Quando um prêmio leva a outro
PublishNews, Redação, 12/07/2017
Daniel Hahn usa dinheiro ganho no Dublin Literary Award para criar prêmio para novos talentos da tradução

Daniel Hahn é tradutor de autores como Paulo Scott, Socorro Acioli e Michel Laub | © John Lawrence, 2015
Daniel Hahn é tradutor de autores como Paulo Scott, Socorro Acioli e Michel Laub | © John Lawrence, 2015
O britânico Daniel Hahn é um velho conhecido do mercado editorial brasileiro. É dele a tradução para o inglês de livros como A maçã envenenada, de Michel Laub, A cabeça do santo, de Socorro Acioli, e Habitante irreal, de Paulo Scott. Recentemente, ele dividiu o International Dublin Literary Award com o angolano José Eduardo Agualusa pelo seu trabalho de tradução do livro Teoria geral do esquecimento (aqui publicado pela Foz). O valor apurado com o prêmio – 25 mil euros – serviu para que Hahn criasse, em parceria com a Transtaltors Association (TA), um novo prêmio voltado para tradutores emergentes. O TA First Translation Prize quer estimular não só os novos tradutores, mas também editores “visionários”, como explicou Antonia Lloyde-Jones, copresidente da TA à Publishing Perspectives: “[o prêmio é] um complemento inovador para o mundo da tradução literária. Ao encorajar os jovens talentos da tradução, bem como editores visionários, o prêmio quer aumentar a gama da boa literatura disponível em tradução, mas também fortalecer a relação entre editores e tradutores”. É que o galardão de duas mil libras – a exemplo do que acontece com o Dublin Literary Award – deverá ser divido entre o tradutor e seu editor. A informação foi adiantada pela Publishing Perspectives antes mesmo de entrarem no ar as regras para participação, o que deverá acontecer nos próximos dias pelo site da TA.   

Tags: Daniel Hahn
[12/07/2017 11:10:00]