E o acervo da FNLIJ, como fica?
PublishNews, Talita Facchini, 05/01/2018
Acervo da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil segue encaixotado enquanto o processo para ocupar a Casa da Leitura não sai do lugar

Wander Soares, presidente da FNLIJ | © Diego Drumond
Wander Soares, presidente da FNLIJ | © Diego Drumond
Em 2013, começaram as obras no Palácio Gustavo Capanema, a sede do Ministério da Cultura no Rio de Janeiro. E junto com a obra, veio uma grande dor de cabeça para a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). É que o prédio projetado por Oscar Niemeyer servia de abrigo para o acervo da Fundação que completa agora em 2018 seus 50 anos. Em junho passado, a FNLIJ foi obrigada a encaixotar os volumes reunidos ao longo dessas cinco décadas. E desde então o acervo ficou sem teto. Segundo Wander Soares, presidente da entidade, o MinC até já destinou um novo espaço para o acervo, a Casa da Leitura, em Laranjeiras, bairro da Zona Sul carioca. No entanto, por conta de questões burocráticas, todo o acervo não pôde ainda sair das caixas. “Estamos lutando para garantir esse lugar para que continuemos produzindo esse acervo, promovendo eventos, concursos, e levando literatura de qualidade para as crianças”, disse o presidente em entrevista ao PublishNews. Até o momento, o Ministério do Planejamento, onde a questão está parada, não deu nenhuma explicação sobre por que o processo empacou. “A cada hora temos uma informação diferente sobre esse assunto, mas o fato é que falta mais empenho da Biblioteca Nacional para fazer as coisas voltarem a andar", reivindicou Wander.

Tags: FNLIJ
[05/01/2018 09:46:00]