Publicidade
Publicidade
Liberdade e respeito
PublishNews, Paulo Tedesco, 26/01/2017
Paulo Tedesco sobre o uso de e-books gratuitos na divulgação de um livro: 'Novos autores não podem ficar doando em prol de cadastros, promoções e outras invencionices, seu ouro maior'

Devemos falar em digital, em livro digital, e que soa quase heresia quando não falamos apropriadamente em leitura digital e da crise do acesso ao livro e do conteúdo. Pois aí é que reside o grande paradigma do início do século XXI, não há dúvida: decifra-me ou devoro-te, compreenda-me ou te consumirei para todo o sempre, por sua apressada prepotência e infeliz escolha.

Pois é preciso demonstrar que existe uma gigantesca incompreensão sobre o papel do livro fora do papel, ou seja, da leitura digital. É preciso, primeiramente, separar a crise no poder aquisitivo que recai sobre o brasileiro comum, da crise que perpassa o mundo editorial tradicional diante das inovações no acesso ao conteúdo e ao conhecimento. Sim, a crise brasileira é uma crise que retira leitores do mercado bruscamente e mantém a velha e sebosa elite com poder aquisitivo com capacidade de compra, e isso tem impacto no consumo do livro e na leitura, não há dúvida.

Claro que não há fórmulas, não há como. Estamos saindo de um ambiente analógico para um ambiente dado a virtualidades das mais diversas. E o que tem algum significado para alguns, para outros não passa de um grifo, aquele leão com asas e patas de águia, ou seja, não guarda sentido de qualquer espécie. Porque há leitores dos mais diversos e leitores novos, porém velhos, e velhos, porém de novos hábitos, e para essa individualização do consumo de conteúdo que vivemos, para essa personalização da leitura (não à toa o fenômeno dos celulares que individualizaram em absoluto nossas outrora comunicações de massas), não há fórmula pronta.

Então, por que não apostar na criatividade e fugir do lugar comum? Por que fazer joguinhos tolos de doar conhecimento e quebrar o ineditismo quando outros sabem cobrar pelo que fazem e produzem? Ou a regra do porco e da galinha vale também no mundo da promoção do livro digital e da leitura? Uns, pequenos, doam seu corpo, outros, grandes, doam nada mais do que alguns ovos?

Novos autores como novas editoras precisam do inédito e não podem ficar doando em prol de cadastros, promoções e outras invencionices, seu ouro maior. Estratégias de promoção são tão antigas como a propaganda e o merchandising, e para isso há quem estude e aprende, e faculdades inteiras, e não sai como franco atirador, porque o que está na estaca é o bem maior do homem, da humanidade: sua liberdade e seu conhecimento, e nisso há muito, mas muito mais do que índices de mercado e tabelas de crescimento.

Por fim, é à pressa que devoto esse artigo. Porque a pressa torna-se nossa inimiga nesses tempos multiconectados, e a pressa de enriquecer, de se achar a lâmpada mágica da riqueza, é o que condena ao medíocre as boas obras de arte. Se um autor de qualidade por vezes toma tempo na elaboração do clássico, por que uma editora, que se propõe a ter bons livros no catálogo, deve sequer pensar em caminho diferente? Sim, temos o sistema que nos pede resposta, mas, também, sim, temos um futuro que nos pede inteligência e sabedoria, sobretudo.

Paulo Tedesco é escritor de ficção, cronista e ensaísta, atua como professor e desenvolvedor de cursos em produção editorial e consultoria em projetos editoriais, também como orientador em projetos de inovação em diferentes setores. Trabalhou nos EUA, onde viveu por cinco anos, nas áreas de comunicação impressa, indústria gráfica e propaganda. É autor dos livros Quem tem medo do Tio Sam? Fumprocultura de Caxias do Sul, 2004); Contos da mais-valia & outras taxas (Dublinense, 2010) e Livros: um guia para autores (Buqui, 2015). Desenvolveu e ministra o curso de Processos Editorais na PUCRS e coordena o www.consultoreditorial.com.br atendendo autores e editores. Pode ser acompanhado pelo seu site, pelo Facebook ou pelo Twitter.

[26/01/2017 08:48:08]
Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Em sua coluna, Paulo Tedesco dá dicas para marinheiros de primeira viagem no mundo da autopublicação
Em sua coluna, Paulo Tedesco vai atrás dos conceitos de 'escritor' e 'autor' e conclui: 'para se candidatar a escritor é preciso revisar e burilar o texto ao limite, o que poderá tomar anos'
Paulo Tedesco fala, dessa vez, sobre a poesia, 'o mapa da condição humana'
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre a impressão por demanda e seus impactos na autopublicação
Em novo artigo para a sua coluna no PublishNews, Paulo Tedesco declara seu amor à ficção: ‘a boa ficção salva o homem do horror’
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Em sua coluna, Volnei Canônica busca dar uma resposta a essa pergunta
Toda semana você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Ou, a quem cabe a internacionalização da nossa literatura? Pedro Almeida responde.
Em sua coluna, Paulo Tedesco dá dicas para marinheiros de primeira viagem no mundo da autopublicação
Nos EUA, Amazon lança listas de mais vendidos e de mais lidos. Felipe Lindoso analisa
Quando criança, meu ideal de vida era pular a janela e sair mundo a-fora, sem jamais dormir uma segunda noite debaixo do mesmo teto. Quis ser escritora atraída pela aventura.
Nélida Piñon
Escritora brasileira
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar