magali Moura, que já respondia interinamente pela SADI. Na Secretaria do Audiovisual (SAv), o novo titular é o advogado Frederico Maia Mascarenhas.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Acontece logo mais, às 19h, na Unibes Cultural (Rua Oscar Freire, 2.500 – São Paulo / SP), o terceiro encontro UmLivro com PublishNews. Dessa vez, nosso editor Leonardo Neto irá conversar sobre bibliodiversidade com a editora Raquel Menezes, da Oficina Raquel e presidente da Liga Brasileira de Editores (Libre), e com o livreiro Alexandre Martins Fontes, da Livraria Martins Fontes. Quais são as responsabilidades do mercado na promoção dessa diversidade? Como editores e livreiros podem contribuir para que a indústria do livro seja plural e diversa? Essas e muitas outras perguntas serão respondidas pelos dois no encontro de hoje. As inscrições podem ser feitas clicando aqui, mas, quem não puder acompanhar o evento ao vivo, encontro, fruto da parceria com a UmLivro, plataforma que oferece diversas soluções de impressão por demanda e logística para as editoras, será transmitido ao vivo pelo Facebook do PublishNews.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Desde maio, o Sesc Pompéia (Rua Clélia, 93 – São Paulo / SP) realiza talk-shows com escritores, inspirado nas antigas sessões de revistas musicais denominadas "playlists", nas quais o entrevistado era convidado a ouvir trechos de canções e comentá-las. Criados e mediados por Joca Reiners Terron, as sessões do Play_Lit recebem convidados que ouvem trechos de obras literárias, cinematográficas, teatrais e musicais que os influenciam, assim como passagens de suas próprias obras, de modo a ilustrar suas trajetórias artísticas. Após ter como convidados Milton Hatoum e Noemi Jaffe, o Play_Lit recebe este mês, mais dois escritores brasileiros. Na próxima terça (17), o projeto recebe Nuno Ramos. Nascido em São Paulo, Nuno é artista plástico, músico, escultor e escritor. Já no dia 31 é a vez de receber Maria Valéria Rezende. Militante por causas humanitárias, ela sagrou-se freira em 1965, estudou literatura na França e pedagogia na PUC-SP, e tem mestrado em sociologia. Ouvir a autora é compreender parte das forças que a movem, entre elas sua ficção representada em Quarenta dias e Outros cantos. Os dois eventos começam às 19h30, na Biblioteca do Sesc Pompeia.

PublishNews, Redação, 10/07/2018

A Casa Santa Rita da Cassia (Rua Dr. Pereira, 396) prepara para os dias de Flip uma programação para deixar os leitores com os sentidos a flor da pele. Na quinta-feira (26), a partir das 19h, a programação Histórias de Terror terá a presença dos autores Alessandro Thomé, Marcos DeBrito e Raphael Montes. Além de um bate-papo com os autores, serão exibidos três curtas metragens: Cão Maior, baseado no conto de Alessandro Thomé, e Overdose Digital e Apóstolos, do autor Marcos DeBrito. Já na sexta-feira (27), é o dia de SEXtou, que terá a mediação de Camila Cabete e Bia Alves do podcast As desqualificadas. A programação voltada ao erotismo e sacanagem terá os bate-papos Hildas, Sabrinas e E. L. James, com Sandra Espilotro, Alessandra Ruiz, Juliana Dantas e Bella Prudêncio; Literatura de sacanagem, com o autor Luiz Biajoni; leituras de livros eróticos e uma edição do Boteco de Histórias (de sexo) com Leonardo Neto e Alessandro Thomé. A entrada para essas programações é restrita para maiores de 18 anos.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Pedro Bial, Luiz Petry e Claufe Rodrigues em foto da época em que Os Camaleões foram um fenômeno literário no Rio de Janeiro | © DivulgaçãoFenômeno da cena literária carioca e brasileira nos anos 80, o grupo Os Camelões, formado pelos jornalistas Claufe Rodrigues, Luiz Petry e Pedro Bial, volta a se reunir amanhã (12). O trio apresenta no Sesc Copacabana (Rua Domingos Ferreira, 160 – Rio de Janeiro / RJ), às 20h30, o espetáculo poético A poesia está muito acima – Tributo aos Camaleões, com entrada franca. Mais de 30 anos após o fim do grupo, os três poetas e jornalistas apresentarão novos poemas, prometendo mostrar “que um camaleão nunca para no tempo”. O espetáculo também resgata a poesia feita nos anos 80, considerada de transição, mesclando a oralidade típica da poesia marginal com a melhor tradição da poesia universal produzida por nomes como Whitman, Maiakóvski, Jorge de Lima, Drummond, Bandeira, Pessoa, entre outros. Em cerca de duas horas, o evento mesclará poesia e música, com pequenas entrevistas sobre os recitais e a história dos Camaleões, utilizando projeção de imagens de arquivo da década de 80 em telão. Criado em 1984, ano da Campanha Diretas Já, Os Camaleões deram voz a uma geração censurada pela ditadura militar.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

A secretaria de Cultura da cidade do Rio de Janeiro está com inscrições abertas para o Prêmio Literário do Ensino Fundamental. Até a próxima terça-feira (17), alunos dos 8º anos das escolas municipais da cidade podem enviar seus textos. A Ética no Cotidiano é o tema norteador e poderão competir textos de diferentes gêneros discursivos, predominantemente do tipo narrativo: conto, crônica literária, crônica jornalística, fábula, diário e carta. Também serão admitidos esquetes de teatro, poesia, raps e cordel. Os 30 textos selecionados farão parte de uma coletânea que será distribuída gratuitamente em toda a rede municipal de ensino. As escolas, professores e alunos selecionados ganharão, além de exemplares do livro, equipamentos de projeção, ingressos para atividades culturais, medalhas e viagens. As inscrições das escolas participantes já estão abertas e são gratuitas, realizadas mediante preenchimento de formulário, disponível no site do Prêmio.

“O leitor é que é um potencial agente de transformação.”
Patrícia Melo
Escritora brasileira
1.
As aventuras na Netoland com Luccas Neto
2.
A sutil arte de ligar o foda-se
3.
Combate espiritual
4.
O milagre da manhã
5.
Seja foda!
6.
Felipe Neto - A vida por trás das câmeras
7.
Desbloqueie o poder da sua mente
8.
Me poupe!
9.
O poder da autorresponsabilidade
10.
O poder da ação
 
PublishNews, Redação, 11/07/2018

Situado numa cidadezinha do Meio-Oeste americano, nos anos 1940, Quando ela era boa (Companhia das Letras, 352 pp, R$ 59,90) tem como protagonista uma jovem zangada e ferozmente moralista, para quem a “bondade” é uma doença terrível. Publicado originalmente em 1967, este é o único livro de Philip Roth protagonizado por uma mulher. Ainda criança, Lucy Nelson viu seu pai irresponsável e alcoólatra ser mandado para a cadeia. Desde então, ela se rebelou contra sua vida de classe média, assumindo uma missão furiosa de transformar os homens a sua volta, ainda que aquilo pudesse causar sua própria destruição. Com esse retrato absolutamente preciso de Lucy e de Roy, seu marido mimado e infantil, o escritor criou um belíssimo trabalho de ficção realista, um vislumbre da carolice provinciana, das expectativas e frustrações americanas, com um olhar ao mesmo tempo implacável, mas com vestígios de compaixão.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Clássico da literatura brasileira, O cortiço (Todavia, 304 pp, R$ 39,90) é um dos mais poderosos retratos do Brasil em qualquer tempo. Um livro forte sobre pobreza, violência e ascensão social que traz muitos temas a serem discutidos até hoje. Famílias inteiras empurradas pela pobreza a lugares sem as mínimas condições de higiene e saúde, expostas ao perigo. A desigualdade entre ricos e despossuídos. Mulheres sendo exploradas. Uns poucos felizardos que são favorecidos graças a uma série de bons contatos. Essa história é antiga e ainda hoje marca nossa sociedade. Por essas razões e também por sua imensa qualidade literária, O cortiço, de Aluísio Azevedo, continua como um dos mais poderosos retratos da realidade brasileira – em qualquer tempo. Um clássico da nossa literatura que, passado mais de um século de sua publicação original, mantém intacto seu poder de emocionar e indignar. De quebra, a representação da vida cotidiana da cidade do Rio de Janeiro, esboçada com colorido e objetividade quase fotográficos, também atesta o talento do romancista para construir um universo que, pertencendo inicialmente aos domínios da ficção, tem o poder de passar a fazer parte do mundo mais concreto e imediato de sucessivas gerações de leitores.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Com mais de 830 mil inscritos em seu canal no YouTube e cinco livros lançados, Fred Elboni é o fiel confidente de milhares de mulheres que acompanham seus textos e vídeos e lotam, diariamente sua caixa de e-mails. Depois de ouvir tantas histórias e viver muitos amores, Elboni decidiu escrever sobre o mundo dos relacionamentos com uma única missão: demonstrar toda sua admiração pela mulher que tem coragem de fazer o que quiser. Você e outros pensamentos que provocam arrepio (Sextante, 176 pp, R$ 29,90) traz 50 crônicas que retratam as relações amorosas com sensibilidade e irreverência. Com uma linguagem leve e sexy, Fred apresenta pequenos flashs do cotidiano em textos sobre paixão, sexo, encontros casuais, saudade, intimidade e afeto, explorando as múltiplas e imprevisíveis maneiras de experimentar o amor – e a si mesmo.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Ela está presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, e quanto mais os dias passam, mais parece impossível enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar qualquer motivo para se sentir bem. Até Carter surgir em sua vida. Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo à frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir em sua vida. A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável. Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados e Tarde demais (Record, 384 pp, R$ 39,90) prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.

PublishNews, Redação, 11/07/2018

Singular (Qualis, 433 pp, R$ 41,50), livro de Thati Machado, traz a história de Noah, que sempre quis ser um garoto, apesar de ter nascido em um corpo de menina. Durante toda uma vida, Noah se sentiu deslocado, diferente, estranho. Era como se ele fosse um pacote que precisava vir acompanhado de cuidados e explicações. Ao jogar bola e subir em árvores, as pessoas diziam a ele que isso não era coisa de mocinha. E ele não entendia porque, de fato, não queria ser uma mocinha. Quando seu corpo começou a ganhar curvas, sinuosidades, nuances, ele se enojava ao olhar no espelho porque aquele não era ele verdadeiramente. Além de Noah, a obra também destaca Rafaella, uma ex-modelo que acabou engordando após enfrentar uma endometriose em estágio avançado e precisava lidar, assim como ele, com o preconceito e certas amizades tóxicas que a faziam muito mal. A obra aborda a aceitação, o preconceito, a autodescoberta, a existência de amizades tóxicas, as diversas formas de perdão e ainda incentiva o empoderamento. O livro de Thati também ensina que as pessoas são únicas, cada uma de forma singular.

 
©2001-2018 por Carrenho Editorial Ltda. Todos os direitos reservados.
Rua Fidalga 471, Conjunto 3 | Vila Madalena | São Paulo | SP | Brasil | 05432-070
O conteúdo deste site não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.