Publicidade
Publicidade
Super loser: vamos celebrar nossos fracassos
PublishNews, Camila Cabete, 21/07/2016
Em sua coluna dessa semana, Camila Cabete fala sobre como falhou nas vezes em que tentou fazer consultoria na área do livro digital a editores e autores

Super Loser, ilustração de Ismael Alleycat
Super Loser, ilustração de Ismael Alleycat
Se o assunto for fracasso, posso bater no peito e dizer com humildade o quanto fracassei em consultorias. Consultoria é algo que ainda não está claro na cabeça dos profissionais e empresas. Fiz poucas e de nenhuma saí sentindo o cheiro da vitória, como costumo sentir nas empresas em que trabalho, nos projetos dos quais participo.

Quando comecei a trabalhar com livro digital, muitas editoras e autores me procuravam para saber como fazer, por onde começar. Por isso alguns chegaram a me contratar para consultoria, mas não sabiam muito bem o que consultoria significava. Ao contratar um consultor, você "aluga" a hora dele para que te dê uma visão geral do negócio, com dados e contatos. Basicamente, é o que eu faria nesta empresa em relação ao produto digital, se eu trabalhasse nela. Isso inclui uma carteira de contatos, ajuda na negociação de novos contratos, resolução de crises etc... Basicamente um guru-cartomante, só que baseado em experiência de mercado, ou um médico que te entrega um diagnóstico.

O grande problema é que, muitas vezes, quando empresas e profissionais contratam um consultor, eles acham que estão contratando um funcionário, um novo empregado. E na cabeça do consultor, ele está fazendo o papel dele, doando o tempo e criando saídas, enquanto as pessoas da empresa ficam olhando com aquela cara de "que incompetente e preguiçoso"- "ganhando pra fazer nada" e por aí vai.

Por causa dos vários desentendimentos, parei de dar consultorias, o que acabou casando com minha dedicação total a Kobo Brasil. Isso foi um alívio. Faço aqui um mea culpa e declaração de fracasso. Não conseguia ser clara o bastante sobre o que eu poderia ajudar na empresa e o que eu faria no período combinado. Por outro lado, os autores que me contratavam achavam que estavam contratando uma editora, junto com departamento de marketing, mídias sociais e agência editorial... E olha que nem cobrava caro, afinal minha incompetência não me permitia cobrar o valor justo de uma consultoria. O Editor contratava (na cabeça dele) por um valor de consultoria, um editor, diagramador, especialista em marketing e analista de mídias digitais, gerente financeiro - para o pagamento dos direitos autorais... Ah, contador também, afinal, como cobrar por um produto digital?

A clássica era o contratante ignorar veementemente uma sugestão para resolver alguma crise... Mas fazer o que? Quando vou a uma consulta médica não necessariamente significa que eu tomarei o remédio que ele me receitar. Mas seria justo o médico sair como incompetente diante do descaso do paciente?

Há um grande mal-entendido no mercado. O termo consultor virou piada interna em algumas empresas e estes profissionais aptos a ajudarem as editoras no desafio de se reinventarem estão sumindo do mercado... Estão desaparecendo em um momento crucial de mudança e reinvenção de nossa área.

Já tiveram alguma experiência parecida? Tudo bem fracassar de vez em quando, né? Essa cobrança de ser um sucesso em tudo cansa e é até meio careta. Enfim, não me procurem para consultoria. Topo um café para trocar ideias.

*Super Loser, ilustração do querido Ismael ismaelalleycat@gmail.com que me definiu muito bem assim: “você é uma cachoeira de fúria cuja a saída é uma pequena torneira prestes a se romper" e que "você é minha Power Ranger Violeta" #tamojunto

Camila Cabete (@camilacabete no Twitter e camilacabete no Snapchat) tem formação clássica em História e foi responsável pelo setor editorial de uma editora técnica, a Ciência Moderna, por alguns anos. Entrou de cabeça no mundo digital ao se tornar responsável pelos setores editorial e comercial da primeira livraria digital do Brasil, a Gato Sabido, além de ser a responsável pelo pós-venda e suporte às editoras e livrarias da Xeriph, a primeira distribuidora de conteúdo digital do Brasil. Foi uma das fundadoras da Caki Books, editora cross-mídia que publica livros em todos os formatos possíveis e imagináveis. Hoje é a Brazil Senior Publisher Relations Manager da Kobo Inc. e possui uma start-up: a Zo Editorial (@ZoEditorial), que se especializa em consultoria para autores e editoras, sempre com foco no digital. Camila vive em um paraíso chamado Camboinhas, com seus gatos pretos Lilica e Bilbo.

O LinkedIn da Camila pode ser acessado aqui.

Sua coluna é um diário de bordo de quem vive 100% do digital no mercado editorial brasileiro. Quinzenalmente, às quintas-feiras, são publicadas novidades, explicações e informações sobre o dia-a-dia do digital, críticas, novos negócios e produtos.

[21/07/2016 09:11:22]
Publicidade

A edição 2017 do Global eBook: a report on market trends and developments foi elaborada pelo consultor austríaco Rüdiger Winschenbar, com a contribuição de especialistas de todo o mundo. Este relatório documenta e analisa como os mercados de livros digitais estão se desenvolvendo ao redor do globo, trazendo os melhores dados estatísticos disponíveis. A novidade da edição 2017 são as análises inéditas e detahadas de vários mercados europeus feitas a partir de dados dos maiores agregadores de e-books da Europa. O Global eBook está disponível para compra no site www.global-ebook.com.

Leia também
'Não é porque é digital, que é automático': Camila Cabete usa sua coluna para listar algumas ações e alguns cuidados que todos editores de livros digitais deveriam ter
Em artigo, Camila Cabete comenta sobre a decisão do STF de isentar de impostos livros e leitores digitais
Em sua coluna, Camila Cabete faz uma DR com o livro digital e propõe: 'Amo nossa rotina, mas precisamos dar uma apimentada na nossa relação. Acho que temos que viver novas experiências...'
Camila Cabete usa sua coluna para fazer a sua lista de desejos para 2017
Em sua coluna, Camila Cabete resgata a sua própria história para concluir: 'quem resolve o que é bom e o que quer ler é o leitor'
Publicidade



O MBA em Book Publishing é uma pós-graduação Lato Sensu, reconhecida pelo MEC. Com realização da Casa Educação e apoio oficial do Publishnews, o curso tem a coordenação pedagógica do Instituto Singularidades. O programa foi elaborado para contemplar as profundas transformações que o mercado editorial vem passando nos últimos anos, sempre com o objetivo de preparar profissionais de forma completa e eclética para atuarem na indústria do livro. O curso já se encontra na terceira turma.

Outras colunas
Em sua coluna, Volnei Canônica busca dar uma resposta a essa pergunta
Toda semana você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Ou, a quem cabe a internacionalização da nossa literatura? Pedro Almeida responde.
Em sua coluna, Paulo Tedesco dá dicas para marinheiros de primeira viagem no mundo da autopublicação
Nos EUA, Amazon lança listas de mais vendidos e de mais lidos. Felipe Lindoso analisa
A maior influência de toda a minha trajetória foi a leitura. Acho que todo escritor é um leitor de si mesmo.
Michel Laub
Escritor brasileiro
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar