Publicidade
Publicidade
Todos juntos somos fortes
PublishNews, Gabriela Erbetta e Gabriela Aguerre, 15/09/2015
Digital tem um grande terreno a conquistar no Brasil, mas tem alguém ensinando os leitores a usar tudo isso?

As sócias Gabriela Erbetta e Gabriela Aguerre apostaram no livro digital, mas se perguntam: será que tem alguém ensinando os leitores a usa isso tudo? | © Divulgação
As sócias Gabriela Erbetta e Gabriela Aguerre apostaram no livro digital, mas se perguntam: será que tem alguém ensinando os leitores a usa isso tudo? | © Divulgação
A Editora Alpendre surgiu em agosto de 2013 como uma empreitada exclusivamente digital. Desde então, estamos caminhando devagar e com empenho, vendo muito potencial para os e-books no país e tratando os livros digitais com o mesmo cuidado e carinho com que sempre trabalhamos em outros meios e veículos. As possibilidades do mercado, como têm mostrado pesquisas e artigos, efetivamente existem: o acesso à tecnologia é cada vez maior, as crianças sabem cada vez mais usar aparelhos eletrônicos, só no Brasil temos mais de 150 milhões de smartphones e outros 20 e tantos milhões de tablets (sem falar em computadores pessoais), 32% dos consumidores leem mais de um livro ao mesmo tempo, outros 6% estão acostumados a ler em meios de transporte... É um terreno e tanto para o digital e, mesmo assim, talvez ninguém discorde de que já poderíamos ter crescido mais nessa seara.

E então nos ocorre uma pergunta básica: tem alguém ensinando os leitores a usar tudo isso? Tem alguém dizendo para as pessoas que, além do jogo X ou do aplicativo de paquera Y, é possível instalar no celular um app (grátis!) que permite a leitura? Muita, mas muita gente que conhecemos – gente acostumada a ler, bem informada, que faz compras online e já tem tablet e smartphone – ainda fica com cara de nuvem quando falamos em livros digitais. E a questão nem passa pela conversa boboca do “ah, mas gosto do cheiro de livro”. É desconhecimento mesmo. Há quem pense que, para aproveitar esse meio de leitura, precisa de um Kindle ou “daquele aparelho que vende na Cultura” (a gente sempre fala: “o nome é Kobo!”). Pior: existe, e aos montes, quem já viu um PDF malfeito e acha que “putz, a leitura digital é muito desconfortável”.

Estamos falando, aqui, do básico. De educar o público. De atitudes que promovam o digital, que se proponham a apresentar os leitores ao formato, pegar os caras pela mão e mostrar como é bacana, como pode ser prático.

Somos uma editora pequena e 100% digital que ainda está no início do que esperamos ser uma longa jornada. Assim como nós, existem outras empresas do tipo, e é uma alegria sincera saber que surgiu mais uma, e mais uma, e mais uma. Será que não vale nos unirmos – editoras digitais e departamentos digitais das editoras de papel – para promover essas atitudes? Todos juntos somos fortes, como já ensinava aquela música do Chico Buarque há quase 40 anos.

Três ideias rápidas:

- Uma campanha conjunta das editoras, no Facebook, estimulando a leitura digital. Cada uma faz uns dois ou três memes de incentivo, usa sua própria base de curtidores e replica os posts das outras. (Fizemos uma experiência no ano passado, com memes divertidos que terminavam dizendo “Acredite nos livros digitais”).

- Promover mais encontros “autor-leitor” para apresentar o digital ao público. Nada de palestras chatas sobre o tema, claro. Mas nossos autores não podem ser nossos melhores porta-vozes se chegarem a um bate-papo e lerem um trecho do livro no celular, no tablet, no e-reader? Que nos perdoem as lojas, mas não basta deixar Kindles e Kobos à disposição dos leitores sem que alguém mostre como podem ser bacanas para a leitura.

- Por fim: você, que tem uma editora física – mas é esperto e antenado o suficiente para saber que não, o digital não vai acabar com o papel e um meio pode conviver muito pacificamente com o outro, pois há mercado e produtos para ambos –, que tal pensar em, a cada mês, fazer uma promoção com um ou dois títulos na linha “compre um e leve dois”? Compra o físico, ganha o digital. Que seja válida por apenas uns poucos dias. Não pode beneficiar a todos, a começar pelo leitor?

[Nota do editor: nesta coluna, Gabriela Erbetta cedeu espaço para a sua sócia na Editora Alpendre Gabriela Aguerre que assinam conjuntamente este artigo]

A coluna Caderno de receitas fala sobre livros de cozinha: dos títulos editados no Brasil aos bons (e maus) exemplos estrangeiros; do trabalho envolvido nas traduções; da migração para as plataformas digitais e de muitos outros assuntos saborosos ligados a esse universo. Os textos de Gabriela Erbetta vão fechar a semana uma vez a cada quinze dias.

[14/09/2015 23:59:45]
Publicidade

BR75

A BR75 desenvolve soluções personalizadas de criação e edição de texto, design gráfico para publicações impressas e em outras mídias e coordena sua produção editorial. Cuidamos de todas as etapas, conforme as necessidades e características de seu projeto, e sua empresa ganha em eficiência e qualidade. Quer saber mais? Fale com a gente ou agende uma visita!

Leia também
Parece que essa é também a temporada dos livros de receitas derivados de blogs de sucesso
Em sua viagem aos EUA, Gabriela Ebertta conta o que viu nas livrarias do lado de lá
Gabriela Erbetta dedica a sua coluna de hoje à grande Julia Child
Gabriela Erbetta conta como foi ler um mangá culinário
Gabriela Erbetta fala, em sua coluna de hoje, sobre a sua 'estante excêntrica'
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Toda semana você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Paulo Tedesco comenta sobre os números divulgados pela #PubMagNet sobre a Alemanha e a diminuição da compra de livros no país
Toda semana você confere uma tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna de estreia, Marcio Coelho conta como conheceu Pedro Paulo de Sena Madureira
Roney Cytrynowicz parte da polêmica lei polonesa que quer incriminar quem se referir aos campos de extermínio como poloneses e não nazistas para falar de dois livros essenciais para entender a questão
Os escritores são fabricantes de sonhos e eu, como leitor, me arrisco a interpretar esses sonhos e traduzi-los em fotografias.
Daniel Mordzinski
Fotógrafo argentino em entrevista para a revista Ponto
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar