Buchmesse: fórum de discussão política
PublishNews, Leonardo Neto, 10/10/2017
Feira do Livro de Frankfurt será aberta hoje com Merkel e Macron e o tom político deve estar mais presente do que nunca

A cada ano, a Feira do Livro de Frankfurt, que será aberta oficialmente nesta terça-feira, se torna mais e mais um fórum de discussão política em nome da liberdade de expressão. Essa 69ª edição não será diferente. Em um encontro com jornalistas na manhã desta terça-feira, Heinrich Riethmüller, presidente da Associação Alemã de Editores e de Livreiros, e Juergen Boos, diretor geral da Feira, deixaram claro que esse deverá ser o tom do evento que reúne, a partir de amanhã, 7,2 mil expositores de 102 países. 

A Feira acontece na esteira das eleições alemãs que, além de terem reconduzido Angela Merkel ao cargo de chanceler do País, colocaram pela primeira vez desde o fim da Segunda Guerra Mundial, representantes da extrema direita no Parlamento alemão. “Esse resultado nos chocou, mas não nos surpreende”, comentou Riethmüller. “Em épocas de conflitos, a indústria editorial deve promover o diálogo. Essa é a nossa missão. Esse é o nosso dever. Sem liberdade de expressão não há livros e sem livros não há diversidade”, completou.

Juergen Boos fala com os jornalistas antes da abertura oficial da Feira do Livro de Frankfurt | Divulgação
Juergen Boos fala com os jornalistas antes da abertura oficial da Feira do Livro de Frankfurt | Divulgação

“Em momentos em que narrativas venenosas se tornaram populares e a disseminação do medo e do ódio se tornaram, de novo, socialmente aceitáveis, nós temos que responder democraticamente com contra-argumentos atraentes”, disse Boos aos jornalistas.

Quem esteve com Boos e Riethmüller neste encontro com os jornalistas foi Markus Dohle, o CEO global da Penguin Random House. Dohle se disse otimista. “O negócio global do livro está vivendo um bom momento. Há cinco anos, especialistas predisseram o fim do livro impresso. Hoje, no entanto, vemos que isso não aconteceu. Ao contrário. O renascimento do livro impresso é muito bom porque estabiliza o mercado. É importante informar aos leitores que o livro impresso não está morto”, conclamou o CEO. 

Dohle lembrou que o Kindle, o e-reader da Amazon que permitiu a popularização dos livros digitais, completa no próximo mês dez anos. “Nessa década, podemos perceber que o livro digital é apenas um formato da mesma forma que foi o pocket book nos anos 1930 e que a convivência entre os formatos é possível”, analisou. 

Logo mais, às 17h, no horário de Frankfurt, acontece a abertura oficial da Feira com a presença da própria Angela Merkel e de Emmanuel Macron, presidente francês. O francês, o idioma, é o homenageado desta edição. O pavilhão do convidado de honra será aberto logo depois da cerimônia com as autoridades. O PublishNews teve acesso ao local e compartilha com os nossos leitores algumas fotos que dão uma ideia de como foi montado o espaço.

[10/10/2017 10:13:00]