Publicidade
Publicidade
Buenos Aires, a política entre a promoção da leitura e a criatividade
PublishNews, Bernardo Gurbanov, 04/05/2018
Bernardo Gurbanov foi para a Feira do Livro de Buenos Aires e fala de se promover a leitura de forma criativa

Desde sempre, a Feira Internacional do Livro se Buenos Aires começa sob a influência do clima político do país. 

Nos anos turbulentos da década de 1970 e durante os posteriores governos democráticos dos 80 e 90 a presença do presidente da república era uma tradição intocável para inaugurar o evento. Até o ditador Jorge Rafael Videla comprovadamente incinerador de livros, deu o ar da sua graça enquanto o clima de terror e censura sobre as editoras e os meios de comunicação imperava.

Com o aprofundamento dos conflitos sociais e econômicos no início do Seculo XXI e ainda a incessante degradação da imagem dos políticos locais, os sucessivos presidentes começaram a delegar a representação nos Ministros da cultura. 

Desta vez, tanto o Ministro da cultura do país como o da cidade (Buenos Aires é uma cidade autônoma) nem sequer conseguiram pronunciar seus respectivos discursos pois foram interpelados por uma criativa manifestação de estudantes que tomou conta da Sala Jorge Luis Borges com seus cânticos de protesto contra o projeto de lei que prevê o fechamento de 29 centros de formação docente e sua substituição por uma universidade de nome UniCABA que pretende reorganizar o sistema de educação superior. 

Perante a incessante gritaria dos manifestantes, o ato de inauguração foi encerrado abruptamente, com um quase imperceptível corte de fitas por parte das autoridades da Fundação El Libro, organizadora do evento.

Felizmente, a força cultural da feira superou as interferências e autores consagrados prevaleceram na preferência do público sobre as intempestivas manifestações políticas. O peruano e Nobel de Literatura, Mário Vargas Llosa, o escritor e jornalista integrante da Real Academia Espanhola, Arturo Pérez-Reverte, o americano e Prêmio Pulitzer de 1996, Richard Ford e a romancista e dramaturga francesa Yasmina Reza, vencedora do Prêmio Molière apresentaram seus novos livros em salas lotadas de fiéis leitores e suas expectativas.

Enquanto o público invadia os estandes, lá fora na estação do metrô Plaza Itália na porta da feira, um casal afinado interpretava My life is going on, música de abertura da série La casa de papel.

Detalhe: A plataforma da estação (vide foto) foi transformada em palco, ilustrado pelo desenho d'O Jogo da Amarelinha, recriando a capa do célebre livro de Júlio Cortázar.

Ah como é bom, muito bom constatar que a promoção da leitura, quando criativa, pode se transformar em obra de arte impactando as emoções e perdurando na memória afetiva das pessoas.

Pessoal, ainda dá tempo! Até 14 de maio a 44ª Feira Internacional do Livro de Buenos Aires bem que pode ser visitada como se fosse uma enorme casa, reservatório de tesouros literários que podemos descobrir mergulhando no fascinante mundo dos livros de papel.

Bernardo Gurbanov é presidente da Associação Nacional de Livrarias (ANL) e proprietário da Editora Letraviva. Para conhecer mais sobre sua história livreira e de vida, leia aqui mesmo no PublishNews matéria A saga dos livreiros Gurbanov na Argentina e descubra porque ele é nosso argentino brasileiro predileto.

[04/05/2018 08:00:00]
Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Bernardo Gurbanov foi para a Avenida Corrientes acompanhar a 11ª edição da Noite das Livrarias e conta o que viu
Em sua coluna Bernardo Gurbanov faz um panorama da relação entre Brasil e Espanha, trazendo inclusive números e dados importantes dentro desse cenário
Nosso colunista Bernardo Gurbanov foi para Bienal do Ceará e conta tudo o que viu por lá
Em seu artigo, Bernardo Gurbanov faz uma análise sobre as boas e más notícias sobre o mercado editorial brasileiro
Em sua coluna, Bernardo Gurbanov faz uma reflexão sobre o processo de 'hiperconcentração' do mercado editorial mundial
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Em sua coluna, Volnei fala sobre as mudanças da Flip 2018, a importância das casas literárias parceiras do evento e ainda destaca a programação de algumas delas
Toda semana você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Gustavo Martins de Almeida fala dos direitos decorrentes do novo hábito de se ouvir um livro
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre a importância de se preservar o legado literário
Cindy Leopoldo: as listas dos mais vendidos 'contém dados atualizadíssimos sobre o que é a literatura brasileira e até mesmo o que é ser brasileiro hoje'
Educar é ensinar a ler a realidade.
Paulo Freire
Educador brasileiro (1921-1997)
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar