Publicidade
Publicidade
E-book é assunto de editor
PublishNews, 07/12/2011
Um livro impresso muitas vezes segue uma espécie de receita de bolo. Com os e-books, várias novas possibilidades surgiram. Mas o que se vê, na prática, ainda é a aplicação de receitas de bolo na produ

É comum dizer que as editoras não sabem o que fazer com os e-books, que todos têm perguntas e ninguém tem as respostas. Mas, sinceramente, não é bem assim que eu vejo as coisas.

Acho que o que acontece é que as editoras não estão acostumadas a um mercado dinâmico, sem processos pré-definidos, e estão inseguras por não terem um padrão "certo" a seguir e, sim, vários (mesmo que quase todas sigam um só padrão...). No geral, a produção de, por exemplo, um livro impresso de não ficção de autor estrangeiro segue uma receita de bolo:

- Editorial:

Tradução

Copi

Diagramação

Revisões

Indexação


- Produção gráfica:

14 x 21cm ou 16 x 23cm

Papel offset ou offwhite

Cadernos de 16 ou 32 páginas

Cores de miolo: 1/1

Cores para capa: 4/0

Acabamento de capa: Laminação fosca com verniz

O e-book destrói essa “regra” e oferece diversas possibilidades. Muitas editoras ainda estão no processo de migração de seu catálogo para o digital. Nesses casos, todo o processo editorial já está feito e só resta a produção gráfica. Mas esse “só resta” significa:

- Formato: Qualquer um, de forma que se adapte a qualquer tela de leitor.

- Papel: seu nome digital é “background” e pode ter qualquer cor, qualquer imagem.

- Não há número de página absoluto, ele muda de acordo com as alterações no tipo e no tamanho das fontes, na margem, no gadget usado na leitura. E, numa tacada só, acaba com as noções de sumário e índice remissivo, que se transformam, respectivamente, nos eficazes links e ferramenta de busca.

- Não há limites para cores, e, quando há, o limite é imposto pelo leitor digital, que pode ser preto e branco ou colorido. Além disso, pode haver inserção de som, vídeo, links (apesar de o Bluefire detestavelmente não abrir links externos). O limite é o tempo, a competência técnica de quem está fazendo a conversão, a criatividade e/ou o peso do arquivo.

- Estou pensando no acabamento e o que me vem é “vídeo”. A capa pode ser um vídeo, um gif, slides etc.

Com esse mundo de possibilidades, tivemos que voltar ao básico para manter o foco: o leitor quer ler. E daí foi criada uma nova “receita de bolo”: o e-book deve ser igual ao impresso. Há editoras mais ou menos flexíveis em relação a isso, mas na verdade o que quase todo mundo tem feito é simplesmente imitar ao máximo a aparência do impresso. Então, tecnicamente, não há grande surpresa em boa parte dos e-books atuais. E, mesmo saindo da questão técnica, temos poucas surpresas: os contratos de aquisição, os contratos de distribuição e o processo de compra, por exemplo, seguem receitas de bolo.

Qual seria então a tal dúvida que o e-book traz? Se ele no futuro vai suplantar o livro impresso? Qual vai ser o sistema operacional dominante? Qual gadget vai ser o padrão? Qual aplicativo vai ser o padrão? Qual vai ser a empresa de venda de e-books mais lucrativa? Na verdade, para a produção de e-books, isso faz muito pouca diferença agora. Nesta fase de migração com base em receita de bolo, só o que nós podermos fazer é gerar ePubs que mantenham a identidade do impresso (dentro das limitações do formato, como, por exemplo, certas fontes, em especial com serifa), mas tentando sempre aproveitar as possibilidades que o digital oferece.

Revisão técnica: Antonio Hermida (Simplíssimo)

Cindy Leopoldo é graduada em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-graduada em Gerenciamento de Projetos pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Cursou o Yale Publishing Course em 2015. Trabalha em departamentos editoriais há mais de uma década. Atualmente é gerente de edições digitais da Intrínseca no Rio de Janeiro, sendo responsável pelos e-books da editora carioca. Escreve quinzenalmente, só que não, para o PublishNews. Sua coluna trata do mundo que existe do lado de dentro das editoras. Mais especificamente, dentro de seus departamentos editoriais. Acesse aqui o LinkedIn da Cindy.

[06/12/2011 22:00:00]
Publicidade

Venha participar da primeira edição do Pub-Livro! O Encontro PublishNews de Profissionais do Livro foi criado para reunir os melhores especialistas da indústria editorial local e discutir as tendências e desafios do mercado de livros com o público profissional e de estudantes. Com temas relevantes e atuais, a edição de Porto Alegre está com uma programação imperdível, com o tema "O passado, o presente e o futuro do livro e de sua indústria". O evento tem entrada franca, mas é necessário fazer uma pré-inscrição. Garanta já sua presença!

Leia também
Cindy Leopoldo entrevistou Paola Prestes, diretora do documentário sobre o editor brasileiro Massao Ohno, e conta tudo na sua coluna de hoje
Em sua coluna, Cindy Leopoldo busca respostas para essa questão que perturba muita gente que trabalha com livros digitais não só no Brasil, mas no mundo inteiro
Nem leitores nem editores (e menos ainda as livrarias) estão prontos para o “desaparecimento” dos livros impressos
Os e-books exigem uma entrega profunda por parte dos que trabalham com eles
Cindy fala com Lee Ripley, da Vivays Publishing, de Londres, uma editora curiosa, que nasceu durante a crise mundial e decidiu investir em livros impressos de arte, na suposta era dos e-books
Publicidade

Mais de 13 mil pessoas recebem todos os dias a newsletter do PublishNews em suas caixas postais. Desta forma, elas estão sempre atualizadas com as últimas notícias do mercado editorial. Disparamos o informativo sempre antes do meio-dia e, graças ao nosso trabalho de edição e curadoria, você não precisa mais do que 10 minutos para ficar por dentro das novidades. E o melhor: É gratuito! Não perca tempo, clique aqui e assine agora mesmo a newsletter do PublishNews.

Outras colunas
Todas as sextas-feiras você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Todas as sextas-feiras você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
Em sua coluna, Paulo Tedesco fala sobre a importância de se apostar no nicho certo para se vender mais livros
Carlo Carrenho analisa os dois maiores mercados editoriais da América do Sul
Todas as sextas-feiras você confere uma nova tira dos passarinhos Hector e Afonso
O que é um livro que nem mesmo sabe levar-nos para além de todos os livros?
Friedrich Nietzsche
Filósofo alemão
(1844 - 1900)
Publicidade
Publicidade

Você está buscando um emprego no mercado editorial? O PublishNews oferece um banco de vagas abertas em diversas empresas da cadeia do livro. E se você quiser anunciar uma vaga em sua empresa, entre em contato.

Procurar

Precisando de um capista, de um diagramador ou de uma gráfica? Ou de um conversor de e-books? Seja o que for, você poderá encontrar no nosso Guia de Fornecedores. E para anunciar sua empresa, entre em contato.

Procurar

O PublishNews nasceu como uma newsletter. E esta continua sendo nossa principal ferramenta de comunicação. Quer receber diariamente todas as notícias do mundo do livro resumidas em um parágrafo?

Assinar